Participamos do

Jornalista cearense Francisco José fala sobre saída da Globo: "Não foi traumática"

Depois de 46 anos, o jornalista se desligou da Globo, com grandes expectativas para o futuro falou do atual momento da sua carreira e de seus planos.
14:19 | Dez. 17, 2021
Autor Danrley Pascoal
Foto do autor
Danrley Pascoal Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Depois de 46 anos trabalhando na TV Globo, Francisco José foi desligado da emissora carioca no final de novembro. Em seu currículo, o profissional cearense, da região do Cariri, tem a cobertura de quatro Copas do Mundo, duas Olimpíadas, a Guerra das Malvinas, uma indicação ao Emmy e inúmeras reportagens especiais para o Globo Repórter.

O ex-jornalista da Globo, natural do Crato, esteve na rádio CBN Cariri nesta sexta, 17. Ele falou sobre seu trabalho e passagens marcantes da carreira. Francisco José contou histórias da reportagem indicada ao Emmy, o Oscar do Jornalismo. Durante a produção, ele ficou 32 dias em uma aldeia indígena no meio da selva amazônica, em um ambiente isolado da civilização.

“Nós conseguimos mostrar tudo isso [costumes e rituais], e essa reportagem foi finalista do Prêmio Emmy. Por isso, eu considero a reportagem mais marcante. Apesar do sacrifício do período dentro da selva nas mesmas condições dos indígenas, mas vivendo com a pureza de espírito dos nativos”, destacou em entrevista ao jornalista Farias Júnior.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O jornalista participou, ao longo dos seus 46 anos de TV Globo, de 103 episódios do Globo Repórter. Ele foi questionado sobre suas impressões e de como enxerga o jornalismo nos dias atuais, quando, cada vez mais, o profissional vem sendo desafiado e sofrendo pelas transformações da área. Principalmente com o advento das redes sociais, onde qualquer pessoa pode produzir conteúdo noticioso numa velocidade cada vez maior.

“Olha, o jornalista que se forma tem que acompanhar o imediatismo das redes sociais, esta que divulga em primeira hora, muito rapidamente. Tudo agora é feito em entradas ao vivo, hoje nos telejornais o que você mais vê é o repórter falando ao vivo. Isso é uma evolução muito grande”, disse.

Depois de 46 anos, o jornalista se desligou da Globo, com grandes expectativas para o futuro: "A minha saída da Globo não foi traumática, não houve briga. Foi uma coisa que viria a acontecer. Então, estou bem, tenho algumas propostas de trabalho e eu espero ter condição de continuar fazendo reportagens, mesmo fora da Globo. Fazer documentários se possível para grandes empresas com divulgação em todo mundo. Eu espero fazer isso”, conclui.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags