PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Volume de serviços voltados à família cai 40% no Ceará

Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, do IBGE, relativos ao mês de fevereiro deste ano, quando comparados com o mesmo mês do ano anterior.

Irna Cavalcante
09:56 | 15/04/2021
Segmentos como o de restaurantes estão entre os que acumularam maior queda no volume de serviços no Ceará em fevereiro (Foto: BÁRBARA MOIRA)
Segmentos como o de restaurantes estão entre os que acumularam maior queda no volume de serviços no Ceará em fevereiro (Foto: BÁRBARA MOIRA)

O volume de serviços no Ceará avançou 1% em fevereiro, frente a janeiro, na série com ajuste sazonal, conforme Pesquisa Mensal de Serviços divulgada nesta quinta-feira, 15, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa é a primeira alta para um mês de fevereiro desde 2016, quando a variação mensal foi de 3%. Em relação ao mesmo mês de 2020, quando ainda não havia o impacto da pandemia, as perdas são de 8,6%. Porém, chama atenção a queda de 40% no volume das atividades voltadas à família.

De acordo com o IBGE, o resultado é pressionado, em grande medida, pela queda nas receitas das empresas dos ramos de restaurantes; hotéis; serviços de bufê; e atividades de condicionamento físico.

Usando a mesma base de comparação, fevereiro de 2021 ante o mesmo mês do ano anterior, também houve recuo no grupo Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios (-10,5%),  em função da queda de receita das empresas de transporte aéreo, rodoviário coletivo e metroferroviário. E em outros serviços (-19,6%).

Por outro lado, os serviços profissionais, administrativos e complementares cresceram em fevereiro 7,4%, em relação ao mesmo mês de 2020, após dois meses de variação negativa. Foi a terceira maior alta do País. Atrás apenas de Goiás (28,3%) e Santa Catarina (23,8%).

Outro setor com variação positiva foi o de informação e comunicação (1,3%). O avanço neste segmento é impulsionado, sobretudo, pelas empresas dos ramos de portais, provedores de conteúdo e ferramentas de busca na Internet; desenvolvimento e licenciamento de softwares; outras atividades de telecomunicações; e suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação.

A PMS mostrou ainda que, no acumulado do ano, as perdas do setor de serviços cearense chegaram a 9,9% e no comparativo de doze meses a variação é negativa em 15,3%.

No Brasil, em fevereiro, o volume de serviços registrou alta de 3,7% frente a janeiro, a nona taxa positiva seguida. Na série sem ajuste sazonal, no confronto com fevereiro de 2020, o setor recuou 2%. O acumulado nos últimos doze meses (-8,6%) manteve a trajetória descendente iniciada em janeiro de 2020 (1,0%) e apontou o resultado negativo mais intenso da série histórica, iniciada em dezembro de 2012.