PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Puxado por comércio e serviços, Ceará contrata mais que demite em maio; geração de 4.284 vagas formais

O comércio teve saldo de 1.009 postos de trabalho enquanto serviços foi de 3.312. No geral, o Estado, em maio, gerou 4.284 empregos formais, no segundo mês consecutivo positivo

Beatriz Cavalcante
11:32 | 01/07/2021
Caged mostra dados do mercado de trabalho formal (Foto: EVILÁZIO BEZERRA, em 12/4/2015)
Caged mostra dados do mercado de trabalho formal (Foto: EVILÁZIO BEZERRA, em 12/4/2015)

Puxado por comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, com geração de 1.009 postos de trabalho formais, e o setor de serviços, com 3.312 vagas, o Ceará registrou mais contratações que demissões em maio, com geração de 4.284 empregos, no segundo mês consecutivo positivo.

Isso porque, o Estado demitiu mais do admitiu em março deste ano, ficando com saldo negativo de 2.253 vagas de trabalho, mas se recuperou em abril, com 3.120 postos gerados.

+Saldo líquido de emprego formal é positivo em 280.666 vagas em maio no Caged 

Em maio, o resultado positivo veio da diferença entre 27.313 desligamentos e 4.284 contratações. Também tiveram saldos bons a construção civil (739) e a agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (86). Porém, a indústria cearense demitiu mais que admitiu e perdeu 862 postos formais.

Os dados fazem parte do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que entrou em vigor com nova metodologia em janeiro do ano passado, sendo impossível fazer comparações de período anterior, até 2019, a este novo sistema de informações do emprego formal no Brasil. 

Conforme divulgação realizada nesta quinta-feira, 1º de julho, referente aos números encerrados em maio, o Ceará foi o terceiro em geração de vagas do Nordeste, atrás de Pernambuco (7.864 postos) e da Bahia (10.040) e o 14º do País, na comparação com os 26 estados e o Distrito Federal. 

+Setor de serviços abre 110.956 vagas em maio e puxa Caged, seguido por comércio

Os resultados do Caged mostram ainda que o Estado, no acumulado do ano (janeiro a maio), o saldo é positivo na criação de vagas, com 23.945 postos. Nos últimos 12 meses (maio 2020 a maio 2021), também há mais contratações que demissões, com 83.318 vagas criadas.

Em maio, quando se trata de Brasil, foram gerados 280.666 postos formais de emprego. No acumulado do ano, o saldo positivo chega a 1.233.372, enquanto que nos últimos 12 meses figura em 2.583.181 postos.