PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Após recomendação do MPCE, Prefeitura anuncia retorno de 100% da frota de ônibus em Fortaleza

Sindiônibus recebeu ordem de serviço nesta segunda-feira, 3, para que as concessionárias ofertem "tão logo seja possível" a totalidade da frota

Matheus Facundo
20:48 | 03/08/2020
Documento que anuncia retorno foi enviado ontem ao Sindiônibus (Foto: Barbara Moira)
Documento que anuncia retorno foi enviado ontem ao Sindiônibus (Foto: Barbara Moira)

Por meio de ofício enviado ao Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e a Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos (SCSP) anunciaram ordem de serviço "imediata" para o retorno de 100% da frota de ônibus nas ruas. Documento foi enviado nesta segunda-feira, 3, ao sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). 

Conforme o MPCE divulgou, foi ordenado pelas pastas que as concessionárias do transporte coletivo da Capital ofertem "tão logo seja possível (mobilização da mão de obra, revisão de veículos, dentre outros) 100% da frota de ônibus para os cidadãos de Fortaleza". O órgão estadual havia emitido recomendação no último dia 17 de julho pedindo o retorno da frota completa devido à ocorrência de aglomerações no transporte público.

"É inconcebível que, no meio de uma pandemia, ainda haja aglomeração nos transportes públicos. E nós sabemos que, com o retorno gradual das atividades, vem ocorrendo aglomerações nos horários de pico. Porém, sabemos que uma das medidas necessárias e urgentes para evitar a disseminação do coronavírus é respeito ao distanciamento social", afirmou Ana Cláudia Uchoa, titular da 137ª Promotoria de Justiça de Fortaleza.

O parecer foi emitido após audiência pública virtual para discutir os recorrentes registros de aglomerados em ônibus da Capital, especialmente em horário de pico. Pauta trazia a necessidade do distanciamento social como forma prevenir a disseminação do coronavírus, o que se tornava empecilho com a lotação de coletivos. A frota, que foi reduzida no inicio da pandemia, vinha sendo reforçada com o avanço do plano de retomada, mas não chegou a sua totalidade.