PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Inflação de Fortaleza é quarta maior do País com 1,04%

Entres os principais responsáveis por acelerar a inflação na Capital, segundo o IBGE, foram o aumento do preço da gasolina, saúde, e alimentação

15:00 | 10/04/2019
Os produtos que vêem do vestuário também registraram alta em março
Os produtos que vêem do vestuário também registraram alta em março(Foto: Aurélio Alves/O POVO)

Com o percentual de 1,04%, o valor da inflação de Fortaleza é a quarta maior do Brasil. Os dados foram revelados após medição do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA). A média do País variou 0,75%, que representa a maior alta para um mês de março desde 2015, quando contabilizado 1,24%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

O índice da inflação na Capital superou o de fevereiro, quando a taxa atingiu 0,69. A média trimestral, que leva em consideração os três primeiros meses de 2019, é de 1,51%. Nos últimos 12 meses, a variação acumulada chega a 4,26%. 

Conforme o IBGE, a alta nos preços da gasolina (5,92%) foi o principal responsável pela aceleração da inflação em Fortaleza. Quem também contribuiu para esse aumento foi o grupo dos transportes (1,93%), seguido por alimentos e bebidas (1,32%) e artigos de residência (0,98%). Em contrapartida, os grupos de comunicação (-0,28%) e despesas pessoais (-0,04%) registraram deflação.

De acordo com o IBGE, a alta nos preços da gasolina (8,54%) foi o principal responsável pela aceleração da inflação em Fortaleza. Quem também contribuiu para esse aumento foi o grupo da habitação (3,07%).

Nos transportes, houve deflação de -0,34% em fevereiro, o índice apresentou aceleração de 1,44%, sendo a maior variação nos produtos que foram analisados. Em Fortaleza, chegou ao valor de 8,54%. A maior variação desse item ficou com São Paulo, onde atingiu 8,57%.

Os produtos que vêem do vestuário também registraram alta em março de 0,45%, deixando para trás a queda no mês de fevereiro de -0,33%. Os serviços ligados à saúde, também representaram alta para movimentação do mês de março, o destaque vai para os planos de saúde que atingiram o valor de 0,80%.

Conforme o IBGE, os índices regionais, apontam que em Goiânia, apresentou a menor variação em março com (0,12%), devido as quedas nos preços do etanol (-4,37%) e da gasolina (-2,47%). O maior índice ficou com São Luís (1,36%), que teve o resultado influenciado pelo item taxa de água e esgoto (22,29%), que reproduz o reajuste médio de 22,29%, em vigor desde 09 de fevereiro, ainda não apropriado nos índices, e pela gasolina (4,11%). 

Confira o ranking completo

DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO (Foto: IBGE)

Os cálculos do índice do mês foram comparados os preços que foram coletados no período de 27 de fevereiro a 29 de março de 2019 (referência) com os preços vigentes no período de 30 de janeiro a 26 de fevereiro de 2019 (base).

Jullie Vieira