Participamos do

Energix assina acordo com empresa de engenharia para estudos para planta de hidrogênio verde no Ceará

O investimento total no empreendimento está estimado em US$ 5,4 bilhões e prevê uma produção anual de 600 kg de hidrogênio verde a partir de 2025
14:19 | Mar. 18, 2021
Autor Samuel Pimentel
Foto do autor
Samuel Pimentel Jornalista no OPOVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A empresa Energix Energy anunciou a assinatura de um memorando de entendimento para a realização dos estudos de viabilidade da instalação da planta de hidrogênio verde no Complexo Industrial do Pecém, no Ceará. A reconhecida internacionalmente empresa de engenharia norte-americana Black & Veatch será a responsável pelo trabalho. A companhia australiana vai produzir na usina a ser construída mais de 600 milhões de kg do produto por ano a partir de 2025 quando estiver com capacidade máxima de produção. O investimento é de US$ 5,4 bilhões.

LEIA MAIS | Reportagem especial: Hidrogênio verde, o caminho do Ceará

O escopo dos trabalhos inclui desenho técnico, seleção de fornecedores e tecnologia, planejamento de execução, cronograma do projeto, avaliação de riscos, estratégia de logística e estratégia de compras. Sobre a assinatura do acordo para os estudos, Wesley Cooke, fundador e CEO da Enegix, disse: “A equipe da Black & Veatch tem a capacidade de avaliar todos os aspectos do projeto, com habilidades transferíveis que cobrem a produção, manuseio, transporte, armazenamento e distribuição de hidrogênio seguindo os mais altos padrões de segurança e eficiência. A Black & Veatch está bem posicionada para fornecer esse tipo de serviço, contribuindo para a transição dos combustíveis fósseis para o hidrogênio.”

Na avaliação de Gary Matin, diretor executivo da Black & Veatch nos negócios de óleo e gás, os desenvolvedores e investidores de projetos de hidrogênio precisam ter confiança na qualidade dos conselhos que recebem. "A análise mais completa virá de parceiros com experiência em hidrogênio, geração de energia renovável e as interfaces complexas entre eles que definem projetos como o Base One”, disse.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Para o executivo, o projeto da empresa australiana no Ceará é importante no esforço de substituição da matriz energética. “Instalações como a proposta pela Enegix no Ceará estão no cerne de fazer do hidrogênio um componente essencial de uma economia global com zero carbono; por isso, estamos entusiasmados por poder contribuir”, conclui.

O projeto da Energix, batizado Base One, teve protocolo de entendimento assinado no mês passado junto ao Governo do Ceará. A informação foi adiantada pelo O POVO ainda em fevereiro deste ano. A ideia é montar no Complexo do Pecém uma planta-piloto de eletrólise que use como insumos as energias eólica e solar para produção de hidrogênio verde. O método utiliza corrente elétrica para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água.

LEIA TAMBÉM | Os projetos de hidrogênio que já existem no Ceará

O caminho do Ceará para conquistar o mundo com energia limpa

Na época, a informação foi confirmada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (Sedet), Maia Junior. “Não tenho dúvidas de que este hub vai colocar o Ceará em posição de destaque no cenário mundial da transição energética”.

O secretário afirma que, dos quatro decretos previstos para viabilizar a estruturação do hub de hidrogênio, três devem ser assinados inicialmente. A expectativa é de que, além de trazer novos investimentos no Estado, o hub possa impulsionar de forma significativa a produção de plantas eólicas e solares e estimular outras cadeias produtivas no Estado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags