PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Serviluz: moradores relatam preocupação com sobrevoo de helicópteros da Ciopaer no bairro

"Um dos helicópteros se movimentava em voos rasantes sobre as casas enquanto os outros dois ficavam parados", diz o texto da Associação dos Moradores do Titanzinho

23:09 | 05/07/2019

Na manhã dessa quinta, 4, moradores do Serviluz, na comunidade do Titanzinho, foram surpreendidos por barulhos de helicópteros da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) sobrevoando a “uma altura bem próxima às casas” da região. Segundo relato publicado no Facebook, o fato ocorreu às 9 horas e durou cerca de 30 minutos.

“Um dos helicópteros se movimentava em voos rasantes sobre as casas enquanto os outros dois ficavam parados”, diz o texto da Associação dos Moradores do Titanzinho. Com isso, de acordo com a publicação, “senhoras acordaram chorando e pessoas ficaram com a mente embaraçadas e tontas devido ao forte barulho das aeronaves”.

“Não é comum em lugar nenhum do mundo você acordar com três helicópteros sobrevoando sua casa”.

A associação diz ainda que o apresentador de um telejornal local falou que o Governo do Estado estava gravando um vídeo institucional. A reportagem tentou entrar em contato com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e com a Polícia Militar do Estado do Ceará (PM), mas, até a publicação desta matéria, não recebeu respostas que explicassem o motivo do sobrevoo.

Na região, o medo é de que o episódio seja mais um da saga de ameaças de remoção da comunidade por “projetos de gabinetes realizados pelo poder público, tanto estadual como municipal”. O Serviluz também é alvo da especulação imobiliária por causa de sua localização.

Por isso, a publicação ainda diz que o projeto Aldeia da Praia/Serviluz causará “a remoção de mais de seiscentas pessoas do local”, descumprindo o Plano Diretor de Fortaleza. Ele prevê a construção de uma espécie de calçadão de cerca de 1700 metros que se estende pela praia do Titanzinho/Serviluz.

A associação pede ao governador Camilo Santana “respeito pela comunidade e esclarecimentos sobre o ocorrido”.

Ingrid Campos