PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Familiares e amigos de estudante morto em abordagem policial fazem protesto

Juan Ferreira dos Santos, de 14 anos, foi atingido com um tiro na cabeça nesta sexta-feira, 13. Ele estava em uma festa na Praça do Mirante, quando policiais teriam atirado contra o chão para dispersar a multidão

21:12 | 14/09/2019
Familiar de estudante morto protesta em frente aos policiais
Familiar de estudante morto protesta em frente aos policiais(Foto: Wanderson Trindade)

Moradores do bairro Vicente Pinzon realizaram manifestação pedindo justiça pela morte do estudante Juan Ferreira dos Santos, de 14 anos. Ele foi morto durante abordagem policial na noite de sexta-feira, 13, durante uma festa na Praça do Mirante, no mesmo bairro. Um dos militares teria atirado contra o chão como forma de dispersar a multidão. Um dos tiros atingiu a cabeça do adolescente, que não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Geral de Fortaleza (HGF). 

Pelo menos uma centena de pessoas, familiares e amigos, saíram da casa de Juan em direção ao local do crime. "Eles estão para proteger a gente, cidadão. Não matar cidadão. Se for atirar, atire para cima. Não atire no meio da população. Eles mataram uma criança", disse Lucélia Ferreira da Silva, prima da vítima, durante a manifestação. 

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Moradores do bairro Vicente Pinzon realizaram manifestação pedindo justiça pela morte do estudante Juan Ferreira dos Santos, de 14 anos. Ele foi morto durante abordagem policial na noite de sexta-feira, 13, durante uma festa na Praça do Mirante, no mesmo bairro. Um dos militares teria atirado contra o chão como forma de dispersar a multidão. Um dos tiros atingiu a cabeça do adolescente, que não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Pelo menos uma centena de pessoas, familiares e amigos, saíram da casa de Juan em direção ao local do crime. "Eles estão para proteger a gente, cidadão. Não matar cidadão. Se for atirar, atire para cima. Não atire no meio da população. Eles mataram uma criança", disse Lucélia Ferreira da Silva, prima da vítima, durante a manifestação. A população gritou palavras de ordem pedindo justiça. "Para eles, todo favelado é marginal, vagabundo. Não é assim, não. Temos nossos direitos. Na favela também tem cidadão. Não teve troca de tiros, só tinha adolescente. Se eles pegarem qualquer adolescente, eles metem a peia", relata Francisca Cristiane. (Vídeo: Wanderson Trindade/ Especial para O POVO)

Uma publicação compartilhada por O POVO Online (@opovoonline) em

A população gritou palavras de ordem pedindo justiça. "Para eles, todo favelado é marginal, vagabundo. Não é assim, não. Temos nossos direitos. Na favela também tem cidadão. Não teve troca de tiros, só tinha adolescente. Se eles pegarem qualquer adolescente, eles metem a peia", relata Francisca Cristiane. 

Conforme a Polícia Militar do Ceará (PMCE), o agente foi autuado em flagrante pelo fato e já se encontra preso no Presídio Militar. A investigação será realizada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O sepultamento deve acontecer às 10 horas deste domingo (15), no cemitério do Bom Jardim.