PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL GuiaDoEmpreendedor

Como aplicar iniciativas sustentáveis numa empresa iniciante

Ser um empreendedor das galáxias e ao mesmo tempo se preocupar com nosso planeta é simplesmente o máximo. Saiba por que ser mais um, ainda que a sua empresa seja iniciante no mercado

24/09/2018 16:16:00
NULL
NULL

[FOTO1]
Será que pensar em negócios ambientalmente sustentáveis é algo viável para a minha empresa, que bem dizer é “apenas uma mudinha”? Será que é algo mais adequado a grandes marcas, aquelas com raízes mais aprofundadas no mercado? Como ser verde sem ficar no vermelho? Estas são apenas algumas das muitas perguntas que os empreendedores se fazem quando pensam em aplicar estratégias de sustentabilidade às suas empresas. 
 
Segundo o estudo “Engajamento dos Pequenos Negócios Brasileiros em Sustentabilidade e aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, lançado em setembro deste ano, o tema vem mesmo ganhando cada vez mais relevância entre as micro e pequenas empresas. De acordo com o relatório, que é a primeira pesquisa nacional sobre o comportamento dos pequenos negócios em sustentabilidade, 54 em cada 100 já adotam alguma prática sustentável. 
 
“Há empresas que ainda estão se adequando ao conceito de sustentabilidade e outras que já nascem para atuar em nichos criados nesse conceito”, aponta a administradora de empresas Elayne Alencar*. “Atribuímos isso a uma percepção de que o cliente está cada vez mais exigente e que considera importante adquirir produtos e serviços de empresas sustentáveis. Além disso, muitas dessas práticas ajudam a reduzir diversos custos operacionais”, complementa. 
 
Iniciante, sim, verde, também
Enfim, quais são as iniciativas mais utilizadas pelos novos empreendedores? “Muitos começam com medidas simples, como a diminuição da geração do lixo”, enumera Elayne. Saem de cena os copinhos de plástico descartáveis e entram as canecas e copos de uso individual. Outra medida bastante utilizada é a separação e doação dos recicláveis para entidades sem fins lucrativos. “É importante ressaltar que a implantação do plano de gerenciamento dos resíduos sólidos é uma exigência da legislação, sujeita a fiscalização e multas”, lembra. 
 
Para quem dispõe de algum dinheiro para investir, uma boa pedida é fazer a substituição de equipamentos obsoletos que consomem mais energia ou a instalação de sensores de presença que acionam a luz apenas quando necessário, por exemplo. Se a empresa consumir muita água em suas atividades diárias, outra dica é apostar na redução do consumo com reaproveitamento de água de pias e chuveiros para atividades de limpezas. 
 
“Com o passar do tempo, o empreendedor vai perceber que a redução do consumo acaba compensando por causa da diminuição do valor das contas”, destaca Elayne. Mais um bom motivo para o empreendedor - iniciante ou não - começar a pensar seriamente em ser sustentável.  
 
 
*Analista da Unidade de gestão e desenvolvimento de soluções do Sistema de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (Sebrae/CE)

TAGS