PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL GuiaDoEmpreendedor

O sucesso dos clubes de assinatura

Em plena expansão, o setor de comércio eletrônico ganhou um grande reforço nos últimos 10 anos com a criação dos clubes de assinatura. A variedade de itens e o atendimento personalizado têm captado cada vez mais clientes

27/11/2018 14:45:00
NULL
NULL

[FOTO1]

Receber uma caixa recheada de produtos sem saber exatamente o que vai encontrar lá dentro é a ideia que movimenta os milhares de clubes de assinatura Brasil afora. Os temas dos clubes são os mais variados possíveis. Vão desde produtos para pets, lingeries, produtos de beleza, livros, vinhos, até ingredientes da alta gastronomia.

O boom dos clubes de assinatura se traduz no crescimento do número de empresas com vendas online. Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcom), em 2014, existiam cerca de 300 empresas ativas nesse mercado. Atualmente, são mais de 800. “É um mercado em que a tendência é só crescer porque as pessoas estão procurando cada vez mais comodidade”, destaca Marta Campelo*, mestra em negócios internacionais.

Um dos cases de sucesso na área é o Leiturinha, um clube de assinatura de livros para crianças. Pioneiro no atendimento ao público infantil, ele foi fundado em 2014 e hoje já conta com mais de 100 mil assinaturas. Mensalmente, a criança recebe em casa um livro de acordo com a sua faixa etária. A empresa aposta ainda na entrega de brindes e itens exclusivos para os assinantes.

Vantagens para clientes e empresas

Esse tipo de comercialização não é novo. Jornais e revistas já o utilizam há muito tempo, porém, a expansão do mundo online permitiu a variedade e a personalização dos produtos para cada nicho de mercado.

Os fatores surpresa, exclusividade e comodidade são os principais apelos para fidelizar os clientes. Para as empresas, a grande vantagem é que os clubes de assinatura permitem um maior controle nas contas através dos pagamentos recorrentes. 

Além disso, o fato de criar um clube de assinatura para determinado produto não impede que a empresa mantenha suas vendas avulsas. “O diferencial dos clubes de assinatura é que você já tem em casa o produto que precisa sem precisar ficar todo mês procurando. Você já conhece a qualidade dos produtos que a empresa oferece, então já faz uma compra programada”, pontua a especialista.

Clubes de assinatura no Ceará

A expansão dos clubes de assinatura despertou também o interesse de empreendedores cearenses, que vêm inovando e se fortalecendo dentro do setor. É o caso do casal Daniel Herculano e Lívia Menezes, que criou, em 2016, o Clube Box, um clube de assinatura que envia aos clientes caixas temáticas com itens que mesclam cinema e literatura.

Com planos a partir de R$ 79,90 por mês (%2b frete, no plano semestral), o cliente recebe em casa um livro, um filme em DVD e uma camiseta personalizada exclusiva para assinantes. Os itens são sempre referentes a um tema ligado ao mundo do cinema, cuidadosamente escolhido por Daniel, que é também jornalista e crítico da área. O trio vai acompanhado ainda com brindes que os amantes de cinema e do mundo geek amam colecionar. 

Em pouco mais de dois anos de funcionamento, o Clube Box já soma 200 assinaturas, a maior parte delas de clientes de São Paulo. O trabalho de curadoria, de busca por lançamentos e boas negociações em editoras, além do manuseio dos produtos são trabalhosos, mas Daniel conta que o retorno financeiro tem valido a pena.

“Tem meses que a gente se olha e pergunta se vale a pena, mas foram pouquíssimos. Nesses 30 meses, a gente teve três meses com prejuízo e mais uns três empatados, o resto foi tudo algo para cima, outros bem para cima”, comemora.

Investimento em vida saudável

Na tentativa de aliar o interesse de famílias por hábitos alimentares mais saudáveis à comodidade de ter os alimentos prontos para consumo, os empresários Daniel França e Anne Bandeira montaram o Kitandeiro Frutas Frescas. 

A empresa entrega aos clientes caixas recheadas de frutas in natura já higienizadas e embaladas em porções prontas para consumo. Os planos são mensais (ciclos de quatro semanas) e a quantidade de frutas de cada caixa varia de acordo com o plano contratado. No plano individual, por exemplo, o cliente recebe duas porções diárias de fruta.

Criado há pouco mais de dois anos, o negócio já chegou a atender 70 clientes pessoa física e agora vem ampliando o leque de clientes. Mais recentemente, eles começaram a atender também empresas e eventos infantis.

Além disso, os empresários estão apostando na onda da alimentação fitness, investindo também na oferta de saladas de folhas no pote e sucos naturais, que podem ser mesclados nas caixas de frutas, de acordo com a demanda do cliente. “A gente tenta personalizar ao máximo para atender os nossos clientes. O importante é que eles fiquem satisfeitos”, explica Anne Bandeira.

*Marta Campelo é analista de comércio exterior do Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa do Ceará (Sebrae/CE). 

( ) Saiba mais sobre empreendedorismo 

TAGS