PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Após 12 anos em casa alugada, Caps AD da Cidade 2000 ganha local próprio

O equipamento, com área total de 1,4 mil metros quadrado, conta com quatro consultórios de atendimento individual, farmácia, enfermaria, quatro dormitórios, área de atividade coletiva, espaço de convivência, refeitório e auditório

Ítalo Cosme
15:38 | 04/12/2019
CAPS AD Regional II, inaugurado nesta quarta-feira, 4, integra Rede com outros 23 equipamentos para Saúde Mental
CAPS AD Regional II, inaugurado nesta quarta-feira, 4, integra Rede com outros 23 equipamentos para Saúde Mental (Foto: Marcos Moura)

Após 12 anos desde a inauguração funcionando em residência alugada, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), um dos mais antigos de Fortaleza, agora tem sede própria. Localizado no bairro Cidade 2000, na Regional II, a estrutura atenderá 24 horas por dia. O equipamento foi entregue na manhã desta quarta-feira, 4, e tem capacidade para realizar dois mil atendimentos por mês.

A área total do CAPS AD é de 1,4 mil metros quadrado. A nova sede conta com quatro consultórios de atendimento individual, farmácia, enfermaria, quatro dormitórios, área de atividade coletiva, espaço de convivência, refeitório e auditório. A equipe de atendimento multiprofissional é composta por psiquiatra, psicólogo, enfermeiro, terapeuta ocupacional, técnico de enfermagem e assistente social.

Há 15 dias, Cleiton Ricardo, 45, foi abordado por duas senhoras em meio a uma roda de amigos quando estava drogado e embriagado. Após insistirem em ajudar o pintor profissional, as mulheres conseguiram que ele fosse para a Caps AD que agora está com nova sede. Hoje, Ricardo, que abandonou mulher e três filhos para morar na rua, vem se recuperando. “As enfermeiras (do Caps AD) nos respeitam e nos tratam bem. Aqui, a gente vai se fortalecendo”, comenta Ricardo.

Presente na inauguração, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) destacou que o pessoal do quadro de funcionários é proveniente de concurso público específico para a Saúde Mental. “Demos um foco muito grande na atenção primária no primeiro mandato, mas duas questões a gente não trabalhou com a mesma prioridade. Eu disse que seriam prioridades no segundo mandato a questão da saúde mental e a assistência hospitalar”, destacou o mandatário municipal.

Roberto Cláudio pontuou ainda duas necessidades na saúde fortalezense. “Uma é de mais equipamentos de saúde mental infantil. A outra é de ampliação de atendimento à saúde mental na Regional V.” Por essa razão, afirmou ele, um Caps Infantil será entregue no bairro Bom Jardim ainda no primeiro semestre do próximo ano. A expectativa é de que esse seja o último do tipo a integrar a Rede de Saúde Mental antes do fim da sua última e segunda gestão em Fortaleza.