PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Grupo Marquise registra receita bruta de R$ 1,2 bi em 2020 e revela novos investimentos

O resultado, segundo a empresa, advém de diversos investimentos, principalmente nas áreas ambiental e imobiliária, realizados ao longo do primeiro ano da pandemia de Covid-19 no Brasil

22:30 | 28/04/2021
O Hotel Gran Marquise foi uma das atividades do grupo que teve fechamento temporário durante 2020 devido à pandemia (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)
O Hotel Gran Marquise foi uma das atividades do grupo que teve fechamento temporário durante 2020 devido à pandemia (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)

O grupo Marquise anunciou nesta quarta-feira, 28, que encerrou 2020 com receita bruta global de R$ 1,231 bilhão. O número é resultado de diversos investimentos, segundo a empresa, principalmente nas áreas ambiental e imobiliária, realizados ao longo do primeiro ano da pandemia de Covid-19 no Brasil. Em Ebtida - lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização, ou seja, o lucro operacional bruto antes de descontadas as despesas financeiras - a companhia alcançou ano passado R$ 262,6 milhões.

Entre os investimentos que teriam impactado no resultado positivo, para além também dos trabalhos mais gerais relativos à renovação de frota, máquinas e equipamentos, o grupo destaca a aquisição de uma empresa localizada em São Sebastião do Passé, na Bahia, que mantém uma central de tratamento e disposição de resíduos sólidos domiciliares e industriais; e de terrenos na capital paulista para expansão da atividade imobiliária local.

“Buscamos sempre aprimorar processos e manter nossa gestão pautada não só na conquista dos melhores resultados para a empresa, como também no que se refere à busca de novas oportunidades”, relata José Carlos, acionista do grupo Marquise, em entrevista ao O POVO.

Ele explica que a empresa conseguiu atravessar o período pandêmico sem grande impacto negativo. Devido às medidas de contenção do coronavírus, três atividades no Ceará foram temporariamente fechadas: o Shopping Parangaba, o Centro Fashion e o Hotel Gran Marquise. Ainda, os serviços do Vapt Vupt, também gerenciado pela Marquise, funcionou apenas de maneira remota. Apesar disso, conta Pontes, a redução mínima foi de 1,4% em comparação ao ano anterior, 2019.

LEIA MAIS | Grupo Marquise registra faturamento recorde e prevê novos investimentos

Para o futuro, o acionista revela que a Marquise prepara o lançamento, em breve, de um “empreendimento de alto padrão” na Vila Nova Conceição, bairro na Zona Sul de São Paulo. Também em 2021, uma nova marca de negócios imobiliários, MLar Empreendimentos, será lançada em Fortaleza. Com foco no público jovem, o conceito da marca acredita que “as pessoas estão cada vez mais interessadas em ter seu imóvel, com esse novo momento que vivemos, que existe toda uma campanha em prol do mote ‘fique em casa’”.

"Temos projetos de crescimento orgânico e inorgânico para a Marquise Ambiental e a construção de um aterro privado em Manaus com alta tecnologia e rígido controle ambiental que será exemplo para todo o Brasil. Além disso, no setor de infraestrutura, vamos dar continuidade às análises e estudos de projetos de concessão e engenharia. Também seguiremos com as obras já contratadas como a Transnordestina e obras de transposição hídrica."

Pós-2021, o grupo tem um grande lançamento previsto: a Planta de Dessalinização de Água Marinha na Região Metropolitana de Fortaleza. O Consórcio Águas de Fortaleza, liderado pela Marquise em parceria com PB Construções Ltda e Abengoa Água S/A, venceu a licitação para construção e operação do projeto em 9 de fevereiro último.

Trâmites pré-contratuais estão sendo desenvolvidos atualmente, como emissão de garantias e abertura da Sociedade de Propósito Específico (SPE), um modelo de organização que cria uma empresa com atividades e objetivos limitados. Após as etapas iniciais, estudos técnicos e ambientais serão concluídos em 17 meses, seguidos de 24 meses para execução da obra. Espera-se que a usina entre em operação em meados de 2024.

LEIA MAIS | Marquise quer entrar de vez na dessalinização e mira cidades do Nordeste

“As expectativas do Grupo Marquise são as melhores. Já contamos com equipe técnica trabalhando e estamos satisfeitos em participar de um projeto dessa grandeza e relevância, tanto no sentido do pioneirismo como em relação à questão social assegurar água para pessoas, promovendo saúde e dignidade em uma região que sofre historicamente com desequilíbrio hídrico”, finaliza Pontes.