PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Polícia Civil prende coordenadores de facção criminosa do Ceará escondidos em São Paulo

A operação ocorreu na última quarta-feira, 20, e apreendeu equipamentos eletrônicos e uma centena de chips telefônicos usados

12:33 | 25/11/2019
A operação apreendeu equipamentos eletrônicos, uma centena de chips telefônicos utilizados e 17 lacrados, além de cerca de meio quilo de maconha.
A operação apreendeu equipamentos eletrônicos, uma centena de chips telefônicos utilizados e 17 lacrados, além de cerca de meio quilo de maconha. (Foto: Divulgação/Polícia Civil do Ceará)

Operação da Polícia Civil do Ceará (PCCE) prendeu em Mongaguá (São Paulo) homem suspeito de coordenar facção criminosa atuante no Ceará. Identificado como Carlos Alexandre Araújo Costa, 34, ou Gasparzinho, o suspeito já responde no Estado por roubo, furto e tráfico de drogas. A ação ocorreu na última quarta-feira, 20.

Também foi preso Artilan Gomes da Silva, 23, conhecido como Pitbull e apontado como chefe de tráfico de drogas no município de Piquet Carneiro (CE). Gasparzinho foi transferido para Fortaleza neste final de semana, enquanto Pitbull permanece preso no sistema penitenciário de São Paulo por flagrante com drogas.

Na ação, realizada em conjunto com a Delegacia Regional de Aracati e com o Departamento de Polícia Judiciária do Interior Sul (DPJI Sul), foram apreendidos documentos falsos, notebooks, vinte aparelhos celulares, uma centena de chips telefônicos utilizados e outros 17 lacrados. Além disso, agendas com anotações de contabilidade, três veículos - dois carros e uma motocicleta - e cerca de meio quilo de maconha também foram confiscados.

Investigação ocorria há meses

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, 25, o delegado geral da PCCE Marcus Rattacaso informou que a operação policial de responsável pela captura dos suspeitos teve início há cinco meses. Desde então, a PCCE trabalha integralmente com polícias civis e judiciais de outros estados brasileiros para localizar e prender chefes de organizações criminosas cearenses.

De acordo com o delegado titular de Aracati Hugo Leonardo, Carlos Alexandre era responsável por receber informações de organizações fora do Ceará e aplicá-las no Estado. O preso estava foragido desde final de 2017, após aproveitar o induto natalino para fugir do sistema penitenciário.