PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Testemunhas de acusação começam a ser ouvidas sobre assassinatos de Gegê e Paca

Rubens Rodrigues
10:42 | 11/09/2019
Fabiano Alves de Souza, o Paca e Rogério Jeremias, o Gegê do Mangue, líderes do PCC mortos em Jenipapo Kanindé, em Aquiraz
Fabiano Alves de Souza, o Paca e Rogério Jeremias, o Gegê do Mangue, líderes do PCC mortos em Jenipapo Kanindé, em Aquiraz(Foto: Tatiana Fortes/ O POVO)

Começou por volta das 11h desta quarta-feira, 11, a primeira audiência de instrução para ouvir testemunhas, réus e incorporar provas no processo que julga os suspeitos das mortes de Gegê do Mangue e Paca. Os assassinatos aconteceram em Aquiraz, em fevereiro de 2018. Nesta quarta, haverá oitiva com nove testemunhas de acusação da Região Metropolitana de Fortaleza, em Aquiraz. Três juízes titulares e dois suplentes acompanham a audiência, além de representantes do Ministério Público e os advogados de defesa dos réus.

Estão marcadas outras três audiências. Na próxima sexta-feira, 13, serão ouvidas pessoas dos municípios de Caucaia, Mombaça e começam a ser ouvidas pessoas do estado de São Paulo. No dia 20 haverá oitiva com testemunhas que estão no litoral paulista. A última audiência é no dia 24 deste mês, com interrogatório de pelo menos três réus já presos.

Além do piloto Felipe Ramos, preso em Mato Grosso do Sul, serão ouvidos também os réus Carlenilton Pereira Maltas (preso em Brasília) e Jefte Ferreira Santos (preso em Itaitinga). Eles participam das audiências por meio de videoconferências. 

A primeira testemunha a prestar depoimento nesta manhã foi o delegado titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), Harley Filho. Ele relembrou os passos da investigação, desde a descoberta dos corpos em uma reserva indígena de Aquiraz até o itinerário de alguns dos suspeitos em Fortaleza. 

Com informações da repórter Alexia Vieira/O POVO Online