PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Após cinco meses, obras de ponte que cedeu na Maraponga não foram concluídas

A passagem atual permite apenas que pedestres percorram o local. A ponte cedeu após o dia 24 de fevereiro, quando Fortaleza registrou a maior chuva deste ano

14:07 | 27/06/2019
José Maria Oliveira e sua filha atravessam a ponte na Rua Holanda, na Maraponga.
José Maria Oliveira e sua filha atravessam a ponte na Rua Holanda, na Maraponga.(Foto: Leonardo Maia/Especial para O POVO)

Atualizada às 15h17min para acréscimo da resposta da SCSP

As obras da ponte que cedeu na Rua Holanda, na Maraponga, ainda estão sendo concluídas após cinco meses. A expectativa dos moradores, que têm essa como uma das ruas principais da região, é o término das intervenções no mês de julho. A travessia ruiu após chuva do dia 24 de fevereiro deste ano, quando Fortaleza registrou a maior chuva do ano, de 120 milímetros (mm).

A via, que liga o Jardim Cearense à Maraponga, fica próxima a duas escolas e atrapalha o cotidiano de estudantes. Nicole Estéfanie, 16, afirma que já perdeu aula em algumas oportunidades porque teve que fazer um caminho maior por uma via paralela para evitar a travessia. “Faz uns 10 dias que melhorou e dá para atravessar sem muita dificuldade, em relação há alguns meses. Espero que as obras continuem nesse ritmo”, pontua.

Em abril deste ano, O POVO Online esteve no local para acompanhar o problema e entrevistou o reciclador Cassiano Michel dos Santos, 37. Ele não conseguia fazer a travessia, devido à estrutura precária da ponte que não suportava a passagem do carrinho que usa para trabalhar.

Na manhã desta quinta-feira, mesmo com um andamento considerável da obra, Cassiano ainda precisa pegar uma via paralela para ultrapassar o obstáculo. Com isso, ele precisa gastar 40 minutos para fazer um deslocamento que faria em cinco. “Ao menos agora eu vejo que eles têm interesse em concluir essa obra, sempre tem muita gente trabalhando há alguns dias”, pondera.

A ponte permite apenas a passagem de pedestres, que ainda enfrentam dificuldades para chegar ao outro lado. José Maria Oliveira, 41, passa pelo local diariamente com sua filha de 6 anos. Ele relata que tem medo que a menina fique nervosa e acabe se desequilibrando. “Essa é uma obra simples, não é uma ponte tão grande, mas estamos aguardando terminar. Tudo que envolve mobilidade faz falta”, lamenta.

A Secretaria da Conservação e Serviços Públicos (SCSP) respondeu ao O POVO Online em nota. A pasta informou quea construção de um novo pontilhão na rua está em andamento. "No local, já foi construída uma galeria celular para dar maior vazão de águas pluviais. Além dessa intervenção de drenagem, o projeto inclui a recomposição do asfalto na via".

Conforme a SCSP, "durante as fortes chuvas ocorridas na Cidade, parte da estrutura do pontilhão cedeu e, para que essas obras fossem retomadas, foi necessário fazer um desvio momentâneo do curso do rio, por meio de um dique, pois o nível da água estava muito elevado". Quando vieram mais chuvas, o nível do rio aumentou ainda mais, segundo a secretaria, "fazendo com que as obras fossem pausadas novamente naquela ocasião, ocasionando um reajuste no cronograma de execução dos serviços".

O POVO Online questionou à SCSP o prazo para conclusão da obra, mas isso não foi informado na nota.

Leonardo Maia / ESPECIAL PARA O POVO