PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Estudantes de Educação Física protestam por transporte e segurança após denúncia de estupro

As aulas estão suspensas temporariamente, até que as demandas dos alunos sejam atendidas

16:04 | 20/05/2019
Alunos do Instituto de Educação Física e Esporte da UFC fazem manifestação no Campus do Pici por melhorias na segurança
Alunos do Instituto de Educação Física e Esporte da UFC fazem manifestação no Campus do Pici por melhorias na segurança(Foto: Mauri Melo/Mauri Melo)

O transporte dentro do Campus do Pici, da Universidade Federal do Ceará (UFC), é alvo de reclamação dos estudantes do curso de Educação Física há anos. A denúncia de estupro sofrido por uma aluna ao pedir carona dentro do campus na sexta-feira, 17, foi o estopim para a organização de um protesto, nesta segunda-feira, 20. A manifestação começou no Pici e seguiu até a Reitoria, no Benfica. As aulas no curso estão suspensas.

A sede do Instituto de Educação Física e Esportes (Iefes) fica em uma parte distante do centro do campus e, segundo os alunos, o ônibus municipal que faz o percurso entre blocos da universidade não chega até lá. Já a van designada para levar apenas os alunos do instituto quebra frequentemente, deixando os estudantes sem opção.

“Quando não tem transporte a gente vem a pé, com risco de ser assaltado, o que já aconteceu várias vezes, ou então pede caronas”, diz a estudante Ravenna de Freitas. Ela é integrante da gestão do Centro Acadêmico Ayrton Senna e explica que o ato busca pressionar a universidade para que a situação do transporte seja regularizada. “A gente não sabe qual opção (de deslocamento) é a menos perigosa”, diz o aluno André Linhares, que relembra casos de insegurança, como tiroteios e até achado de corpos na quadra usada pelos estudantes.

O instituto fica localizado em uma parte isolada do campus do Pici e, segundo os alunos, não tem transporte adequado para a área
O instituto fica localizado em uma parte isolada do campus do Pici e, segundo os alunos, não tem transporte adequado para a área (Foto: Mauri Melo)

Na sexta-feira, conforme a denúncia, a vítima saía do Iefes e pediu carona a um desconhecido porque não tinha ônibus na região. O motorista estava armado e estuprou a jovem. O caso foi registrado no 10º Distrito Policial e deve ser investigado.

Depois da ocorrência, a coordenação do curso espalhou avisos pela sede pedindo que os alunos evitem pegar caronas com pessoas desconhecidas, principalmente se estiverem sozinhos. Outro aviso comunicava a decisão do Conselho Geral do Iefes de paralisar as aulas temporariamente, até que as demandas dos alunos sejam atendidas.

FORTALEZA, CE, BRASIL, 20-05-2019: Alunos do Instituto de Educação Física e Esporte da UFC, fazem manifestação, no Campus do Pici, por falta de segurança. (Foto: Mauri Melo/O POVO).
FORTALEZA, CE, BRASIL, 20-05-2019: Alunos do Instituto de Educação Física e Esporte da UFC, fazem manifestação, no Campus do Pici, por falta de segurança. (Foto: Mauri Melo/O POVO). (Foto: Mauri )

O curso de Educação Física tem atividades nos três turnos, muitas vezes com aulas que vão até as 22 horas.

Os estudantes pedem que o ônibus municipal que passa dentro do Campus do Pici comece a circular também até o Iefes. Solicitam ainda que a poda do mato no entorno do instituto seja frequente. Além disso, os alunos e o Conselho Geral exigem que uma maior segurança seja feita nas entradas e saídas do campus.

RESPOSTA DA UFC

No sábado, a Universidade Federal do Ceará (UFC) afirmou ter dado assistência à estudante e lamentou o fato. Nesta segunda, após a manifestação, O POVO Online voltou a entrar em contato com a instituição e aguarda um posicionamento sobre as reivindicações.

Redação O POVO Online