PUBLICIDADE
Notícias
SEM ESCOAMENTO

Alagamento prejudica trânsito na avenida Alberto Craveiro mesmo depois de horas sem chuvas

Motociclistas passando por calçadas para desviar do trecho alagado era cena recorrente na manhã desta segunda-feira, 25

13:51 | 25/02/2019
Desde o fim de semana, quando Fortaleza registrou a maior chuva do ano até então, parte da via ficou com alto volume de água. (Gustavo Simão/ Especial para O POVO)
Desde o fim de semana, quando Fortaleza registrou a maior chuva do ano até então, parte da via ficou com alto volume de água. (Gustavo Simão/ Especial para O POVO)

Ponto de alagamento na avenida Alberto Craveiro, próximo ao estacionamento do Makro, é motivo de transtorno no trânsito de Fortaleza na manhã desta segunda-feira, 25. Desde o fim de semana, quando a Capital registrou a maior chuva do ano até então, parte da via ficou com alto volume de água. Problemas para o escoamento recorrentes do local não permitiram que a poça secasse, mesmo depois de horas sem novos eventos de chuva.

O POVO Online visitou o local por volta de 11h30min e percebeu a dificuldade que os motoristas tinham de passar no trecho alagado, causando engarrafamento. A situação é recorrente, segundo relatos de pedestres. Também foram prejudicados cidadãos que precisavam pegar ônibus na avenida, pois a água estava acima do nível da calçada, sendo difícil chegar até o transporte sem se molhar.

Motociclistas tentavam rotas alternativas ou subiam pelas calçadas da avenida. Enquanto tentava acessar o outro lado do ponto de alagamento pelo passeio, um casal que estava de moto acabou escorregando na lama e caindo. Eles não sofreram graves escoriações. Quem saía do estacionamento do supermercado de carro ficava apreensivo, com medo de passar pela água acumulada e causar danos ao veículo.

Sindirley Rodrigues, de 25 anos, tentava ajudar os motoristas em troca de dinheiro. Ele e outro jovem colocaram pedras próximas às calçadas para facilitar a passagem de motos. Também estavam guardando as placas que caíam dos veículos com a força da água. Segundo ele, os motoristas voltam para procurar as placas e os retribuem com alguma quantia. Algumas foram entregues a equipes policiais que passavam na região.

Motociclistas fugindo do trecho alagado transitando por cima da calçada (Gustavo Simão/ Especial para O POVO)
Motociclistas fugindo do trecho alagado transitando por cima da calçada (Gustavo Simão/ Especial para O POVO) (Foto: Gustavo Simão)

Placas que caiam de carros quando passavam no alagamento eram guardadas por jovens que ajudavam no trânsito(Alexia Vieira/Especial para O POVO)
Placas que caiam de carros quando passavam no alagamento eram guardadas por jovens que ajudavam no trânsito(Alexia Vieira/Especial para O POVO) (Foto: Alexia Vieira/Especial para O POVO)

Alexia Vieira