PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Pague Menos estreia na Bolsa com valorização de 21%

Rede cearense de farmácias já havia iniciado a reserva de ações no último mês de agosto. E antes mesmo na estreia na Bolsa captou cerca de R$ 859 milhões. Ontem, uma ação foi comercializada ao fim do dia por R$ 10,30

Rubens Rodrigues
10:57 | 02/09/2020
LOJA 1000 da Pague Menos é a maior farmácia da América Latina (Foto: divulgação )
LOJA 1000 da Pague Menos é a maior farmácia da América Latina (Foto: divulgação )

Atualizada às 18 horas

Terceira maior rede de varejo farmacêutico do País, a cearense Pague Menos estreou nesta quarta-feira, 2, na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Já no primeiro dia de cotação na Bolsa, as ações da empresa tiveram valorização superior a 20%, passando por mínima de R$ 8,80 e máxima de R$ 10,95. O índice PGMN3 fechou o dia cotado a R$ 10,30, uma alta de 21,17%. O resultado destoou dos principais índices da Bolsa: o Ibovespa fechou em queda de 0,25% (101.911 pontos), além de Magazine Luisa (MGLU3 -1,91%), Petrobras (PETR4 -0,31%) e Vale (VALE3 -0,71%).

A cerimônia foi transmitida ao vivo, ontem, com presença do CEO da empresa, Mário Queirós, e do fundador Deusmar Queirós. O presidente da B3, Gilson Finkelsztain, também participou. A rede já havia iniciado a reserva de ações com código "PGMN3" no último mês de agosto. Logo no início do dia, às 10h25min, os papéis da Pague Menos registravam ganhos de 10,47%, a R$ 9,39. A companhia teve a ação precificada na segunda-feira, 31, a R$ 8,50 na abertura de capital – bem abaixo da faixa indicativa, que variava entre R$ 10,22 e R$ 12,54. Com a venda de 101.054.482 ações antes da abertura oficial, a captação foi de cerca de R$ 859 milhões.

De acordo com a rede, os recursos captados pela oferta pública de ações (IPO na sigla em inglês) serão direcionados para a abertura de novas lojas e a modernização das já existentes, além do reforço de capital de giro, amortização de parte da dívida da companhia e investimentos em tecnologia e na Clinic Farma. Oferta foi feita nos termos da ICVM 400, sob a coordenação do Banco Itaú BBA (Coordenador Líder), do Credit Suisse, do J.P. Morgan, do Banco Santander, da XP Investimentos e do BB Investimentos (Coordenadores da Oferta).

"Nesse cenário de inflação baixa, juros na mínima histórica, as empresas têm olhado as oportunidades no mercado para se capitalizar. Para fazer frente a essa demanda crescente, cada vez mais empresas se encorajam a retomar seus planos de retomada de recursos após os desafios que a gente viveu na pandemia", afirma Finkelsztain.

"É muito saudável para impulsionar a retomada da economia e ajudar no desenvolvimento do País. A Pague Menos carrega, nas suas origens, brasilidade. Tem feito sua parte para ajudar o País a crescer", acrescenta.

"Para chegar até aqui foi necessário muito trabalho, quebra de paradigmas, mudança de mindset, investimentos em inovação e tecnologia. Mas o maior diferencial da Pague Menos são as pessoas. Construímos um time de profissionais experientes no mercado e, ao mesmo tempo, apaixonados pelo que fazem", pontuou Mário Queirós. O CEO destacou ainda que entrada na B3 marca o início de "um novo ciclo na Pague Menos".

Veja como foi a cerimônia:

A solicitação de oferta pública de ações (IPO na sigla em inglês) da Pague Menos foi realizada em julho último. A empresa espera arrecadar mais de R$ 1 bilhão com a abertura de capital na Bolsa. Ainda de acordo com Finkelsztain, 12 IPOs já foram registrados neste ano. Mais de 46 processos do tipo estão em andamento. A Pague Menos é a 147ª empresa listada no Novo Mercado da Bolsa.

Tendência

Vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Ceará (Ibef), Eliardo Vieira considera natural o caminho para a Bolsa, tendo em vista que o fundador sempre trabalhou em mercado de capitais. "O momento é muito propício por conta de taxas de juros muito baixas. O dinheiro tá migrando pra Bolsa", pondera.

"Os desafios são grandes porque há competidores fortes no setor. É um mercado extremamente concorrido. É um concorrência tão cruel que dificilmente, daqui a um tempo, irão existir quatro grandes (redes na Bolsa)", pondera Eliardo Vieira. "Ainda há inclusive um processo importante de consolidação, com muitas farmácias regionais no Brasil".

Ainda de acordo com o vice-presidente do Ibef, abrir capital para a Bolsa é uma decisão possível para toda empresa que atingir, pelo menos, R$ 500 milhões em faturamento anual. "É para onde o mercado tá indo. O mundo inteiro está com os juros baixos, não é só o Brasil. A Bolsa é um caminho que se consolida e vai continuar sendo tendência forte no País".

LEIA TAMBÉM | Queda do PIB no trimestre é equivalente à grande recessão brasileira, alerta economista

Pague Menos

Deusmar Queirós lembrou sua passagem pelo mercado de capitais antes de fundar a rede. "Comecei a trabalhar muito cedo vendendo frutas de porta em porta num carrinho de mão. Em seguida, fui balconista de uma pequena mercearia. Tive importante experiência na IBM do Brasil, até que em 1971 entrei no mercado financeiro como funcionário de uma distribuidora de valores", relembrou o fundador.

A rede Pague Menos está presente em todos os estados do Brasil, com 1.124 lojas distribuídas em 327 municípios. O atual plano de expansão da companhia, que começou em 2018 e segue até 2022, prevê mais 1.600 unidades em 400 cidades. (Colaborou Samuel Pimentel)

Linha do tempo

1981 - Abertura da primeira farmácia Pague Menos, em Fortaleza. 1985 - Começou a investir em responsabilidade social com a criação do Programa de Doação de Cadeiras de Rodas e o Programa de Doação de Ambulâncias.
1989 - Tornou-se a primeira farmácia a receber pagamentos de contas de luz, água, telefone e venda de vales-transporte.
1993 - Nasce a Farmácia de Manipulação Pague Menos, dedicada à produção de medicamentos e cosméticos manipulados.
1997 - Nasce o Encontro de Mulheres Pague Menos.
1998 - Foi a primeira empresa privada nordestina a adotar um município (General Sampaio) no Programa Social Alfabetização Solidária.
2000 - Foi criado o SAC Farma (0800 275 1313).
2002 - Conquistou pela primeira o Prêmio Top of Mind.
2003 - Em parceria com o UNICEF, criou o Programa Infância Feliz Pague Menos.
2005 - Com o Espaço Vip e o Espaço Vida Saudável, a Pague Menos criou o conceito exclusivo “loja dentro de loja”.
2010 - Nasce o 1º Circuito de Corridas Pague Menos.
2013 - A agência internacional Fitch Ratings anunciou a elevação do Rating Nacional de Longo Prazo das Farmácias Pague Menos, que passou da nota A para AA pelo ótimo desempenho.
2015 - Firmou parceria com a empresa de capital de crescimento General Atlantic. A empresa americana investiu R$ 600 milhões.
2016 - Atinge o faturamento de R$ 5,8 bilhões.
2018 - Loja 1000 é inaugurada no bairro Aldeota, com três andares em uma área construída de mil metros quadrados. É a maior farmácia da América Latina, segundo a empresa.
2019 - É inaugurada a primeira loja conceito, na Praia de Iracema.
2020 - Estreia na B3.