Participamos do
Imagem destaque

Procedimentos estéticos minimamente invasivos oferecem praticidade a pacientes

Com recuperação rápida e sem intervenção cirúrgica, aplicação de toxina botulínica e de preenchimentos são alternativas para quem busca procedimentos estéticos para rejuvenescimento facial
08:00 | Ago. 16, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

[FOTO1]

Cresceu a procura dos brasileiros por procedimentos estéticos não cirúrgicos, segundo dados do Censo 2016 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). O documento aponta que no ano de 2016, em comparação a 2014, houve aumento de 79,75% dos procedimentos realizados. Sem necessidade de se fazer grandes cortes e com rápida recuperação, os chamados procedimentos minimamente invasivos são uma opção para quem busca mudanças estéticas e, ao mesmo tempo, praticidade.

Conforme lista a SBCP, entre esses processos, estão a aplicação de toxina botulínica, dermoabrasão, laser, peeling químico, preenchimentos cutâneos e plasma rico em plaquetas. “São procedimentos rápidos, que duram em torno de 30 a 60 minutos, e são realizados no consultório, sem riscos. Geralmente, são feitos sem anestesia ou com anestesia tópica, no máximo anestesia local”, explica o cirurgião plástico Ageu Brasil.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Cada uma dessas opções de tratamento é indicada para resolver diferentes situações. Porém, elas não precisam ser realizadas isoladamente. Segundo o cirurgião, ao se combinar os métodos, é possível chegar a resultados mais completos em relação a um maior número de rugas e de locais a serem tratados. “A indicação para cada procedimento é feita pelo médico dependendo do tipo de ruga, localização, tipo de pele etc.”, afirma. Ele acrescenta, ainda, que normalmente não há contraindicação para os procedimentos minimamente invasivos, “exceto em caso de pessoas com alergias ao produto, o que é extremamente raro, ou com alguma doença infecciosa momentânea.”

Aplicação de botox

Entre os procedimentos minimamente invasivos mais procurados pelos pacientes, o cirurgião cita a toxina botulínica - conhecida como botox. Utilizada para rejuvenescimento facial, ela é aplicada com uma injeção não cirúrgica e reduz as chamadas rugas dinâmicas, ou rugas da mímica facial – que ficam na testa, entre as sobrancelhas e ao lado dos olhos, os chamados “pés de galinha”. Para isso, a substância bloqueia sinais nervosos dos músculos escolhidos, enfraquecendo-os e diminuindo marcas indesejadas.

Os efeitos do botox não são sentidos imediatamente. Segundo o cirurgião, eles começam a ser notados a partir de três dias após a aplicação, “mas o pico de efetividade do produto acontece em torno de 15 dias depois.” Ele destaca, ainda, alguns cuidados que devem ser tomados logo após o procedimento. “Pedimos que os pacientes não se deitem nas três horas seguintes à aplicação, não façam atividades físicas nas primeiras 48 horas e que evitem comer mariscos”, afirma Brasil.

Preenchimentos cutâneos

Outro recurso ressaltado pelo médico é a aplicação dos preenchimentos. Também proporcionando efeito de rejuvenescimento, eles são usados para suavizar rugas mais profundas e, geralmente, estáticas - como a do sulco nasogeniano, da asa nasal ao canto da boca, e o bigode chinês, localizado nos cantos dos lábios inferiores. As substâncias mais utilizadas, segundo Brasil, são o ácido hialurônico e o radiesse, gel composto de hidroxiapatita de cálcio. “De um modo geral, não existe diferença entre elas. Existe um tipo de ácido hialurônico que pode ser colocado bem superficial na pele, e o radiesse não poderá ser colocado nesses casos”, afirma.

Preenchimentos dérmicos não são permanentes e deve haver reaplicação das substâncias após certo tempo. Conforme explica o médico, o tempo de duração pode variar de oito a 18 meses, dependendo da profundidade da infiltração e da localização das rugas. Após a realização do procedimento, é indicado que os pacientes façam compressas com gelo no local no dia da aplicação e evitem o consumo de mariscos.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente
Imagem destaque

Conheça procedimentos estéticos para uma pele firme e sem rugas depois dos 40

Publieditorial
07:00 | Abr. 15, 2019 Tipo

Pessoas de 36 a 50 anos são as segundas (34,2%) a mais fazerem procedimentos estéticos no Brasil, de acordo com o último censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Elas ficam atrás apenas da faixa etária de 18 a 35 anos, correspondentes a 38% dos pacientes de cirurgias plásticas em 2016 no país segundo a SBCP. Ainda assim, são para os pacientes de 40 anos adiante que procedimentos de rejuvenescimento facial são mais recomendados por especialistas.

O cirurgião plástico Ageu Galdino Brasil (CRM-CE: 3578 / RQE: 3085) explica que a partir dos 40 o corpo produz menos colágeno, proteína que mantém a aparência jovial da pele, unhas e cabelos. Ainda, a pele retém menos líquidos, ocasionando em desidratação. Por isso, a derme tende à flacidez e formação de rugas, que podem ser amenizadas por tratamentos estéticos.

"A mais procurada é a blefaroplastia, a cirurgia das pálpebras. Depois a rinoplastia, do nariz; e o lifting facial, tratamento que levanta a face como um todo", cita Ageu. A blefaroplastia retira o excesso de pele das pálpebras superiores e inferiores. O cirurgião informa que ela é geralmente realizada por pacientes que reclamam de aparência de cansaço, inchaço ou envelhecimento ao redor dos olhos.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Existem ainda os procedimentos chamados de minimamente invasivos, como o botox e preenchimento, que podem ser realizados em consultórios. "Algumas pessoas começam a injeção de botox com 30 anos para prevenir rugas. Outras, com 20 e tantos anos, já têm o sulco do lado do nariz aprofundado, e podem realizar esse tratamento", conclui o especialista. Para aqueles que desejam retardar o envelhecimento da pele a dica é começar cedo, principalmente a partir dos 20 anos. Ageu recomenda ingerir muito líquido, hábito que deve estar aliado ao uso de cremes faciais e protetor solar.

Entretanto, como em qualquer outra cirurgia, é preciso ter cuidado. Os procedimentos podem ter complicações como sangramentos e infecções se forem mal realizados pelo cirurgião ou mal cuidados pelo paciente. Por isso, é essencial seguir à risca as recomendações médicas, além de fazer exames pré-operatórios, informar todos os problemas de saúde e medicações utilizadas, não omitir o eventual uso de drogas ilícitas e comparecer aos retornos agendados pelo cirurgião para acompanhamento.

Conferir se o médico é associado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica do Ceará confere segurança ao tratamento estético, adverte profissional
Conferir se o médico é associado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica do Ceará confere segurança ao tratamento estético, adverte profissional (Foto: Getty images)

Para evitar complicações

O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica do Ceará (SBCP), Giovanni Martins, dá também algumas dicas de como escolher bem o cirurgião plástico e de como evitar complicações pós-operatórias. Primeiro, a escolha do profissional deve ser criteriosa. É necessário conferir se o médico é associado à SBCP, informação que pode ser confirmada no site da sociedade. Os membros da SBCP têm treinamento em cirurgia de no mínimo cinco anos, são aptos para realizar todo tipo de operação plástica e somente operam em instalações médicas credenciadas. Além disso, eles estão submetidos a um "código estrito de ética".

Indicação de terceiros que já foram operados também é uma boa maneira de encontrar profissionais confiáveis. Além disso, o presidente alerta sobre a pesquisa por cirurgiões pelas redes sociais. "As mídias sociais são facilmente manipuladas por impulsionamentos, e o número de seguidores ou curtidas não representam qualidade profissional", adverte.

Giovanni ainda ressalta que existem situações em que as cirurgias devem ser contraindicadas pelos profissionais, como em casos de dismorfismo corporal. O principal sintoma do transtorno é a percepção distorcida da pessoa sobre a própria imagem, resultando em preocupação excessiva com defeitos pequenos ou até inexistentes. "É cada vez mais comum. Não só em consultórios de cirurgia plástica, mas também em academias pelo uso indiscriminado de anabolizantes", afirma.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Imagem destaque

Procedimentos estéticos minimamente invasivos oferecem praticidade a pacientes

08:00 | Ago. 16, 2017 Tipo

[FOTO1]

Cresceu a procura dos brasileiros por procedimentos estéticos não cirúrgicos, segundo dados do Censo 2016 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). O documento aponta que no ano de 2016, em comparação a 2014, houve aumento de 79,75% dos procedimentos realizados. Sem necessidade de se fazer grandes cortes e com rápida recuperação, os chamados procedimentos minimamente invasivos são uma opção para quem busca mudanças estéticas e, ao mesmo tempo, praticidade.

Conforme lista a SBCP, entre esses processos, estão a aplicação de toxina botulínica, dermoabrasão, laser, peeling químico, preenchimentos cutâneos e plasma rico em plaquetas. “São procedimentos rápidos, que duram em torno de 30 a 60 minutos, e são realizados no consultório, sem riscos. Geralmente, são feitos sem anestesia ou com anestesia tópica, no máximo anestesia local”, explica o cirurgião plástico Ageu Brasil.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Cada uma dessas opções de tratamento é indicada para resolver diferentes situações. Porém, elas não precisam ser realizadas isoladamente. Segundo o cirurgião, ao se combinar os métodos, é possível chegar a resultados mais completos em relação a um maior número de rugas e de locais a serem tratados. “A indicação para cada procedimento é feita pelo médico dependendo do tipo de ruga, localização, tipo de pele etc.”, afirma. Ele acrescenta, ainda, que normalmente não há contraindicação para os procedimentos minimamente invasivos, “exceto em caso de pessoas com alergias ao produto, o que é extremamente raro, ou com alguma doença infecciosa momentânea.”

Aplicação de botox

Entre os procedimentos minimamente invasivos mais procurados pelos pacientes, o cirurgião cita a toxina botulínica - conhecida como botox. Utilizada para rejuvenescimento facial, ela é aplicada com uma injeção não cirúrgica e reduz as chamadas rugas dinâmicas, ou rugas da mímica facial – que ficam na testa, entre as sobrancelhas e ao lado dos olhos, os chamados “pés de galinha”. Para isso, a substância bloqueia sinais nervosos dos músculos escolhidos, enfraquecendo-os e diminuindo marcas indesejadas.

Os efeitos do botox não são sentidos imediatamente. Segundo o cirurgião, eles começam a ser notados a partir de três dias após a aplicação, “mas o pico de efetividade do produto acontece em torno de 15 dias depois.” Ele destaca, ainda, alguns cuidados que devem ser tomados logo após o procedimento. “Pedimos que os pacientes não se deitem nas três horas seguintes à aplicação, não façam atividades físicas nas primeiras 48 horas e que evitem comer mariscos”, afirma Brasil.

Preenchimentos cutâneos

Outro recurso ressaltado pelo médico é a aplicação dos preenchimentos. Também proporcionando efeito de rejuvenescimento, eles são usados para suavizar rugas mais profundas e, geralmente, estáticas - como a do sulco nasogeniano, da asa nasal ao canto da boca, e o bigode chinês, localizado nos cantos dos lábios inferiores. As substâncias mais utilizadas, segundo Brasil, são o ácido hialurônico e o radiesse, gel composto de hidroxiapatita de cálcio. “De um modo geral, não existe diferença entre elas. Existe um tipo de ácido hialurônico que pode ser colocado bem superficial na pele, e o radiesse não poderá ser colocado nesses casos”, afirma.

Preenchimentos dérmicos não são permanentes e deve haver reaplicação das substâncias após certo tempo. Conforme explica o médico, o tempo de duração pode variar de oito a 18 meses, dependendo da profundidade da infiltração e da localização das rugas. Após a realização do procedimento, é indicado que os pacientes façam compressas com gelo no local no dia da aplicação e evitem o consumo de mariscos.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente
Imagem destaque

Bichectomia e ritidoplastia são procedimentos que apostam no rejuvenescimento facial

07:00 | Mar. 31, 2017 Tipo

[FOTO1]

Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps, na sigla em inglês), sete dos 15 principais procedimentos realizados em 2015 foram na face. No consultório do cirurgião plástico Ageu Brasil, dois procedimentos estão em alta: a bichectomia e a ritidoplastia cervical. O primeiro aposta em um rosto mais harmônico enquanto o segundo frisa detalhes como flacidez e rejuvenescimento da região do pescoço.

Bastante procurado pelas celebridades e o público jovem, a bichectomia consiste em retirar a gordura que fica abaixo da maçã do rosto. “A maçã fica mais proeminente e a face fica mais triangular”, afirma Brasil. Segundo o cirurgião, esse desejo pela face mais afilada na parte inferior  se dá à associação de face quadrada à de uma pessoa mais idosa. “A triangular são de pessoas jovens, com mandíbula delineada”, completa.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Recente no mercado, a bichectomia começou a ser feita, segundo Brasil, há cerca de cinco anos. “É uma tendência, mas não é para todo mundo”, ressalta. Conforme explica o médico, não há contra-indicações, porém, o resultado pode não ser o esperado caso a pessoa não tenha tanta gordura abaixo da maçã do rosto.

A intervenção é precedida por uma anestesia (geralmente local) e consiste em uma incisão pela parte interna da bochecha de cerca de dois centímetros para a retirada da gordura. “É como uma bola, por isso [essa gordura] é chamada de ‘bola de Bichat’”, explica.

O procedimento pode ser realizado a partir dos 18 anos e o público que mais tem procurado são mulheres entre 20 e 40 anos. A cirurgia leva em torno de 45 minutos em cada bochecha e se caracteriza por uma recuperação rápida, indolor e com poucas restrições.

Pescoço lisinho
Os procedimentos na região do pescoço também são bastante procurados pelo público brasileiro. A retirada da chamada “papada” e o sonho de uma região lisinha e com a aparência mais jovem é o desejo, principalmente, de mulheres a partir dos 45 anos. Além do lifting (que reduz flacidez), procedimentos como a ritidoplastia cervical estão entre os mais procurados.

Mais profundo que o lifting e a lipoaspiração, a ritidoplastia cervical retira a gordura mais “escondida”, localizada abaixo do músculo digástrico (logo abaixo da mandíbula). “A retirada da gordura mais profunda do pescoço já é bem melhor do que só a gordura superficial [retirada com a lipoaspiração na região]. É como se fosse um lifiting mais profundo e com um resultado mais eficiente”, completa o cirurgião.

Similar à lipoaspiração, a ritidoplastia cervical também pode vir acompanhada de uma retirada de pele, cuja cicatriz se localiza atrás da orelha. Caso não haja necessidade de mexer na pele, a marca da cirurgia localiza-se na parte inferior do queixo, ficando praticamente invisível.

Assim como a bichectomia, o pré-cirúrgico desse procedimento pode ser feito com anestesia local e sedação. A intervenção leva de uma hora e meia a duas horas e o pós-cirúrgico caracteriza-se pelo inchaço da região, uma alimentação com restrições apenas nos três primeiros dias e a impossibilidade de praticar atividades físicas ao longo de um mês.

Segundo Ageu Brasil, os procedimentos faciais podem ser realizados separada ou conjuntamente. Ambos necessitam de uma avaliação médica, com o intuito de realizar ou não essas cirurgias.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente
Imagem destaque

Bichectomia e ritidoplastia são procedimentos que apostam no rejuvenescimento facial

07:00 | Mar. 31, 2017 Tipo

[FOTO1]

Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps, na sigla em inglês), sete dos 15 principais procedimentos realizados em 2015 foram na face. No consultório do cirurgião plástico Ageu Brasil, dois procedimentos estão em alta: a bichectomia e a ritidoplastia cervical. O primeiro aposta em um rosto mais harmônico enquanto o segundo frisa detalhes como flacidez e rejuvenescimento da região do pescoço.

Bastante procurado pelas celebridades e o público jovem, a bichectomia consiste em retirar a gordura que fica abaixo da maçã do rosto. “A maçã fica mais proeminente e a face fica mais triangular”, afirma Brasil. Segundo o cirurgião, esse desejo pela face mais afilada na parte inferior  se dá à associação de face quadrada à de uma pessoa mais idosa. “A triangular são de pessoas jovens, com mandíbula delineada”, completa.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Recente no mercado, a bichectomia começou a ser feita, segundo Brasil, há cerca de cinco anos. “É uma tendência, mas não é para todo mundo”, ressalta. Conforme explica o médico, não há contra-indicações, porém, o resultado pode não ser o esperado caso a pessoa não tenha tanta gordura abaixo da maçã do rosto.

A intervenção é precedida por uma anestesia (geralmente local) e consiste em uma incisão pela parte interna da bochecha de cerca de dois centímetros para a retirada da gordura. “É como uma bola, por isso [essa gordura] é chamada de ‘bola de Bichat’”, explica.

O procedimento pode ser realizado a partir dos 18 anos e o público que mais tem procurado são mulheres entre 20 e 40 anos. A cirurgia leva em torno de 45 minutos em cada bochecha e se caracteriza por uma recuperação rápida, indolor e com poucas restrições.

Pescoço lisinho
Os procedimentos na região do pescoço também são bastante procurados pelo público brasileiro. A retirada da chamada “papada” e o sonho de uma região lisinha e com a aparência mais jovem é o desejo, principalmente, de mulheres a partir dos 45 anos. Além do lifting (que reduz flacidez), procedimentos como a ritidoplastia cervical estão entre os mais procurados.

Mais profundo que o lifting e a lipoaspiração, a ritidoplastia cervical retira a gordura mais “escondida”, localizada abaixo do músculo digástrico (logo abaixo da mandíbula). “A retirada da gordura mais profunda do pescoço já é bem melhor do que só a gordura superficial [retirada com a lipoaspiração na região]. É como se fosse um lifiting mais profundo e com um resultado mais eficiente”, completa o cirurgião.

Similar à lipoaspiração, a ritidoplastia cervical também pode vir acompanhada de uma retirada de pele, cuja cicatriz se localiza atrás da orelha. Caso não haja necessidade de mexer na pele, a marca da cirurgia localiza-se na parte inferior do queixo, ficando praticamente invisível.

Assim como a bichectomia, o pré-cirúrgico desse procedimento pode ser feito com anestesia local e sedação. A intervenção leva de uma hora e meia a duas horas e o pós-cirúrgico caracteriza-se pelo inchaço da região, uma alimentação com restrições apenas nos três primeiros dias e a impossibilidade de praticar atividades físicas ao longo de um mês.

Segundo Ageu Brasil, os procedimentos faciais podem ser realizados separada ou conjuntamente. Ambos necessitam de uma avaliação médica, com o intuito de realizar ou não essas cirurgias.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente
Imagem destaque

Biolifting como opção para reverter os sinais do envelhecimento no rosto

07:00 | Jan. 09, 2017 Tipo

[FOTO1]

Entre mudanças estéticas ou corretivas, muitas são as razões pelas quais os brasileiros procuram cirurgiões plásticos. De acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética (ISAPS), o Brasil se encontra na segunda posição do ranking mundial de procura por cirurgias. Só em 2015, foram realizadas 1.224.300 intervenções no País. Quem sente desconforto com os sinais da passagem do tempo no rosto pode optar entre diferentes procedimentos, como o biolifting

Diferente de outros métodos para rejuvenescimento facial, como o preenchimento com ácido hialurônico, o biolifting utiliza gordura do próprio corpo para corrigir diferentes áreas do rosto que necessitem de reposição da volumetria. Os resultados são a redução da flacidez muscular facial, a minimização das rugas e a melhora da qualidade da pele, conforme explica o cirurgião plástico Ageu Brasil (CRM-CE 3578 / RQE 3085).

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O cirurgião afirma que a gordura utilizada no procedimento do biolifting pode ser proveniente de diferentes regiões, como abdome, flancos, dorso e coxas. “Essa gordura é tratada por centrifugação ou decantação, lavada e injetada nas áreas que necessitam de preenchimento, repondo a volumetria da face”, explica. De acordo com Ageu Brasil, parte da gordura injetada é absorvida novamente pelo corpo e, por isso, existe a possibilidade de algumas áreas serem ajustadas quatro meses após a realização da cirurgia.

Ritidoplastia
Tecnicamente, o lifting facial é chamado de ritidoplastia. A cirurgia consiste na atuação sobre certos músculos da face e na retirada do excesso de pele, sem modificar a expressão e os traços do paciente. A técnica do biolifting, segundo o médico, pode oferecer benefícios ao ser associada a esse processo. “O biolifting pode ser indicado também como um upgrade no lifting convencional”, afirma.

Nos dois casos, tanto quando é submetido ao lifting convencional quanto ao biolifting, o pós-operatório exige os mesmos cuidados. O médico alerta que o paciente deve manter a pele hidratada, evitar atividade física por 30 dias e exposição ao sol, principalmente enquanto a pele apresentar manchas arroxeadas (equimoses). “Mas com certeza a recuperação é mais rápida que o lifting convencional” acrescenta.

Para eles
E esses procedimentos estéticos, há muito tempo, não são mais voltados apenas para o público feminino. Cada vez mais os homens investem em cirurgias plásticas com a intenção de cuidar de si. O cirurgião comenta que, como os homens, normalmente, procuram opções mais simples, o biolifting é uma boa sugestão. “Acho que para os homens se adapta melhor devido à recuperação ser mais rápida, com menos trauma”.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante
Imagem destaque
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente