PUBLICIDADE
Noticia

Mais três suspeitos de participar de assassinato de PM em Cascavel são presos

Criminosos ligados ao CV praticaram o homicídio, aponta investigação. Crime teria ocorrido após o policial militar Cícero Marcos Viana dos Santos trafegar com vidros fumê levantados

Lucas Barbosa
17:50 | 01/02/2021
Material apreendido durante as investigações da morte do cabo Cícero Marcos Viana dos Santos (Foto: Divulgação/SSPDS)
Material apreendido durante as investigações da morte do cabo Cícero Marcos Viana dos Santos (Foto: Divulgação/SSPDS)

Foram presos mais três suspeitos de participação no assassinato do policial militar Cícero Marcos Viana dos Santos, de 38 anos, crime ocorrido na noite da última sexta-feira, 29, em Cascavel, Região Metropolitana de Fortaleza. João Inácio da Costa Rodrigues, Francisco Luan de Menezes e Felipe Monteiro de Sousa são suspeitos de integrar a facção criminosa Comando Vermelho (CV).

Outros dois homens já haviam sido presos: Rosenildo de Carvalho Lima e Francisco Diego Batista Pereira. Além disso, dois outros suspeitos foram identificados e estão sendo procurados.

Conforme a investigação policial, o PM, que era lotado na 1ª Companhia do 1º Batalhão de Policiamento de Choque (Cotam), estava em seu carro procurando um endereço na localidade de Guanacés. Os vidros do veículo estavam levantados e tinham a película fumê, o que teria levado dois homens a abordarem o policial. Eles, que estavam em uma moto, teriam ordenado que o PM baixasse os vidros do carro. A vítima reagiu, quando começou uma troca de tiros. Tanto o PM quanto um suspeito, Francisco Diego, foram atingidos. Ainda segundo o auto de prisão em flagrante (APF), após o primeiro tiroteio, quatro homens foram em direção ao cabo e atiraram contra o policial. Marcos Viana morreu no local.

Rosenildo foi o primeiro a ser preso. Com ele, a PM encontrou a pistola do cabo e uma quantia em dinheiro que também teria sido tomada dele. Francisco Diego foi autuado no hospital para onde foi socorrido. Ele segue sob escolta policial. O socorro foi feito após os comparsas dele interceptarem um carro e obrigarem o motorista a dirigir até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Município. Francisco Diego é apontado no APF como chefe da facção na localidade.

Os demais suspeitos foram presos após repasse de informações à Polícia. Francisco Luan, conhecido como Big, foi preso quando tentava fugir em uma topique em Pacajus, município vizinho a Cascavel. Ele negou participação no crime, mas confessou ser integrante do CV. Luan teria apontado três pessoas como as executoras do homicídio. Apenas Felipe Monteiro de Sousa foi encontrado.

Com ele, a PM apreendeu uma espingarda calibre 38 e munição. Felipe afirmou à Polícia que apenas foi chamado para socorrer Diego e que o PM já estava morto quando chegou ao local. Entretanto, confessou ter escondido as armas usadas no crime. Dois revólveres calibre 38 foram encontrados envoltos em uma camisa em um matagal próximo a um açude de Cascavel. A Polícia também apurou que João Inácio teria efetuado disparos contra o PM. Ele foi encontrado na casa de um parente, tendo sido apreendido com ele oito trouxinhas de maconha e uma balança de precisão.

Em audiência de custódia realizada neste domingo, 31, a juíza Danúbia Loss Nicoláo converteu as prisões em flagrantes dos suspeitos em preventiva, assim como expediu mandados de prisão contra os dois outros investigados. Apenas Francisco Luan não foi autuado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e uso de recurso que impossibilite defesa. Ele foi autuado, porém, por integrar organização criminosa.