PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Governo assina nesta sexta, 19, acordo para viabilizar hub de Hidrogênio Verde

Projeto prevê a implantação de uma planta de eletrólise no Complexo do Pecém para produção de hidrogênio verde no Ceará. O produto é apontado como o combustível do futuro.

Irna Cavalcante
11:16 | 17/02/2021
Governo do Ceará negocia com empresa australiana a instalação de uma planta de eletrólise no Complexo do Pecém (Foto: Evilázio Bezerra/22-02-2017)
Governo do Ceará negocia com empresa australiana a instalação de uma planta de eletrólise no Complexo do Pecém (Foto: Evilázio Bezerra/22-02-2017)

O Governo do Ceará assina nesta sexta-feira, 19, o acordo que vai dar o pontapé inicial para a instalação de um hub de Hidrogênio Verde no Estado. O combustível, produzido a partir de fontes de energias renováveis, é apontado como peça-chave no processo de descarbonização do planeta nos próximos anos. 

A ideia é montar no Complexo do Pecém uma planta-piloto de eletrólise que use como insumos as energias eólica e solar para produção de hidrogênio verde. O método utiliza corrente elétrica para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água. O projeto já tem, inclusive, um investidor australiano interessado. 

A informação foi confirmada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (Sedet), Maia Junior. “Nós só estamos ajustando os últimos detalhes, esperando a confirmação, mas devemos assinar nesta sexta-feira. Será um evento virtual, em conjunto com nossos parceiros, para anunciar o que será feito para desenvolver esta cadeia produtiva no Estado. Não tenho dúvidas de que este hub vai colocar o Ceará em posição de destaque no cenário mundial da transição energética”.

O projeto liderado pelo Governo do Estado conta também com a parceria e articulação do Complexo do Pecém; Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e Universidade Federal do Ceará (UFC).

O secretário afirma que, dos quatro decretos previstos para viabilizar a estruturação do hub de hidrogênio, três devem ser assinados inicialmente. O primeiro deles formalizando a intenção política de montar uma cadeia produtiva em torno do hidrogênio verde no Estado. O segundo será para efetiva criação do grupo de trabalho interinstitucional que vai coordenar as ações de estruturação do projeto. E um protocolo de intenções com uma empresa australiana interessada em investir no projeto.

“Também tem mais um protocolo que formaliza a parceria com uma universidade do Rio de Janeiro. Estamos somente aguardando um retorno da procuradoria, mas a parceria vai acontecer e será assinado mais na frente”

Além de trazer novos investimentos no Estado, o hub pode impulsionar de forma significativa a produção de plantas eólicas e solares e estimular outras cadeias produtivas no Estado. 

Confira aqui a reportagem especial publicada no OP+ que mostra o potencial deste novo negócio.