Participamos do

Ceará vive epidemia de síndromes gripais e Influenza A H3N2 prevalece, diz secretária

Quem apresentar sintomas gripais deve fazer teste de Covid-19. Em caso de sintomas leves, recomendação é tratamento em casa, com autoquarentena, uso contínuo de máscara, além da ingestão de bastante água
15:08 | Dez. 29, 2021
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Além da pandemia global causada pelo coronavírus, o Ceará é mais um estado brasileiro a registrar surto de gripe. De acordo com a secretária Executiva de Vigilância e Regulação da Secretaria da Saúde (Sesa), Ricristhi Gonçalves, alguns pontos do Estado já vivem uma epidemia. "A gente já pode considerar que há uma epidemia de síndromes gripais e a que está prevalecendo é a Influenza A H3N2. Já identificamos pelo menos 277 casos, sendo 69 deles com subtipo para Influenza A H3N2." 

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde em 2021 é trivalente e contempla três cepas do vírus: a H1N1, a H3N2 e a Influenza B. Entretanto, no caso da H3N2, há uma nova cepa do vírus circulando pelo Brasil, a Darwin, que não consta nos imunizantes disponibilizados neste ano.

"A vacina é produzida com a cepa que estava circulando no ano anterior, mas, ainda assim, ela protege contra casos graves, porque ela confere uma imunidade e evita o agravamento e possível óbito das pessoas que possam ter Influenza", disse Ricristhi durante entrevista ao O POVO nesta quarta-feira, 29.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

LEIA TAMBÉM | Unidades de saúde públicas e privadas têm aumento da demanda de atendimento por síndromes virais

A secretária explica que Fortaleza e a Região Metropolitana concentram o maior número de casos, por isso, nessas regiões, a gripe já pode ser considerada uma epidemia. Com a chegada da quadra chuvosa, que tem início em fevereiro, os casos de síndrome gripal podem aumentar ainda mais no Estado. "Estamos traçando estratégias junto com os municípios, inclusive, vamos ter uma reunião na próxima quinta-feira, 5, exatamente para falar sobre o acolhimento dessas pessoas na atenção primária. Acreditamos que os casos possam aumentar com o início das chuvas", destaca.

A recomendação atual para quem apresenta sintomas gripais é a de realizar um teste de Covid-19. O tratamento inicial deve ser feito em casa, segundo recomendação da Sesa, e a ida para as emergências hospitalares deve ser destinada para grupos mais vulneráveis, como idosos, crianças, grávidas, puérperas e imunossuprimidos, ou para quem apresenta sintomas mais graves como falta de ar, dor no peito ou cansaço excessivo.

Dentre as recomendações da Sesa para quem possui algum sintoma gripal, desde que não apresente nenhum agravamento da doença, estão: autoquarentena, uso contínuo de máscara, além da ingestão de bastante água.

Segundo Ricristhi, quadros de contaminação por Influenza costumam apresentar sintomas muito intensos nos dois primeiros dias, mas, até o momento, não existe uma tendência de agravamento desses quadros. "Por receio, as pessoas estão buscando a emergência logo. Só que, quando você chega em um local como esse lotado, você acaba exposto a outras viroses, não recomendamos que as pessoas façam isso", pontua.

Para a secretária, é possível que haja uma sobrecarga nos atendimentos da rede pública de saúde durante as próximas semanas, mas esse aumento de demanda não deve refletir em ampliações do número de leitos de enfermaria ou UTI, já que a tendência é de que os casos não se agravem.

Por fim, a secretária Executiva de Vigilância e Regulação da Sesa pede que a população tenha cautela, mas lembra que não é necessário pânico. "Em geral, as crianças estão sendo muito acometidas, possuem um sistema imunológico um pouco imaturo. Elas, potencialmente, podem desenvolver essas síndromes, assim como os idosos. Muitos estão com medo das emergências lotadas, mas são eles que precisam", finaliza.

LEIA TAMBÉM | Covid e Influenza: Ceará registra dois bebês de um ano com coinfecção

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags