PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Ceará registra crescimento de imigrantes e investimentos estrangeiros em 2019

Autorizações de residência no Estado cresceram 93,3% em comparação com mesmo período de 2018. Dinheiro aplicado por pessoas de fora do país é quase o dobro do valor destinado a São Paulo

11:02 | 11/10/2019
Atividades no porto do Pecém influenciam no aumento dos estrangeiros no Ceará
Atividades no porto do Pecém influenciam no aumento dos estrangeiros no Ceará (Foto: Divulgação/CIPP)

O Ceará tem sido destino importante para estrangeiros não só em relação ao turismo, mas também para fins de investimento e trabalho. As informações são do relatório trimestral da Coordenação Geral de Imigração Laboral (CGIL), vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), referentes aos meses de abril a junho deste ano.

De acordo com o relatório, somente no segundo trimestre de 2019 estrangeiros investiram mais de R$ 11 milhões no Ceará. O valor considera o dinheiro aplicado por pessoas físicas, não incluindo empresas. A quantia é nove vezes maior que a registrada no mesmo período do ano anterior, e mais de um terço do total aplicado por este grupo em todo o País.

As autorizações de residência concedidas para fins de investimento pelo governo brasileiro, no Estado, mais que dobraram no período: foram 7 de abril a junho de 2018 e 15 em 2019. Em São Paulo, segundo estado com mais aplicação de dinheiro estrangeiro, foram 21 autorizações do mesmo tipo, mas os investimentos só somaram metade do valor recebido pelo Ceará.

Segundo Marta Mitico, presidente da Associação Brasileira de Especialistas em Migração e Mobilidade Internacional (Abemmi), isto se deve às oportunidades específicas criadas pela região. Segundo ela, pessoas que vêm de outros países e buscam investir no Nordeste procuram se inserir em áreas de negócios em expansão nestes locais, como turismo, tecnologia, energia eólica e pesca. No Ceará, o Porto do Pecém concentra parte significativa das aplicações financeiras.

No Rio de Janeiro e em São Paulo, afirma Marta, os investidores não têm áreas exatas de interesse. Os estrangeiros que vão para estes estados pretendem morar especificamente nestes locais, e por causa disso aplicam somente o valor mínimo para solicitar a autorização de residência. Nestes casos, o objetivo é apenas “garantir” o visto permanente.

Isso explica, segundo ela, por que o nível de investimentos nestes locais é inferior ao valor destinado ao Nordeste, onde estrangeiros priorizam áreas de crescimento econômico e aplicam os valores em empresas, com expectativa de retorno.

Dos oito estados em que pessoas físicas de fora do País investiram mais de R$ 1 milhão, no segundo trimestre de 2019, segundo o relatório, cinco são do Nordeste: Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas e Paraíba.

A pesquisa também indica o perfil dos imigrantes que recebem autorização de residência no Brasil: em sua maioria são homens, de 20 a 49 anos, com ensino superior e pós-graduação. Os estrangeiros vêm, principalmente, dos Estados Unidos, China, Filipinas, Índia e de países da Europa.

Para ler o relatório com as informações sobre imigração, clique aqui