PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Voluntários denunciam maus-tratos a animais no Campus do Pici

Os casos vem surgindo há dois meses e um animal precisou ser sacrificado

10:43 | 03/12/2019
Ao todo, sete animais apresentam machucados
Ao todo, sete animais apresentam machucados (Foto: Reprodução/Instragram: @animaisufc)

Atualizada às 23h15min

Voluntários do projeto Animais UFC usaram suas redes sociais para denunciar na noite desta segunda-feira, 2, a ocorrência de diversos casos de maus-tratos. As vítimas são cães que vivem nas dependências do Campus do Pici. Segundo eles, sete animais já foram encontrados com as mesmas perfurações nas costas, em formato circular. Nesta terça-feira,3, foi prestado um boletim de ocorrência sobre o caso.  

Os envolvidos já vinham notando durante os últimos dois meses a aparição desse tipo de machucado nos cachorros. Eles afirmam, em comunicado no Instagram, terem pensado ser marcas de tiro, mas confirmaram, com veterinários, a ausência de capsulas ou pólvora. Eles contam a dificuldade de cuidar dos animais, É animal que, nem sempre, é dócil e está desesperado de dor, não deixam a gente chegar perto para tratar os ferimentos. Por conta dessa demora, o quadro vai se agravando.", conta a estudante Rosana Roseo. Um dos cães precisou ser sacrificado pela gravidade dos ferimentos. 

"Os cães violentados não foram escolhidos de forma aleatória e, como conhecemos os animais do campus, já percebemos que as vítimas são sempre os que andam sozinhos, sem matilha", relata o projeto no comunicado.

A exposição do caso, segundo eles, foi para provocar um alerta geral sobre os animais machucados e evitar também que novos casos aconteçam. "É incomum aparecem tantos animais em um curto período de tempo com esse tipo que ferimento, que, pra nós, que acompanhamos os casos, é suspeito. A iniciativa de divulgar foi para provocar um questionamento e um aleta, porque, do ponto onde estávamos atuando, a gente, muitas vezes, só consegue agir quando já é tarde demais.", explica a voluntária Tainah Moreira.

O POVO entrou em contato com UFC, que informou que irá avaliar as denúncias e tomar "medidas cabíveis". "O Órgão faz um apelo para que todos os casos identificados pela comunidade acadêmica sejam denunciados formalmente à Superintendência, por meio do telefone 85 3366 9190 (Emergências UFC)", pede a instituição, em nota. Além disso, a universidade afirma que está fazendo campanhas de conscientização, promovendo visitas do Vet Móvel aos campus de Fortaleza e criando parcerias com grupos de proteção animal. 

Leia a nota na íntegra: 

A Superintendência de Infraestrutura e Gestão Ambiental da Universidade Federal do Ceará (UFC-Infra) irá avaliar as denúncias para tomar as medidas cabíveis, e repudia toda e qualquer ação de maus tratos contra animais. O Órgão faz um apelo para que todos os casos identificados pela comunidade acadêmica sejam denunciados formalmente à Superintendência, por meio do telefone 85 3366 9190 (Emergências UFC). A Universidade também reforça que tem promovido uma série de ações nessa área por meio da Prefeitura Especial de Gestão Ambiental (vinculada à UFC-Infra), em parceria com grupos de proteção animal que atuam na Universidade e com a Prefeitura de Fortaleza. Foram promovidas três visitas do Vet Móvel para vacinação, consulta e castração de animais (duas no Campus do Pici e uma no Benfica), apoio institucional a atividades voltados para o bem estar animal (bazares de arrecadação de ração, adoção de PETs etc.), campanhas de conscientização em redes sociais sobre o crime de abandono de animais, e eventos e debates sobre o tema.

Clique na imagem para abrir a galeria