PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Complexo de Benigna receberá investimento de R$ 18 milhões em Santana do Cariri

Projeto inclui a construção de monumento de 20 metros de altura em homenagem à primeira beata da história do Ceará

23:13 | 06/04/2021
Estacionamento e esplanada do Santuário de Benigna (Foto: Reprodução)
Estacionamento e esplanada do Santuário de Benigna (Foto: Reprodução)

A Prefeitura de Santana do Cariri, no Sul do Estado, anunciou a aprovação, pelo Governo do Ceará, do projeto que prevê a construção do Complexo Turístico de Benigna, que inclui um monumento de 20 metros de altura em homenagem à primeira beata cearense. Segundo o prefeito Samuel Cidade Werton (MDB), a licitação da obra deve ser iniciada nesta semana, no valor global de R$ 18 milhões.

Além da estátua, o projeto engloba a construção de um santuário, salas administrativas, espaços de convivência e estacionamento para carros, motos e ônibus.

“É um projeto que vai colocar Santana do Cariri no mapa do turismo religioso do Ceará e que contribuirá para a geração de emprego e renda no nosso município”, afirmou o prefeito durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

O complexo será construído em uma área de 110.000 m², localizada no bairro Inhumas. As vias de acesso ao monumento serão urbanizadas e sinalizadas, conforme consta no projeto original. O percurso será chamado de “Caminhos de Benigna”, incluindo o cenotáfio (memorial fúnebre) e estações da Via Sacra.

Clique na imagem para abrir a galeria

Reconhecimento da Igreja

A beatificação de Benigna Cardoso Cruz foi aprovada pelo Vaticano em outubro de 2019, após mais de 8 anos de espera, desde quando o processo de reconhecimento havia sido aberto em 2011 pela Diocese do Crato.

Natural de Santana do Cariri, Benigna nasceu em 1928 e foi barbaramente assassinada a facadas aos 13 anos por se recusar a manter relações sexuais com um adolescente que a assediava. O mártir foi reconhecido pela Igreja Católica como um “exemplo de bondade e fé”.

A cerimônia de beatificação estava prevista para o dia 21 de outubro do ano passado, na Sé Catedral Nossa Senhora da Penha, no Crato, mas foi adiada pelo Vaticano, em virtude da pandemia de Covid-19.