PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

42% dos consumidores que vão presentear no Natal devem participar de amigos secretos

A estimativa é que 66,3 milhões de pessoas participem de pelo menos uma brincadeira desse modelo

11:53 | 12/12/2019
Consumidores se preparam para as compras de fim do ano.  (Alex Gomes/O Povo)
Consumidores se preparam para as compras de fim do ano. (Alex Gomes/O Povo) (Foto: ALEX GOMES/Especial para O POVO)

A brincadeira de amigo secreto tem se tornado cada vez mais popular entre os brasileiros. Este ano, 42% dos consumidores que irão às compras de fim de ano estão envolvidos na brincadeira, também conhecida como amigo oculto. O percentual representa um aumento de 9 pontos percentuais em relação a 2018. É o que aponta a pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgada nesta quarta-feira, 11. O resultado deve movimentar R$ 7,5 bilhões na economia brasileira.

Segundo o levantamento, feito em todas as capitais, a estimativa é que 66,3 milhões de pessoas participem de pelo menos uma brincadeira desse modelo, seja no trabalho ou na família. 72% pretendem realizar a brincadeira entre os familiares, seguidos por aqueles que a farão entre amigos, com 38%, e junto a colegas de trabalho, com 29%.

Dentre as motivações apontadas pelos entrevistados, 59% afirmaram gostar desse tipo de interação. É por esse motivo que o estudante Lucas Ribeiro, 20, vai às compras. Ele participará de dois amigos secretos. "É uma ótima oportunidade de reunir pessoas especiais que, por vezes, não temos um contato tão frequente, devido à correria do dia a dia. Todos os anos esse amigo secreto acontece na minha família, é um evento obrigatório aqui em casa", conta.

Além do caráter afetivo, para Lucas, participar da brincadeira também significa economia. "Com o mecanismo de seleção, de poder sortear alguém distante do seu convívio, implica, geralmente, comprar um presente mais generalista. Presentar por fora pode custar mais, visto que você sabe quem vai presentar", analisa. Assim como ele, 38% dos entrevistados da pesquisa feita consideraram a brincadeira uma boa maneira de gastar menos com presentes.

Praticamente metade (49%) dos entrevistados pretende participar de apenas um evento e outros 39% de dois. Com duas pessoas para presentear, a atriz e produtora Dávila Soares, 30, também está se preparando para comprar. "Estipulei um valor que não posso passar e o dinheiro eu já deixei separado especialmente para isso. Esse ano eu peguei alguém que gosto muito da família, então fico na dúvida sobre o quanto gastar", afirma. Ela conta que participa há mais de cinco anos de amigos secretos.

O maior envolvimento de pessoas na brincadeira é visto com bons olhos pelo consultor e sócio da consultoria empresarial Arêa Leão, Gilberto Barbosa. Segundo ele, esse aumento representa uma melhora na economia, que é acompanhada por boas estimativas para as compras de fim de ano. Entretanto, o valor médio gasto ainda reflete certa "sensibilidade" do consumidor em gastar. "Acaba sendo mais barato presentar por meio do amigo secreto, é uma forma interessante, porque todos acabam sendo presenteados. É algo mais objetivo e acaba sendo também mais acessível", diz ele.

Ele aconselha que o consumidor tenha cuidado com a forma de pagamento."É preciso ter cuidado com o cartão de crédito. É uma forma boa, pois oferece diversas opções de pagamento, mas entrar no juros do cartão de crédito ou no cheque especial é algo perigoso para o financeiro", alerta o consultor.