PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Operação cumpre mandados contra suposto esquema de corrupção na Câmara Municipal de Crateús

Um secretário, quatro empresários, quatro vereadores e quatro servidores da Câmara Municipal de Crateús, a 359,1 quilômetros de Fortaleza, foram alvos da Operação nesta quinta-feira

13:10 | 17/09/2020
A operação do MPCE cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão em cidades do Ceará. Foto: O POVO via Whatsapp (Foto: Foto: O POVO via Whatsapp)
A operação do MPCE cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão em cidades do Ceará. Foto: O POVO via Whatsapp (Foto: Foto: O POVO via Whatsapp)

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por intermédio do Grupo Especial de Combate à Corrupção (GECOC) e da 4ª Promotoria de Justiça de Crateús, deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 17, a Operação Vértice. A denúncia é de suposta corrupção, peculato e lavagem de dinheiro em contratos da Câmara Municipal de Crateús, a partir do ano de 2015, para serviços de assessoria contábil e financeira. Estão sendo cumpridos três mandados de prisões temporárias e 15 mandados de busca e apreensão. A movimentação financeira no esquema seria de quase R$ 1 milhão.

LEIA MAIS| MPCE desarticula quadrilha de policiais que extorquia facções criminosas 

Mais de 600 procedimentos para fiscalização de gastos públicos na pandemia já foram instaurados pelo Ministério Público

Os alvos da Operação são um secretário municipal, quatro empresários, quatro vereadores e quatro servidores da Câmara Municipal. Os nomes não são divulgados para não atrapalhar as investigações. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara da Comarca de Crateús e estão sendo cumpridos nas cidades de Crateús, Poranga, Barroquinha e Fortaleza, com diligências também no estado do Piauí. A Operação do MPCE teve o apoio do Departamento Técnico Operacional (DTO) da Polícia Civil.

De acordo com o promotor de Justiça Flávio Bezerra, o esquema criminoso supostamente envolvida servidores, vereadores e empresários envolvidos com a Câmara Municipal da cidade. “Verificou-se que empresas de consultoria contábil, administrativo e financeiro, prestavam serviço de fachada e repassavam quase a totalidade dos novos recebidos aos suspeitos, que chegaram a movimentar quase R$ 1 milhão”, informa.

Em nota, o presidente da Câmara Municipal de Crateús, Manoel Conegundes Soares esclarecer que cidade foi surpreendida, nesta quinta, com o cumprimento de dezesseis mandados de busca e apreensão e decretação de três prisões, em que se apura supostas irregularidades ocorridas nos exercícios de 2015 e 2016. “Salta aos olhos que os fatos apurados são desvinculados da atual gestão do Legislativo Crateuense”, avisa o comunicado. Na nota, a presidência diz que sempre atendeu, com respeito e atenção, às diligências do grupo de promotores oficiante na Comarca e que aguarda que todos os atos deste processo sejam praticados em sintonia com o devido processo legal.

A nota informa ainda que, por cautela, a presidência pondera que todos devem evitar juízos precipitados de antecipação de culpa, que espera que os acionados possam exercer suas defesas de modo amplo, esclarecendo os pontos controversos. Finaliza afirmando o compromisso em colaborar com a Justiça e de continuar lutando em favor de melhores dias para o povo da sua terra.