Participamos do

Com mais de US$ 700 mi em parcerias no Ceará, BID mira hub do hidrogênio verde

Representante do BID no Brasil frisa que ainda não há nada de concreto, mas que a instituição tem interesse neste eixo de transição energética e descarbonização
11:21 | Jan. 05, 2022
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Articulista quinzenal do O POVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará fechou 2021 com mais de US$ 80 milhões de projetos aprovados com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Somados aos já existentes, são US$ 700 milhões em parcerias, quase R$ 4 bilhões. Com isso, é um dos cinco estados brasileiros com mais aportes da instituição, que, em seu braço privado, também está de olho para investimentos no hub de hidrogênio verde cearense.

As informações são de Morgan Doyle, representante do BID no Brasil, em entrevista à jornalista Letícia Lopes no programa Guia Econômico, na rádio O POVO CBN.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Dentre os aportes com o Governo do Estado, ele destaca projetos como o Programa Integrado de Prevenção e Redução da Violência (PReVio) do Ceará e o de modernização do Judiciário estadual, que visa tornar mais simples ao cidadão entrar com processo ou acompanhar o andamento de uma causa, além de focar em tornar mais efetivo o trabalho do servidor.

Um dos eixos do BID com aporte no Estado é também a digitalização, como pelo Programa Ceará Mais Digital, que serão US$ 31 milhões em financiamento.

Sobre o governo cearense ser um dos cinco principais parceiros do banco, Doyle destaca a gestão fiscal. "Tem a casa em ordem", diz ele sobre o Ceará.

"Por isso temos essa parceria de longa data (...) o Estado tem feito série de reformas para manter a capacidade financeira. Aliás, um dos projetos que muito nos orgulha é o Profisco, que acompanhou o esforço da Sefaz (Secretaria da Fazenda) para tornar a nota fiscal eletrônica uma realidade. Você compra um produto e a nota é emitida via internet. Essa questão parece tão simples, mas por trás está um esforço enorme para migração de dados para a nuvem e o Estado acompanhar de forma correta diversas fontes de informação para ter gestão financeira e fiscal muito moderna."

O Profisco é o Programa de Apoio à Gestão dos Fiscos do Brasil, que basicamente é uma linha de crédito condicional do BID aos estados e ao Distrito Federal para financiamentos de projetos de melhoria da administração das receitas e da gestão fiscal, financeira e patrimonial.

No Estado, foram desenvolvidos projetos relacionados à transparência fiscal, administração tributária e financeira no prazo de cinco anos, contado a partir da data de assinatura do contrato, em outubro de 2018.

Já questionado sobre o hub hidrogênio verde cearense, o representante do BID no Brasil frisa que ainda não há nada de concreto, mas que a instituição tem interesse neste eixo de transição energética e descarbonização.

"Projetos provados que precisam de investimento, temos nosso braço privado, o BID Invest (focado em financiar empresas e projetos sustentáveis), que está pronto para acompanhar investimentos importantes, como essa transição para a economia verde", detalha Doyle.

"Entendemos que o Ceará está muito bem nessa área. Além do enorme potencial já realizado, com financiamento solar, temos muito interesse em trabalhar em prol do meio ambiente", acrescenta.

Veja programação da O POVO CBN com a entrevista com o BID

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags