PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Sabia que Ceará já teve temperatura de 12⁰? Veja onde e quando foi

Quatro municípios do interior atingiram a temperatura mínima extrema de 12°, a menor registrada no Ceará, segundo dados da Funceme, validados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)

Ismia Kariny
13:14 | 31/07/2020
No começo de julho, temperaturas mais amenas foram registradas em Fortaleza  (Foto: Thais Mesquita)
No começo de julho, temperaturas mais amenas foram registradas em Fortaleza (Foto: Thais Mesquita)

De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a menor temperatura mínima já registrada no Ceará foi de 12°C, observada primeiramente em 13 de fevereiro de 1963, em Cratéus - localizada na macrorregião do Sertão Central e Inhamuns. Segundo a série histórica, validada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os municípios de Tauá, Guaramiranga e Campos Sales, também alcançaram a mínima de 12°C. Em 2020, a temperatura mais baixa alcançada no Estado ocorreu em Barbalha, com 14°C em no último dia 10 de julho.

A cidade de Tauá atingiu a menor temperatura registrada no Ceará em 14 de julho de 1967 e novamente em 5 de julho de 1974. Depois de Tauá, foi a vez de Guaramiranga, em 24 de abril e 29 de maio de 1973. Campos Sales chegou a mínima de 12°C em 21 de maio de 1996. Por outro lado, na série histórica cearense, Guaramiranga é a cidade que mais registrou temperaturas abaixo de 13°C. Tauá fica em segundo lugar entre as regiões do Estado monitoradas pela Funceme e o Inmet.

Mínimas extremas registradas pelo Inmet e Funceme em 2020

A menor temperatura registrada no Ceará em 2020, segundo dados da Funceme validados pelo Inmet, ocorreu em Barbalha, em 10 de julho (14ºC). A mínima foi observada às 12 horas locais. A temperatura mais próxima foi alcançada em 24 de julho, quando o município de Barro atingiu 14,2°C, por volta das 10 horas. Nesse dia, a cidade também registrou 14,4°C, mesma temperatura observada em 23 de julho - ambas às 9h.

Tianguá, na região da Ibiapaba, é a última das cidades que estiveram mais frias em 2020. O município teve uma temperatura mínima de 14,7°C às 8 horas e 9 horas do dia 23 de julho; às 10 horas do mesmo dia, chegou aos 14,8°C.

A cidade de Barro também chamou atenção no início do mês, por apresentar oscilação na temperatura em um curto período de tempo. Em cerca de 24 horas, Barro saiu dos 15,4°C para 35,2°C entre os dias 7 e 8 de julho - um aumento de quase 20 graus. De acordo com a Funceme, o pico das temperaturas costuma ocorrer por volta das 14 horas, e as mínimas ocorrem logo no início da manhã, entre as 5h e 6h. Em dias com maior nebulosidade, o tempo fica mais ameno, pela dificuldade dos raios solares atingirem a superfície da terra.

Saiba mais

De acordo com o Inmet, os anos 1967, 1975 e 1994 foram anos considerados frios no Brasil. Em 1975, o País viveu o chamado “grande frio”, que, conforme o Instituto, não repercutiu tanto na região Nordeste. Entretanto, o ano de 1974 é aquele que mais se aproxima do cenário observado em 2020. À época foram percebidas massas de ar frio que se estenderam por mais tempo na costa do Nordeste, causando temperaturas mais baixas.

No Ceará, esse monitoramento de temperaturas é feito pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Desde 1998 a Funceme faz a coleta desses dados. Atualmente, eles são captados pela Plataforma de Coleta de Dados (PCD), que abrange informações relacionadas aos ventos e temperaturas do ar, por exemplo.

Já o Inmet, reúne dados meteorológicos registrados desde antes de 1900, no período do Império brasileiro. Entretanto, essas informações só passaram a ser abrigadas em acervo digital a partir de 1961, no Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa (BDMep). Segundo o Instituto, todas as medições de temperatura são feitas pelas Estações Meteorológicas distribuídas nos estados.