PUBLICIDADE
Notícias

Viaduto alvo de ataque em Caucaia está interditado e corre risco de desabamento

Agentes da PRF estão no local bloqueando as vias

08:43 | 03/01/2019
NULL
NULL
Atualizada às 13h36min
 
[FOTO1]Todas as pistas do viaduto da BR-020 alvo de tentativa de explosão na madrugada desta quinta-feira, 3, estão interditadas por risco de desabamento da estrutura. A informação foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que se encontra no local coibindo a passagem de veículos.
[FOTO2]
Em onda de violência em Fortaleza e Região Metropolitana, criminosos tentaram explodir o viaduto, danificando uma das quatro vigas que sustenta a estrutura. Na Capital, ônibus foram queimados.
 
Informações de moradores da região dão conta que a ação criminosa aconteceu por volta da 0h30min. Há relatos que o estrondo foi ouvido de bairros vizinhos. Algumas pessoas relataram pensar que se tratava de um terremoto. Agentes da PRF aguardam a chegada de engenheiros do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para saber se será possível liberar o trânsito de veículos.
 
[SAIBAMAIS] 
Perto do local da explosão, suspeitos deixaram no chão uma série de panfletos falando sobre o crime organizado e reivindicando melhorias dentro das penitenciárias cearenses. O POVO Online encontrou uma destas produções próximo ao viaduto. O texto está datado de 23 de dezembro de 2018 - portanto, seria antes da declaração do novo secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque que, na posse, falou não reconhecer a existência de facções criminosas.

A Polícia Civil investiga as motivações da onda de ataques.
 
Os crimes vêm após Luís Mauro Albuquerque, gestor da recém-criada Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), afirmar em sua posse, no último dia 1º, que não reconhece facções criminosas e não acredita na divisão de presos de organizações criminosas rivais em presídios diferentes. A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas (Draco) investiga a motivação dos ataques.
 
Por telefone, a assessoria de comunicação da SAP informou que ainda não irá se pronunciar. A pasta ponderou ainda que as motivações estão sendo investigadas pela SSPDS e se caso for confirmado que as ações são em represália à fala do titular da SAP, eles irão avaliar um posicionamento.  
 
 

TAGS