PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Reunião entre reitoria da UFC e PM discutirá segurança no Campus do Pici

A Polícia investiga denúncia de estupro no campus da universidade. Após serem definidos encaminhamentos, o reitor entrará em contato com Roberto Cláudio para discutir as partes que cabem à Prefeitura de Fortaleza

22:46 | 20/05/2019
Alunos do Instituto de Educação Física e Esporte da UFC fizeram manifestação por melhorias na segurança.
Alunos do Instituto de Educação Física e Esporte da UFC fizeram manifestação por melhorias na segurança.(Foto: Mauri Melo)

Estudantes de Educação Física da Universidade Federal do Ceará (UFC) protestaram nesta segunda, 20, por transporte e segurança, após denúncia de estupro no Campus do Pici. As reivindicações apresentadas por eles serão pauta de reunião nesta terça-feira, 21, na reitoria da universidade.

O reitor Henry Campos discutirá medidas de segurança no Pici junto ao chefe da Unidade de Segurança da Polícia Militar no Pici, ao diretor do Instituto de Educação Física e Esportes (Iefes), professor Antônio Barroso Lima, ao superintendente de Infraestrutura e Gestão Ambiental, a representantes dos estudantes do curso e ao Diretório Central dos Estudantes (DCE).

Estarão em pauta a identificação de quem entra no espaço, a ampliação da rota do ônibus municipal que trafega pelo Campus, a frequência da poda do mato no entorno do instituto e o esquema de segurança nas entradas e saídas do Campus.

Após serem definidos encaminhamentos, o reitor entrará em contato com Roberto Cláudio para discutir as partes que cabem à Prefeitura de Fortaleza.

O caso

Uma aluna do curso de Educação Física da Universidade Federal do Ceará (UFC) denuncia que pegou carona com um desconhecido ao sair do Iefes e foi estuprada por ele. Segundo nota divulgada pelo Centro Acadêmico Ayrton Senna, o motorista estava armado. O caso ocorreu na tarde da última sexta-feira, 17, e foi registrado no plantão do 10º Distrito Policial (DP).

Pegar carona para se deslocar no Campus do Pici é costume entre os alunos, principalmente quando partem do Iefes. Este é um dos prédios mais isolados dentro do Pici, fazendo com que até o ônibus municipal que percorre todo o campus não passe por ele. Outra alternativa é ir a pé até a saída da UFC, mas estudantes alegam risco de assalto.

Ao O POVO Online, a universidade informou ter prestado apoio à vítima e a acompanhado até um hospital para receber atendimento médico. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a ocorrência é investigada pelo 27° DP, responsável pela área.

Ingrid Campos