PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Crianças de escola em Fortaleza participam da criação da fantasia do Galo da Madrugada

Na tarde desta terça-feira, 4, as crianças, acompanhadas pelo artista plástico pernambucano Leopoldo Nóbrega, usaram tinta e pincel para contribuir no visual do icônico Galo

Izadora Paula
22:35 | 04/02/2020
as crianças foram acompanhados pelo artista plástico pernambucano Leopoldo Nóbrega enquanto usavam de tinta e pincel para contribuir no visual do icônico Galo da Madrugada
as crianças foram acompanhados pelo artista plástico pernambucano Leopoldo Nóbrega enquanto usavam de tinta e pincel para contribuir no visual do icônico Galo da Madrugada (Foto: Izadora Paula/Especial para O POVO)

Unindo arte e consciência ambiental, uma oficina envolveu alunos da Escola de Aplicação Yolanda Queiroz, em Fortaleza, com a cocriação da fantasia Galo da Madrugada, figura histórica do Carnaval de Pernambuco. Na tarde desta terça-feira, 4, as crianças foram acompanhados pelo artista plástico pernambucano Leopoldo Nóbrega enquanto usavam tinta e pincel para contribuir no visual do icônico Galo.

A oficina, que já foi realizada em escolas e projetos sociais de Pernambuco e Bahia, teve início com contação de história e dinâmicas de integração, onde as crianças interagiram entre si e começaram a entender a proposta do uso do disco de vinil na arte carnavalesca. Depois disso, os pequenos ouviram as músicas dos vinis que viriam a pintar.

Antes de pintar os discos de vinil, as crianças se divertiram ouvindo as músicas
Antes de pintar os discos de vinil, as crianças se divertiram ouvindo as músicas (Foto: Divulgação/Ares Soares)

Maria Eduarda e Yasmin, ambas de 10 anos, nunca tinham visto um disco de vinil antes dessa oficina e afirmaram estar surpresas com as músicas que ouviram. Elas estavam empolgadas com a oportunidade e planejavam os desenhos que aplicariam na peça. "Quero fazer várias penas e várias máscaras, também, pra representar o Carnaval", contou Maria Eduarda. Yasmin ainda não sabia o que iria compor com a tinta, mas avisou: "Vou fazer algo bem diferente".

Em outra mesa, Kayla Yasmin, Ana Luisa e Maria Eduarda Ribeiro conversavam entre si sobre as cores usadas nos desenhos e concordavam que deveria ser bem colorido. As três meninas, também de 10 anos, embora já conhecessem discos de vinil, nunca ouviram músicas deles. Elas concordaram que, embora fosse legal, escutar música pelo celular é bem mais prático.

No total, cerca de 400 crianças participarão das 20 oficinas em diversos locais do Brasil. Leopoldo Nóbrega, artista plástico responsável pela ação, explicou que os discos de vinil se transformariam em cerca de mil lantejoulas, que seriam usadas para formar a roupa do Galo da Madrugada, sob o tema Galo Circense de Olho no Futuro.

"A gente gosta dessa coisa do experimentalismo, que prioriza o processo muito mais do que o fim. O fim é uma escultura multidimensional, já que possui estruturas analógicas, físicas, e tem o digital, que é o conteúdo virtual. Então a gente vai ter um corpo interativo e cocriativo. Essa liberdade de expressão vai permitir com que os discos carreguem uma memória afetiva dessa relação da criança com a musicalidade do vinil, com a opção e a oportunidade de você criar um Carnaval alegre, divertido e com a influência também da cultura de raiz que é o Carnaval e o Galo da Madrugada que já é um bloco que tem mais de 40 anos de tradição", colocou Leopoldo.

Depois de Fortaleza, o projeto segue para os estados do Rio de Janeiro e São Paulo, onde outras crianças também participarão das oficinas e contribuirão com o Galo da Madrugada.