PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Idoso acusado de traficar cocaína de Fortaleza a Lisboa é solto após 48 dias

Nas imagens feitas pelas câmeras de segurança dos aeroportos de Belém e Fortaleza, o comerciante não aparece levando a mala que continha droga

22:17 | 08/07/2019
José e a esposa iam de Belém a Paris
José e a esposa iam de Belém a Paris(Foto: Arquivo Pessoal)

O comerciante José Pereira, de 71 anos, acusado de traficar cocaína entre Fortaleza e Lisboa, foi solto após quase sete semanas de detenção em Portugal. Junto da esposa, ele saiu de Belém com destino a Paris. Entre as conexões, foi apontado como dono de uma mala contendo 11 quilos de pasta base de cocaína.

José foi preso no aeroporto da Portela, em Lisboa, no dia 15 de maio, e solto na última quarta-feira, 3. À Rede Globo, a esposa de José, Valdilene Rodrigues, 45, contou que a mala objeto da acusação, a qual seria levada na cabine, foi despachada a pedido da companhia aérea Gol.

"Em Fortaleza, alguém chamou o meu esposo no alto-falante. Uma mulher (funcionária da companhia aérea) foi ao encontro dele, e onde ela informou que havia tido um problema com a bagagem dele, que precisaria botar uma nova etiqueta", relatou Valdilene. O número da etiqueta correspondia ao da mala que continha a droga.

Amparado por advogados no Brasil e em Lisboa, José foi solto e retornou ao Brasil na última sexta-feira, 5. Em Belém, familiares e amigos aguardavam desde cedo pela chegada do empresário - que é mineiro, radicado no Pará há mais de 40 anos. Balões, flores e cartazes fizeram parte da recepção.

O processo na Justiça de Portugal foi arquivado, todavia, a família deseja que haja investigação e que o real culpado seja conhecido. Os advogados vão peticionar reparação de danos materiais e morais referentes aos 48 dias de detenção injusta.

"Ele sofreu muito. Foram 50 dias encarcerado numa cela onde cabem três e havia 15. A esposa passando constrangimento em filas para entrar em presídio. Foi, inclusive, roubada dentro do presídio", afirmou o advogado da família, Fabiano Lopes, ao portal UOL.

O caso

Nas imagens feitas pelas câmeras de segurança dos aeroportos de Belém e Fortaleza - documentos que são parte do inquérito -, José nem Valdilene aparecem levando a mala.

No aeroporto de Lisboa, foi dada voz de prisão ao idoso, o qual foi levado diretamente à sede da Polícia Judiciária Portuguesa onde foi apresentado à Justiça e permaneceu em prisão preventiva na zona de Caxias, por 48 dias.

Em nota à imprensa, a Gol informou cumprir todos os regulamentos de segurança estabelecidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). "A companhia reitera que está à disposição das autoridades para contribuir com as investigações do caso".

Também em nota, a Fraport - empresa que administra o Aeroporto de Fortaleza - informou que "está colaborando com as investigações e que ao receber solicitação de autoridades públicas, cedeu todas as imagens disponíveis".

Ainda conforme a Fraport, o manuseio e a segurança das bagagens despachadas são responsabilidade das companhias aéreas. "A obrigação da Fraport, em consonância com a legislação, é a de inspecionar os passageiros e seus pertences de mão por meio de equipamentos e recursos humanos. A Fraport permanece à total disposição das autoridades".

Lucas Braga