PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Brasileiros devem gastar média de R$ 292 nas compras de Ano Novo, aponta pesquisa CNDL/SPC Brasil

Valor sofreu decréscimo em relação a 2019. Maioria absoluta da população (98%) pretende comemorar o Ano-Novo em 2020, 38% passarão o Réveillon em casa

14:57 | 31/12/2020
Em pesquisa encomendada por CNDL e SPC Brasil, 53% dos consumidores brasileiros afirmaram que pretendem comprar novas roupas, sapatos e acessórios no fim de ano. (Foto: Bárbara Moira/O Povo)
Em pesquisa encomendada por CNDL e SPC Brasil, 53% dos consumidores brasileiros afirmaram que pretendem comprar novas roupas, sapatos e acessórios no fim de ano. (Foto: Bárbara Moira/O Povo)

Os feriados de fim de ano representam um dos momentos de maior expectativa para o comércio. Em 2020, a pandemia do novo coronavírus levantou incertezas em relação às margens de ganho nas datas festivas. No entanto, a população brasileira, em geral, segue valorizando o Ano-Novo e manteve boa parte dos hábitos de consumo no período.

O comportamento dos consumidores, em diversos segmentos e classes sociais, traz esperança a lojistas. Levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, revela diferentes recortes das vendas no Ano-Novo.

Segundo a pesquisa, a média de gastos do brasileiro com a virada do ano deverá ser de R$ 292. Valor é inferior a 2019, quando índice apontou gasto médio de R$ 321,57. Entretanto, ainda esteve acima das expectativas de mercado, em face à crise financeira vivenciada em decorrência da pandemia global. Pessoas do sexo masculino devem gastar, em média, R$ 324,97, enquanto as do sexo feminino pretendem gastar R$ 258,16.

O planejamento dos consumidores apresentou maior constância neste ano. Apesar de um terço dos brasileiros (33%) ter respondido não saber quanto vão gastar no Ano-Novo em 2020, o valor supera os indecisos de 2019, que representavam 39,1% das pessoas consultadas. De acordo com outro levantamento da CNDL, divulgado no início de dezembro, o fim do ano deve levar cerca de 86 milhões de brasileiros às compras. Combinando o faturamento nos feriados de Natal e Réveillon, a movimentação financeira deve ser em torno de R$ 38,8 bilhões no setor de comércio e serviços do País.

Em consonância com os resultados da pesquisa, o ato de planejar as compras com antecedência deve reduzir os custos. Mais pessoas pretendem gastar até R$ 150 em 2020 (22,2%), em comparação a 2019 (17%). Enquanto isso, a quantidade de pessoas que vão gastar mais de R$ 600 reduziu em 2020 (7,8%) - em 2019 eram 9,3%. Apesar de a pretensão de gastos ser menor, o levantamento indica que o fluxo de compras deve aumentar. Em 2019, 9,1% das pessoas responderam que não iriam comprar nada. Em 2020, índica diminuiu para 7,6% de pessoas que não irão consumir no fim do ano.

Festas em casa

Devido ao isolamento social, 38% dos entrevistados pretendem festejar em casa, um aumento de 10 pontos percentuais em relação ao ano passado. Enquanto 10% pretendem viajar (especialmente as classes A/B), e 10% planejam passar a virada na casa dos pais. Com o cancelamento de eventos, pessoas com intenção de celebrar o Ano Novo em festas fora de casa (boates, clubes, hotéis etc) decresceu de 4,4%, em 2019, para 2%, em 2020. O número percentual de pessoas que não pretendem comemorar o Réveillon aumentou de 1,2% em 2019 para 2,1% em 2020. Entretanto, a maioria absoluta (97,9%) deverá comemorar a data.

Intenções de compra no Ano Novo

Quando perguntados sobre as intenções de adquirir novas roupas, sapatos ou acessórios para celebrar o Réveillon, 53% dos consumidores afirmaram positivamente. Embora 2020 apresente um contexto diferente, o índice apresentou estabilidade em relação ao alcançado em 2019 (54%). Pessoas que não pretendem comprar este tipo de produto representam 35,6% dos questionados, enquanto 11,3% não souberam responder.

A pesquisa também revela que os jovens devem ser mais atuantes nos números do comércio na virada do ano, 62,5% das pessoas entre 18 e 34 anos responderam que comprariam algum item, enquanto somente 27,2% responderam negativamente e 10,3% não souberam responder. O valor é o mais representativo entre as faixas etárias, contudo, o volume de gastos é menor. Jovens deverão gastar em média R$ 270,91. Já pessoas de 35 a 49 anos, R$ 282,78; e, acima de 55 anos, R$ 341,89.

Superstições de Ano-Novo

Para os supersticiosos, a cor da roupa também é um detalhe que será levado em consideração nas comemorações da virada. Para 42% dos entrevistados, será branco no Réveillon. O amarelo, que para muitos simboliza dinheiro, será opção de 6% das pessoas, seguido por azul (5%), vermelho (3%) e preto (3%).

>> Procura por vestuário aquece comércio no Centro de Fortaleza em véspera de Ano Novo

As simpatias de Ano-Novo também não ficaram de fora para 33% dos entrevistados, principalmente para ganhar mais dinheiro (14%), conseguir um emprego (7%) e encontrar ou manter um amor (6%).

“Mesmo com a pandemia, o brasileiro vai comemorar a passagem de ano e manter a tradição de passar a virada com uma peça de roupa nova. Os dias seguintes ao Natal são um período em que muitos consumidores realizam a troca de presentes e o comércio aproveita o momento para atrair novas vendas”, explica, em nota à imprensa, o presidente da CNDL, José César da Costa.

Sobre a pesquisa

O levantamento CNDL/SPC Brasil foi realizado em parceria com a Offer Wise Pesquisas entre 14 e 20 de outubro de 2020. A coleta de dados foi feita pela internet e pós-ponderada por sexo, idade, estado, renda e escolaridade. Responderam consumidores das 27 capitais brasileiras, homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes econômicas (excluindo analfabetos) e que pretendem comprar presentes no final do ano. O intervalo de confiança é de 95%.