PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Grendene assina acordo para formar joint venture no Exterior

O objetivo será a distribuição e a comercialização dos produtos da Grendene em determinados mercados internacionais

Beatriz Cavalcante
11:40 | 05/07/2021
FÁBRICA da Grendene em Sobral (Foto: Divulgação/Grendene)
FÁBRICA da Grendene em Sobral (Foto: Divulgação/Grendene)

A Grendene S.A. (GRND3) informou nesta segunda-feira, 5 de julho, que celebrou, em caráter de exclusividade, Memorando de Entendimentos Não Vinculante (MOU) com a 3G Radar Gestora de Recursos Ltda. (“3G Radar”) para instituir uma joint venture no Exterior entre as empresas.

LEIA MAIS | Bolsa recebe R$ 48 bilhões de capital estrangeiro 
+JSL envia proposta de combinação de negócios de R$ 989 milhões com a Tegma Logística 

O objetivo será a distribuição e a comercialização dos produtos da Grendene em determinados
mercados internacionais. No Ceará, a empresa tem presença em Fortaleza, Sobral e Crato

Em até 90 dias, as empresas deverão assinar um acordo de acionistas e um acordo master de distribuição e franquia (MFDA).

De acordo com o MOU, a joint venture será controlada e gerida pela 3G Radar, a qual deterá 50,1% do
capital social, enquanto a Grendene deterá 49,9%.

Ao longo dos 24 meses subsequentes à constituição do acordo comercial, as empresas se comprometem a investir inicialmente US$ 100 milhões na joint venture, na proporção das respectivas participações.

Para a aprovação, o acordo de acionistas deverá prever a necessidade do voto afirmativo da Grendene para definir questões como Lock-Up, Direito de Primeira Oferta, Direito de Venda Conjunta e outros direitos, dentre outras matérias comuns a esse tipo de documento.

Já o acordo master de distribuição e franquias deverá regular a exclusividade da distribuição de certos produtos Grendene em determinados mercados no Exterior, com a previsão de metas de distribuição da joint venture e as condições comerciais dos produtos a serem distribuídos.

"A Companhia reitera que a efetiva realização da operação está sujeita à conclusão das negociações dos Documentos Definitivos em termos satisfatórios para as partes envolvidas, de forma que não há qualquer garantia de que a operação será concluída com sucesso", informa a Grendene, em nota.