Participamos do
Imagem destaque

Prevenção de acidentes e doenças no trabalho é tema de webinar gratuito nesta segunda, 29

Médico do trabalho Alexandre de Lima, da FIEC, dá orientações para empregadores neste momento de crise
07:00 | Nov. 27, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Publieditorial

Durante a pandemia, a preocupação com a saúde física e mental se intensificou em todos os setores produtivos. Por isso, o terceiro painel do webinar “Saúde e Segurança no Trabalho”, que acontece nesta segunda-feira, 29, terá como tema “Prevenção de acidentes e doenças ocupacionais em épocas de crise”.

O painel, que começa às 10h40min, contará com a participação de Alexandre de Lima, médico do trabalho corporativo do Serviço Social da Indústria (SESI) e Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no site do evento.

No webinar, o profissional irá abordar as medidas de âmbito médico sobre o assunto, assim como os principais aspectos da qualidade de vida no trabalho no período de pandemia e pós-pandemia, que devem estar no centro da atenção dos empregadores.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

De acordo com Alexandre, eles devem cumprir e estar atentos às determinações legais e recomendações das autoridades sanitárias, tais como medidas gerais de prevenção, controle e mitigação dos riscos de transmissão da Covid-19 em ambientes de trabalho, condutas em relação a eventuais casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, higiene das mãos e etiqueta respiratória.

Também são pontos que exigem mais cuidados medidas como a manutenção do distanciamento social, ventilação, limpeza e desinfecção dos equipamentos e ambientes de trabalho, condutas preventivas em relação aos grupos de risco para a doença e regramento dos equipamentos de proteção individual (EPI) e outros equipamentos de proteção, além de refeitórios e vestiários.

Para Alexandre, a atuação dos profissionais prevencionistas, como o médico do trabalho e o engenheiro de segurança do trabalho, é essencial para a construção de um espaço seguro e saudável. Por isso, a posição de liderança da FIEC junto a indústria cearense e a sociedade como um todo permitiu, desde o primeiro momento, uma parceria com as autoridades sanitárias do Estado e dos municípios na proteção desses setores contra o vírus e a crise causada pela pandemia, com recomendações para a retomada das atividades econômicas de forma escalonada e segura.

Como serviços prestados pela FIEC é possível citar, por exemplo, a atuação do SESI em Segurança e Saúde do Trabalho, com consultas de telemedicina e de testes de Covid-19 para os trabalhadores, assim como a produção do Elmo (capacete) pela FIEC e pelo SENAI, usado para otimizar a oxigenação de pacientes com Covid-19. “A FIEC teve atuação destacada e de liderança durante todo o período da pandemia, fazendo parte do Comitê Estadual de Combate à Pandemia, com forte atuação do SENAI e do SESI, promovendo orientações e recomendações para todo o setor industrial e para a sociedade”, aponta o médico.

Webinar “Segurança e Saúde do Trabalho - Como Investir na Construção do Trabalho Seguro em Tempos de Crise”

Quando: 29 de novembro de 2021

Programação: 8h30min - Cerimônia de abertura

8h40min - Painel I: Os desafios da execução do trabalho seguro em tempos de crise

9h40min - Painel II: Prevenção de acidentes do trabalho e de doenças relacionadas ao trabalho em épocas de crise

10h40min - Painel III: A importância do meio ambiente de trabalho no desenvolvimento de
atividades saudáveis

Inscrições: https://especial.opovo.com.br/segurancadotrabalho/

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente
Imagem destaque

Saúde e Segurança do Trabalho: Célula Especial da Assembleia Legislativa realiza ações preventivas

PUBLIEDITORIAL
11:19 | Nov. 26, 2021 Tipo Publieditorial

Essencial para assegurar saúde e dignidade ao trabalhador, a segurança do trabalho teve sua importância ampliada com a chegada da pandemia. Além do combate à Covid-19, questões de saúde mental precisaram ganhar mais espaço no ambiente de trabalho, tanto para cuidar das pessoas quanto do funcionamento das organizações. Por isso, em Fortaleza, o Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS) da Assembleia Legislativa do Ceará criou o Núcleo de Saúde do Trabalhador, instalado sob a gestão do presidente Evandro Leitão (PDT) e inaugurado em junho do ano passado.

Composta por uma equipe multidisciplinar (médico do trabalho, enfermeira do trabalho, fisioterapeuta ergonomista, engenheira do trabalho e técnica de segurança do trabalho), a nova célula foi idealiza pela primeira-dama do legislativo, Cristiane Leitão, e inaugura serviços que agregam aos já oferecidos pelas demais especialidades já existentes no DSAS (nutrição, enfermagem, fisioterapia, clínica médica, fonoaudiologia, psicopedagogia, entre outras) o cuidado integral e sistêmico.

De acordo com o orientador da Célula, médico do trabalho Joaquim Garcia, o objetivo do espaço é voltar o olhar para os trabalhadores da Casa (servidores e terceirizados) no que se refere a promoção de saúde através de ações educativas no ambiente laboral.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“A nossa principal ação foi o desenvolvimento do protocolo de biossegurança, implantado para o retorno das atividades presenciais e apresentado a todos os setores da casa legislativa com o propósito de preservar a saúde de nossos colaboradores. Também desenvolvemos ações em parceria com outros setores, como orientações sobre alimentação saudável, higiene ocupacional, ginástica laboral, e um curso de primeiros socorros”, conta Joaquim.

Além do combate à Covid-19, a discussão sobre saúde mental precisou ganhar maior espaço no ambiente de trabalho, no que tange ao cuidado com as pessoas e quanto à dinâmica de funcionamento das organizações.

A equipe multidisciplinar que é responsável pelo espaço aponta a necessidade de intervir na prevenção de acidentes no ambiente de trabalho. “A célula é mais um canal aberto com o servidor, que já tinha à sua disposição outras especialidades, e expressa o olhar humanizado da gestão para seus colaboradores”, completa a primeira-dama do parlamento, Cristiane Leitão.

Até agora, já foram realizadas 17 ações coletivas que beneficiaram trabalhadores e suas famílias. De acordo com o diretor do DSAS, Luís Edson Corrêa, novas ações estão sendo estruturadas neste fim de ano e devem entrar no calendário de 2022.

Garantindo o trabalho seguro na pandemia

Ações que beneficiam o trabalhador e as organizações são essenciais para que a retomada das atividades presenciais ocorra da melhor forma. Pensando nisso, O POVO realiza um webinar gratuito sobre o tema no próximo dia 29, a partir das 8h30min, para todos os interessados no assunto. As inscrições para o evento online podem ser feitas neste link.

SERVIÇO

Webinar “Segurança e saúde do trabalho: como investir na construção do trabalho seguro em tempos de crise”

Quando: 29 de novembro de 2021, a partir das 8h30min

Programação:

8h30min - Cerimônia de abertura

8h40min - Painel I: Os desafios da execução do trabalho seguro em tempos de crise

9h40min - Painel II: Prevenção de acidentes do trabalho e de doenças relacionadas ao trabalho em épocas de crise

10h40min - Painel III: A importância do meio ambiente de trabalho no desenvolvimento de atividades saudáveis

Inscrições e mais informações: https://especial.opovo.com.br/segurancadotrabalho/

Gratuito

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente
Imagem destaque

Especialista alerta sobre direitos e deveres no mercado para um ambiente de trabalho seguro

06:00 | Nov. 25, 2021 Tipo Publieditorial

O Webinar de Segurança e Saúde do Trabalho ocorre no próximo dia 29, às 10h40, e conta com três painéis. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no site do evento. O primeiro painel, de tema “Os desafios da execução do trabalho seguro em tempos de crise”, será voltado para a segurança do trabalhador no seu local de trabalho e o direito a ter um ambiente profissional sadio, principalmente neste momento em que a pandemia causou sérios prejuízos na sociedade.

“Cabe à empresa dar ao trabalhador um ambiente de trabalho sadio e seguro, com estrutura adequada, banheiros com qualidade”, explica um dos palestrantes do painel, o Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT), Francisco José Gomes. Caso a empresa não cumpra com esses deveres, o trabalhador tem o direito de procurar o poder judiciário para reverter a situação, alerta o especialista.

Neste momento de pandemia, Francisco analisa que o principal campo afetado negativamente foi o psicológico, causando até depressão em muitas pessoas. “Empresas fecharam e as pessoas passaram a trabalhar em casa, sem estarem preparadas. Tiveram que adaptar a convivência familiar, readequar espaços”, aponta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

De acordo com o Desembargador, as empresas devem olhar o trabalhador de forma humanizada, e não apenas como um meio de lucro. “Uma pessoa feliz produz muito mais e com mais qualidade”, garante.

Serviço

Webinar “Segurança e Saúde do Trabalho - Como Investir na Construção do Trabalho Seguro em Tempos de Crise”

29/11

8h30 - Cerimônia de abertura

8h40 - Painel I - Os Desafios da Execução do Trabalho Seguro em Tempos de Crise;

9h40 - Painel II - A Importância do Meio Ambiente de Trabalho no Desenvolvimento de Atividades Saudáveis;

10h40 - Painel III - Prevenção de Acidentes do Trabalho e de Doenças Relacionadas ao Trabalho em Épocas de Crise.

 

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Segurança do trabalho deve incluir cuidados com a saúde mental dos funcionários, ressalta juíza

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Dez. 07, 2020 Tipo Publieditorial

Com a mudança repentina do regime presencial de trabalho para o regime remoto, o ambiente residencial se tornou comercial, ocasionando uma série de dificuldades para muitos trabalhadores. Entre as principais queixas, estão questões como problemas de ergonomia, ausência de ambiente exclusivo para trabalho e problemas para gerir tarefas domésticas durante o expediente, como o cuidado com os filhos.

Para auxiliar empresários e funcionários na gestão desse novo modelo de trabalho, a magistrada Mirella Cahú, que atua como Juíza do Trabalho Substituta na 4ª VT de João Pessoa, irá ministrar uma palestra sobre como manter a saúde e a segurança do trabalho na atualidade, nos modelos presencial e home office. O evento integra a programação do webinar Saúde e Segurança do Trabalho, que ocorre no próximo dia 7 de dezembro, e discutirá as adequações que devem ser feitas em tempos de pandemia.

“As normas de segurança e saúde devem ser aplicadas ao local onde há prestação de serviços, seja ele uma fábrica ou a residência de cada um dos trabalhadores. Muita gente ainda está despreparada para essa nova realidade, e no home office, há aspectos específicos que dizem respeito ao estresse, ao conflito família x trabalho e aos aspectos ergonômicos, que muitas vezes são desconsiderados”, explica.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na ocasião, Mirella, que é especialista em Psicologia Organizacional e mestranda em Psicologia Social, também irá comentar sobre a importância do cuidado com a saúde mental dos trabalhadores, especialmente em momentos de crise. Para a magistrada, todos os trabalhadores precisam de atenção especial no momento em relação a fatores como estresse, medo e ansiedade, seja em casa ou no retorno ao ambiente de trabalho.

“Quando pensamos em segurança do trabalho, pensamos muitas vezes apenas em equipamentos de proteção individual (EPIs) e quedas, mas a legislação prevê um ambiente saudável do trabalho e isso também inclui aspectos de saúde mental. É preciso entender o reflexo dessa mudança de regime e também que retomar o trabalho presencial pode aplicar também um fator estressor, por causa do medo do contágio”, afirma.

Serviço

Webinar Saúde e Segurança do Trabalho

Data: 7 de dezembro de 2020

Horário: A partir das 14 horas

Inscrições gratuitas: https://especial.opovo.com.br/segurancadotrabalho

 

 

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Webinar gratuito discutirá possibilidades e tendências da segurança do trabalho em tempos de Covid-19

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Dez. 04, 2020 Tipo Publieditorial

Com a retomada de quase todos os setores da economia no Brasil antes da chegada da vacina contra a Covid-19, a atenção à saúde e à segurança dos trabalhadores teve que ser redobrada para evitar o adoecimento de colaboradores - sem esquecer, é claro, dos demais riscos que cada função trabalhista já oferecia antes da pandemia. Para discutir tendências e possibilidades da área e auxiliar empregadores e funcionários na implementação das normas vigentes, o Grupo de Comunicação O POVO realiza, no próximo dia 7, o webinar gratuito “Saúde e segurança do trabalho: a retomada pós-pandemia”, com a presença de autoridades no assunto. Ao todo, serão realizadas cinco palestras, com início às 14 horas.

Segundo Francisco José Gomes, desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região e mediador da palestra “Protocolos de segurança: obrigações e deveres de empresas e trabalhadores na retomada segura das atividades presenciais”, a discussão é necessária porque, ainda que haja informação sobre a temática, muitos empresários têm desrespeitado as normas de prevenção estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Para o desembargador, comércio e indústria são os setores que devem ficar ainda mais atentos neste momento.

“Aqui no Estado, a Fiec tem feito um bom trabalho de orientação com seus filiados, mas ainda assim há empresários que não respeitam o distanciamento ou não disponibilizam álcool gel e máscaras. É preciso entender que eles são equipamentos de trabalho e, portanto, o custo deve ser do empregador. Outro problema é o transporte coletivo: as empresas, muitas vezes, colocam todos os trabalhadores juntos em um só veículo, e é necessário manter o distanciamento também nesse momento”, ressalta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Cultura de prevenção deve vir da gestão

É certo que o compromisso dos trabalhadores com as normas de prevenção deve ser exigido e fiscalizado para evitar riscos a todos. Porém, de acordo com Sebastião Geraldo de Oliveira, desembargador do TRT-3 e gestor nacional do Programa Trabalho Seguro, o principal passo para construir um ambiente de trabalho saudável é a instituição de uma cultura de prevenção pela alta direção das empresas.

“Se a direção não estiver preocupada, a postura isolada de um ou outro trabalhador não vai resolver o problema. É preciso vir de cima pra baixo. Nesse momento de 'economia de guerra', o empregador pode negociar jornada de trabalho, salário, até suspender o contrato do trabalhador, tudo isso é admissível em um momento de exceção - mas a constituição não está em lockdown e as normas de segurança não estão em quarentena”, pontua.

O especialista, que irá ministrar a palestra sobre protocolos de segurança no evento, ressalta que a segurança e a medicina do trabalho também devem ter como foco a saúde mental dos trabalhadores, já que a mudança de rotina e a crise causada pela Covid-19 podem servir como “desculpa” para chefias assediarem e perseguirem os funcionários.

“Além da pandemia, enfrentamos uma infodemia, ou seja, um excesso de notícias - verdadeiras e falsas. A empresa precisa cuidar disso também, com o cuidado de não criar um ambiente hostil. A postura empresarial deve semear esperança, e lembrar que isso também vai passar. As empresas vão prosseguir, as pessoas vão continuar consumindo, se alimentando, se vestindo e vamos precisar de empregadores, trabalhadores e recolhimento de tributo. Por isso, não podemos desanimar”, conclui.

Serviço

Palestra “Protocolos de segurança: obrigações e deveres de empresas e trabalhadores na retomada segura das atividades presenciais”

Quando: 7 de dezembro de 2020, a partir das 15h10min

Inscrições: Online até o dia do evento. Clique aqui

Acesso gratuito

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Segurança do trabalho na saúde: Unimed Fortaleza reforça medidas de prevenção para cuidar de quem salva vidas

PUBLIEDITORIAL
07:00 | Dez. 02, 2020 Tipo Publieditorial

A segurança do trabalho, fundamental para evitar acidentes e promover o bem-estar para funcionários das empresas, ganhou ainda mais importância após a chegada da pandemia. Com o surgimento da Covid-19, as preocupações desta área - muitas relacionadas à estrutura física dos espaços de trabalho - se voltaram fortemente para a saúde, especialmente para profissionais na linha de frente do combate à doença.

Visando garantir a segurança de seu quadro de colaboradores durante a crise, a Unimed Fortaleza elaborou um novo plano de ação, com medidas que reforçam os cuidados sanitários que já existiam e a implementação de novos protocolos. Além da triagem de funcionários que integravam o grupo de risco, remanejando-os para funções já existentes ou criando novos setores, como o de médicos comunicadores, um dos principais investimentos da empresa foi a garantia da paramentação adequada para os profissionais de saúde. O Dr. Elias Leite conta sobre essas e outras estratégias de sucesso no combate à Covid-19, no webinar Saúde e Segurança do Trabalho, realizado pelo O POVO, dia 7 de dezembro. As inscrições são gratuitas.

“Quando estávamos no início da pandemia, o que mais escutávamos de outros locais era que estavam faltando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Por isso, fizemos uma programação de compras para aumentar nossos estoques e elaboramos um protocolo de utilização com foco no uso racional, porque as pessoas estavam com muito medo e poderiam usar EPIs de maneira desnecessária ou inapropriada”, explica a diretora geral do Hospital Unimed Fortaleza, Dra. Fernanda Colares.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A conscientização também foi reforçada em relação aos procedimentos de desparamentação, ou seja, de retirada dos EPIs, momento considerado um dos mais perigosos no que diz respeito à contaminação por coronavírus. “Outro momento decisivo para a contaminação são os momentos de descontração, como a hora das refeições ou o transporte. Por isso, aumentamos o fluxo de ônibus para os colaboradores e dividimos os horários de uso do refeitório para evitar aglomerações dentro e fora do hospital”, completa Dra. Fernanda.

Segurança do trabalho e saúde mental

Outro aspecto que precisou ser ampliado para garantir a segurança de funcionários e pacientes foi o da saúde mental. Lidando com o medo constante, perdas humanas e enfrentando altos níveis de estresse e tensão, os colaboradores da Unimed Fortaleza precisaram de suporte extra para conseguir enfrentar a parte mais crítica da pandemia.

Segundo Dra. Fernanda, para prevenir problemas de adoecimento mental, foram oferecidas sessões de massoterapia, visando o relaxamento dos profissionais, bem como um plantão psicológico que segue em funcionamento. “Quando os números de casos começaram a diminuir, percebemos que atestados por questões psiquiátricas começaram a aumentar. Então, investimentos em momentos de escuta e acolhimento para todos os colaboradores. Precisamos cuidar de quem cuida para sair dessa situação”, lembra.

O que fica de lição

Apesar de já ser um segmento muito preocupado com a segurança do trabalho pela relação direta com a saúde, novos protocolos podem ser incorporados à rotina dos profissionais nos próximos anos, mesmo após a chegada da vacina contra a Covid-19. Um dos pontos que pode permanecer após a pandemia é o uso constante de máscaras nos setores administrativos, já que antes ele era obrigatório apenas para profissionais em contato direto com pacientes.

“Nossa paramentação e demais protocolos já eram bastante preparados, pois lidamos com outras doenças infectocontagiosas que exigem muita atenção, o que mudou foi a proporção que demos a estes cuidados. O uso da máscara apenas por parte dos setores, porém, pode ser algo que não volte mais, que tenhamos um ‘novo normal’ quanto a isso. E certamente aprendemos que o mundo virtual veio para ficar, o que irá dinamizar o formato de trabalho, com implantação de mais reuniões virtuais e home office nos setores administrativos”, conta a diretora.

Serviço

Webinar Saúde e Segurança do Trabalho

Dia 7 de dezembro

A partir das 14h

Inscrições gratuitas: https://especial.opovo.com.br/segurancadotrabalho

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags