Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Após chacina e boatos de invasão, distrito de Caucaia terá base móvel da PM

SSPDS desmentiu ameaças contra moradores da localidade e listou ações feitas na região para reforçar a segurança. Chacina no domingo deixou cinco mortos
22:55 | Ago. 04, 2021
Autor - Lucas Barbosa
Foto do autor
- Lucas Barbosa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O distrito de Boqueirão das Araras, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), ainda vive em clima de medo após a chacina que deixou cinco mortos no último domingo, 1º. Nesta quarta-feira, 4, circularam boatos de uma nova invasão na localidade, o que não foi confirmado pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). “Uma base móvel da PMCE será enviada ao local para permanecer de forma preventiva”, disse a pasta em nota.

Conforme a SSPDS, assim que as forças de segurança tomaram conhecimento dos relatos, que diziam que haveria uma invasão e que moradores seriam expulsos da comunidade, policiais militares e civis foram enviados à região para “atuação imediata e averiguação das denúncias”. A SSPDS ainda afirma que PMs do Batalhão de Policiamento de Prevenção Especializada (BPEsp) coordenam "ações multidisciplinares" na comunidade, o que é parte de "protocolo policial específico" para esse tipo de ocorrência.

O Centro de Referência em Direitos Humanos da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS) também foi acionado para “dar todo o apoio necessário às famílias”. Por fim, equipes do 12º Batalhão de PM, da Delegacia Metropolitana de Caucaia, e da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional também foram enviados ao local.

LEIA TAMBÉM | Polícia encontra fardamento do exército junto a suspeitos de Chacina de Caucaia

O POVO apurou com uma fonte ligada à SSPDS que os boatos de expulsões de moradores surgiram após familiares de presos pela chacina de domingo terem se mudado do local, o que ocorreu por sugestão dos próprios suspeitos. Junto a isso, posteriormente, um morador teria divulgado a informação de que haveria uma “invasão” por parte de uma facção criminosa. Um áudio que circulou nas redes sociais afirmava que por causa da suposta invasão, os moradores estavam saindo de suas casas. A pessoa chegou a ser conduzida a delegacia para prestar esclarecimentos sobre a informação.

A Chacina de Boqueirão das Araras foi executada por criminosos da facção Comando Vermelho (CV), que acreditavam que quatro das vítimas pertenciam a uma dissidência da facção, a “Tropa do Mago”. Conforme O POVO já havia mostrado, dois dos presos, Antônio Michael da Silva Nogueira e Leandro Moreira Vitor da Silva, afirmaram em depoimento que quatro das vítimas expulsaram eles e suas famílias da comunidade por a dupla não ter aceitado deixar o CV.

Além dos dois, foram presos João Pedro de Oliveira Sousa e Raimundo Cleilton Ferreira da Costa, que negam envolvimento no crime, e um adolescente foi apreendido. Outros dois suspeitos foram identificados e são procurados pela Polícia. Além disso, dois chefes do CV são investigados por terem autorizado a matança. Morreram na chacina: Francisco Mateus Ferreira Santana, de 24 anos, e Carlos André Ferreira Santana, de 27 anos, ambos irmãos; Patrício de Oliveira Silva, de 26 anos, Felipe Carvalho Sampaio, de 27 anos; e Raimundo Pereira do Nascimento Filho, de 25 anos.

Denuncie

A SSPDS reforça que a população pode contribuir com o trabalho das forças de segurança com denúncias nos números 181, o Disque-Denúncia da SSPDS; e (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

As denúncias também podem ser feitas ainda pelos telefones (85) 3101-3360, da Delegacia Metropolitana de Caucaia. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags