Exportações cearenses caem 39,2% no 1º trimestre de 2024 ante 2023

A quantia caiu de US$ 499,5 milhões para US$ 309 milhões nos três primeiros meses deste ano, uma diferença de cerca de R$ 190 milhões

As exportações do Ceará apresentaram uma queda de 39,2% neste primeiro trimestre de 2024 ante igual período de 2023. Saiu de US$ 499,5 milhões para US$ 309 milhões neste intervalo, uma diferença de cerca de US$ 190 milhões. 

Levando em consideração março de 2024, o valor total foi de US$ 100,10 milhões, com um aumento de 2,2% em comparação ao mês anterior. O número, no entanto, teve um recuo de 19,2% na variação anual. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os dados são do Ceará em Comex, estudo de inteligência comercial produzido pelo Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Assim, o Estado ocupou o 17º lugar nas exportações do País e o 4º lugar entre as regiões. Quanto aos municípios, São Gonçalo do Amarante liderou com uma participação significativa de 28,7%, seguido por Fortaleza (15,9%) e Sobral (12,0%). 

Vale ressaltar que a atividade exportadora abrangeu um total de 50 cidades.

"Com a continuidade na exploração de suas vantagens logísticas e comerciais, é essencial para o Ceará buscar melhorias constantes em seus indicadores de comércio exterior, visando a recuperação econômica e o crescimento sustentável", detalhou o documento.

Já os setores que mais se destacaram em termos de crescimento foram a produção de cera de carnaúba, com um impressionante aumento de 17,9%, seguido por peixes e crustáceos, que cresceram 48,9%, e produções e produtos hortícolas, com um aumento de 39,6%.

No que diz respeito aos parceiros comerciais internacionais, houve variações significativas. Os Estados Unidos registraram uma queda acentuada de 65,6%, enquanto a Coreia do Sul apresentou um crescimento exponencial de 2.754,2%.

Por outro lado, o México registrou uma redução de 68,0% nas trocas comerciais. Apesar dessas variações, o Ceará conseguiu alcançar 116 países.

Importações

Além disso, as importações, em março, atingiram um total de US$ 279,73 milhões, registrando um aumento significativo de 54,4% em comparação com o mês anterior.

Esse crescimento contribuiu para o total anual de importações, que chegou a US$ 725,76 milhões (FOB), embora com uma ligeira queda de 1,7% em relação ao acumulado de 2023.

Apesar dessa diminuição anual, o Ceará manteve sua posição relevante no contexto nacional, ocupando o 13º lugar nas importações do país e o 4º lugar entre as regiões.

Os principais municípios envolvidos nesse fluxo importador foram Fortaleza, com uma participação de 27,2%, seguido por São Gonçalo do Amarante com 20,9% e Caucaia com 14,0%. No total, 53 municípios cearenses estiveram envolvidos nas importações.

Em termos de setores destacados, houve variações notáveis em relação ao ano anterior. Os combustíveis registraram uma queda de 7,5%, enquanto máquinas e equipamentos elétricos apresentaram um aumento de 19,8%.

Por outro lado, os maquinários sofreram uma diminuição de 15,5%. Essa diversidade é refletida nas importações de 1.621 tipos diferentes de produtos.

Quanto aos principais fornecedores, a China se destacou com um aumento de 28,9% em suas exportações para o Ceará, enquanto os Estados Unidos registraram uma redução significativa de 31,9%.

Outro que foi uma surpresa foi a alta expressiva da Holanda de 136,5% em suas exportações para o estado. Essas importações estenderam as relações comerciais do Ceará a 78 países, destacando a amplitude e a diversificação dos parceiros comerciais do estado.

CLASSES C, D e E SAÍRAM DA POUPANÇA! Conheça opções baratas e rentáveis

Mais notícias de Economia

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

exportacoes ceara importacoes cera de carnauba produtos video

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar