PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Waldery: Leilão reduz déficit fiscal para menos de R$ 100 bi

15:43 | 06/11/2019
O secretário especial do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que o resultado do leilão do excedente da cessão onerosa vai ajudar o País a reduzir o déficit fiscal para algo em torno dos R$ 85 bilhões, e também permitirá o descontingenciamento dos R$ 22 bilhões anunciados para este ano.
"A União está há seis anos com déficit primário, o número vai ser bem menor que os R$ 139 bilhões. Algo entre R$ 85/83 bilhões de déficit primário. Vai ser bem abaixo dos R$ 100 bilhões, ganhamos um fôlego adicional", disse o secretário.
Ele lembrou que dos R$ 70 bilhões que o governo vai receber, R$ 34 bilhões serão pagos à Petrobras e R$ 11,7 bilhões para Estados e municípios. Restam R$ 23,5 bilhões para a União, "um valor maior do que o total contingenciado, o que permite que todo o descontingenciamento seja feito", afirmou Waldery, sobre o anúncio que o governo fará no próximo dia 22. As áreas de defesa, saúde e educação serão prioritárias, mas outras também poderão ser beneficiadas.
O secretário afirmou ainda que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do País deverá ficar acima de 1% este ano, contra previsões anteriores de alta de ao redor de 0,90%.
"Com as novas informações, o crescimento vai ser acima de 1%", afirmou, referindo-se ao leilão, à reação do varejo, que segundo o secretário reflete a recuperação do poder do consumo do brasileiro, além de dividendos que iam entrar ano que vem e vão entrar este ano (BNDES, Caixa), entre outros fatores.