Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Dia Internacional das Mulheres: desafios enfrentados pelas mulheres no Cariri

No Cariri, entre desafios e avanços, o Dia Internacional da Mulher é marcado por reflexões sobre as lutas vivenciadas por mulheres acerca da violência doméstica e o feminicídio

Nesta terça-feira, 8 de março, comemora-se internacionalmente o Dia da Mulher. Marcada não somente como forma de homenagem, a data serve como convite à reflexão das lutas e desafios enfrentados pelas mulheres cotidianamente em todo o mundo. No Cariri, o número de casos de feminicídio e de violência contra a mulher demonstram que ainda existem muitos desafios a serem enfrentados para que seus direitos sejam, de fato, assegurados. Em entrevista ao jornalista Farias Júnior, da rádio CBN Cariri, a delegada Kamila Brito, titular da Delegacia da Mulher do município, avaliou os desafios e avanços.

A divulgação dos números do 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostrou que o Ceará é o segundo estado brasileiro com a maior taxa de homicídios de meninas e mulheres. De acordo com o levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a taxa era de sete mortes a cada 100 mil mulheres no Estado, em 2020, quando 329 mulheres foram mortas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

No Ceará, o número de homicídios de vítimas do sexo feminino foi de 329 mulheres em 2020. Em um comparativo com o ano de 2019, o último ano apresentou um aumento de 104 homicídios. Já em relação aos feminicídios, os números apresentaram queda, indo de 34 para 27 casos.

Já conforme dados disponibilizados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa do Estado do Ceará (SSPDS), no Cariri, até agosto de 2021 foram registrados cerca de 1.443 boletins de ocorrência enquadrados na Lei Maria da Penha, que estipula punição adequada e coíbe atos de violência doméstica contra a mulher, além de quatro casos de feminicídio.

“Infelizmente, ainda existem muitos casos, mas, por outro lado, as mulheres estão cada vez mais conhecendo os seus direitos e denunciando, sabendo que existem órgãos públicos especializados para o atendimento delas. Aqui, no Crato, por exemplo, além da Delegacia da Mulher, temos o Centro de Referência da Mulher, onde temos psicólogas, assistentes sociais e advogadas, e a Defensoria Pública, que também está sempre ao lado das mulheres. Então, temos todo um movimento de luta que há muitos anos labuta contra a violência e em apoio às vítimas”, diz Kamila Brito.

Em 2022, o Dia Internacional das Mulheres marca a chegada da primeira unidade da Casa da Mulher Cearense (CMC) no interior do Estado. A inauguração ocorreu na tarde desta terça-feira, 8, em Juazeiro do Norte. O equipamento é fruto das reinvindicações das mulheres na luta por igualdade de gênero e por políticas públicas de combate à violência doméstica.

“Hoje, em especial, ganhamos um equipamento que vai somar aqui na nossa região, que é a Casa da Mulher Caririense, onde todos os órgãos irão se concentrar. No equipamento, teremos Promotoria, Juizado, Delegacia de Defesa da Mulher e outros. Enfim, será um espaço para proteger ainda mais essa mulher que se sente vítima da violência doméstica na nossa cidade”, destacou a delegada.

Serviço

Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180

Delegacia de Defesa da Mulher do Crato (DDM-CR)
Endereço: Rua Coronel Secundo, 216 - Pimenta
Contato: (88) 3102 1250

Casa da Mulher Cearense de Juazeiro do Norte
Endereço: Av. Padre Cícero, 4455 - São José, Juazeiro do Norte - CE, 63041-140

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar