Participamos do

M. Dias Branco chega a R$ 2,2 bi na receita líquida e bate recorde trimestral

No balanço, a empresa aponta que fechou, em 30 de setembro de 2021, em R$ 33,04 por ação e valor de mercado de R$ 11,2 bilhões
09:50 | Nov. 08, 2021
Autor Beatriz Cavalcante
Foto do autor
Beatriz Cavalcante Articulista quinzenal do O POVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A cearense M. Dias Branco S. A. Indústria e Comércio de Alimentos (MDIA3), líder nos mercados de biscoitos e massas no Brasil, anunciou recorde trimestral de R$ 2,2 bilhões de receita líquida, margem Ebitda voltando aos dois dígitos e geração de caixa operacional com crescimento de 200%.

No balanço, a empresa aponta que fechou, em 30 de setembro de 2021, em R$ 33,04 por ação e valor de mercado de R$ 11,2 bilhões.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em relação à margem Ebitda voltando aos dois dígitos, o Grupo detalhe que o impacto veio da recuperação dos volumes, da política de preços, do controle das despesas e da maior diluição de custos fixos. Portanto, o encerramento do terceiro trimestre deste ano (julho a setembro) alcançou R$ 286,6 milhões e margem de 13,1% ante o 2T21.

Já o lucro líquido totalizou R$ 196,6 milhões, com crescimento de 38,2% frente ao período imediatamente anterior e queda de 25,9% ante 3T20. 

Os resultados ainda apontam geração operacional de em R$ 426 milhões no 3T21, "fruto da melhora dos resultados e liberação de capital de giro". Com isso, a M. Dias Branco encerrou o trimestre com posição de caixa líquido e Rating AAA Perspectiva Estável reafirmado pela Fitch Ratings.

Um dos destaques deste ano, foi a aquisição da Latinex, reforçando a presença da companhia no mercado de healthy foods (saudabilidade) e snacks, além de marcar a entrada nos segmentos de temperos, molhos e condimentos. 

Já ante ao segundo trimestre de 2021 (2T21), a receita líquida cresceu 10,2%, com preço médio 8,9% maior e aumento de 1,4% dos volumes, com destaque para as categorias de biscoitos e margarinas. Na comparação com o 3T20, o crescimento se deu pelos maiores preços médios.

Na visão por região, a receita líquida nas localidades chamadas de ataque (Sul, Sudeste e Centro-Oeste) e defesa (Norte e Nordeste), no comparativo com o 2T21, cresceu 5,7% e 13,1%, respectivamente.

Dentre as estratégias, houve investimento maior na Piraquê. Com isso, no 3T21, a M. Dias Branco ampliou a visibilidade da marca com influenciadores e criadores de conteúdo na campanha de mídia do “Comida di Buteco”; campanha de incentivo para equipe de vendas com foco na expansão de biscoitos; lançamento de produtos com alto valor agregado: Chocowafer Coberto Com Chocolate (Preço Médio: R$ 21,9/Kg); e início das vendas da marca no Chile e no Paraguai.


 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags