PUBLICIDADE
Notícias

Detentos da cadeia pública são mortos em invasão de grupo armado

Aproveitando-se da momentânea ausência da PM no local, os homens renderam o agente penitenciário da cadeia e mataram os dois presos

09:02 | 24/07/2015

Atualizado às 10h20min

Dois detentos da Cadeia Pública de Mulungu, no Maciço de Baturité, foram mortos na madrugada desta sexta-feira, 24, por um grupo de quatro homens que invadiu a cadeia.

Conforme relato da Polícia Militar (PM) no município, que tem sede no mesmo prédio onde funciona a cadeia, os homens chegaram por volta das 0h, tendo aproveitado-se da ausência de PMs no local — eles haviam ido atender a uma outra ocorrência. O responsável pela Área Integrada de Segurança 13, onde fica Mulungu, delegado Sidney Lira, afirma que "tudo indica" que o chamado aos PMs foi uma ação do grupo criminoso, visto que nenhuma ocorrência foi confirmada no local informado na denúncia.

O único agente penitenciário da cadeia foi rendido pelos homens. Em posse das chaves, os homens buscaram Francisco Valdemir Moreira de Barros e Albert David de Sousa Freitas, que estavam em celas diferentes. Toda a ação durou cerca de cinco minutos, estima a PM. Não houve tempo para a chegada do atendimento médico, e eles morreram no local.

Francisco Valdemir e Albert David estavam presos pelo crime de homicídio (artigo 121 do Código Penal Brasileiro). Albert David, conhecido como Soneca, é apontado pelo delegado Sidney Lira como líder do tráfico de drogas na região, no mesmo grupo em que Francisco Valdemir participava. Soneca havia sido preso nessa quinta-feira, 23. A polícia trabalha com a hipótese de "queima de arquivo" como motivação dos assassinatos.

O grupo fugiu em duas motos. Até o momento, nenhum deles foi identificado ou preso, apesar das buscas feitas pela PM na região. O caso é investigado pela Delegacia Regional de Baturité.

Redação O POVO Online
TAGS