PUBLICIDADE
Notícias

Polícia prende paraenses por golpe da fralda no interior do Ceará

Dupla vendia colchas de cama e travesseiros a preços baixos e enganava as vítimas, afirmando que se tratava de um material de alta qualidade

20:59 | 29/03/2015
NULL
NULL

Duas mulheres paraenses foram detidas ao aplicar o golpe da fralda nos moradores de Jaguaribara, no último sábado (29). As suspeitas utilizavam um automóvel para viajar por todo o Interior do Estado vendendo colchas de cama e travesseiros a preços baixos e enganavam as vítimas, afirmando que se tratava de um material de alta qualidade. No entanto, quando as pessoas iam utilizar o enxoval de cama, mesa e banho, se deparavam com fraldas descartáveis dentro dos travesseiros e dos endredons embalados.

De acordo com o titular da Delegacia Regional de Jaguaribe, Adriano Félix, foram apreendidos 115 travesseiros com fraudas descatáveis dentro, 41 lençóis, 49 lençóis e 31 endredons. Cinco vítimas teriam comparecido na delegacia para relatar o fato. A Polícia Militar teria recebido a informação de que duas mulheres estariam se apresentando como representante de fábricas de peças de cama, mesa e banho. As vítimas informaram à Polícia que as vendedoras apresentavam o material em pacotes transparentes lacrados e com etiquetas dentro, que continham informações sobre o tipo e a qualidade da mercadoria.
[SAIBAMAIS2]
Ainda segundo delegado Adriano Félix, quando as supostas vendedoras iam embora, o cliente se deparava com produtos de baixa qualidade fraldas e dentro dos travesseiros e das embalagens de endredom.

A PM da Região foi até o local indicado na denúncia, onde se encontravam três veículos, sendo uma L200 de cor preta, um automóvel Gol preto e uma Montana Prata, mas todos se evadiram. Apenas a L200 foi encontrada e as duas vendedoras foram identificadas dentro dentro de uma casa mostrando material as possíveis vítimas.

Meire Lopes e Albertina dos Santos foram detidas e informaram que não seriam proprietárias das fábricas e que pegavam as mercadorias para revender, porém, não sabiam que se tratava de produtos adulterados. Conforme informou o delegado Adriano Félix, todo o material foi encaminhado à Delegacia Regional de Jaguaribe, junto das suspeitas.

Jéssika Sisnando

TAGS