PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Atividade turística no Ceará caiu 3,2% em fevereiro

Em doze meses, as perdas chegam a 46,9%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 15, pelo IBGE

Irna Cavalcante
11:08 | 15/04/2021
FORTALEZA,CE, BRASIL, 21.02.2021: Praia fica lotada após fechamento de barracas de acordo com decreto estadual.  (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FABIO LIMA)
FORTALEZA,CE, BRASIL, 21.02.2021: Praia fica lotada após fechamento de barracas de acordo com decreto estadual. (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FABIO LIMA)

A atividade turística no Ceará apresentou queda de 3,2% em fevereiro, frente a janeiro. Os dados são do Índice Nacional de Atividades Turísticas, divulgado nesta quinta-feira, 15, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Fortemente impactado pela pandemia, o setor acumula perdas de 33% no ano e de 46,9% no comparativo de 12 meses.

Em relação a igual mês de 2020, quando ainda não havia o impacto da pandemia, a queda do setor do turismo no Estado é de 38,5%. Esta é a 12ª taxa negativa consecutiva usando essa base de comparação.
Os indicadores vêm sendo pressionados, principalmente, pela queda na receita de empresas que atuam nos ramos de transporte aéreo; restaurantes; hotéis; rodoviário coletivo de passageiros; serviços de bufê; agências de viagens; e locação de automóveis.

A situação tende a se agravar, já que em março foi decretado novo lockdown, em razão do agravamento da pandemia no Estado. As medidas de isolamento mais rígidas entraram em vigor no dia 13 de março e começaram a ser flexibilizadas somente na última segunda-feira, 12.

Por enquanto, o comércio de rua e serviços, inclusive restaurantes, estão autorizados a funcionar das 10 às 16 horas durante os dias de semana. E os shoppings das 12 às 18 horas. Mas, em ambos os casos, os estabelecimentos estão limitados a 25% da capacidade de atendimento simultâneo.

Parques aquáticos, barracas de praia, cinemas, museus e teatros, públicos ou privados, continuam sem autorização para funcionar no Estado.

No Brasil, em fevereiro, o índice de atividades turísticas subiu 2,4 % frente ao mês anterior, sua segunda taxa positiva seguida, após a variação de -0,1%, em dezembro de 2020. O segmento de turismo avançou 127,5% entre maio de 2020 e fevereiro de 2021, mas ainda necessita crescer 39,2% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020.

Das 12 Unidades da Federação pesquisadas, sete acompanharam a expansão da atividade turística nacional na variação mês a mês. O destaque positivo ficou com São Paulo (3,4%), seguido por Minas Gerais (6,8%), Goiás (9,1%) e Pernambuco (4,9%). Por outro lado, Distrito Federal (-8,2%) e Bahia (-2,8%) registraram as retrações mais relevantes.

Frente a fevereiro de 2020, o índice de volume de atividades turísticas no Brasil recuou 31,1%. A queda foi constatada também em todas as unidades da federação pesquisadas. As maiores perdas são em São Paulo (-39,3%), Rio de Janeiro (-29,1%) e Minas Gerais (-27,2%).

Leia Mais:

Volume de serviços voltados à família cai 40% no Ceará