Participamos do

Suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro em Fortaleza e Itatira movimentaram R$ 132 milhões

A ação da Polícia faz parte da 2ª fase da "Operação Hasta", que investiga fraudes em licitações. Até o início da manhã desta quinta, seis pessoas foram presas
08:21 | Out. 21, 2021
Autor Angélica Feitosa
Foto do autor
Angélica Feitosa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 23:33

Um total de R$ 132 milhões foram movimentados por uma quadrilha especializada em fraudes em licitações, lavagem de dinheiro e em desvio de dinheiro público. Na segunda fase da Operação Hasta, que investiga a atuação dos criminosos que agiam em Fortaleza e em Itatira, a 216 quilômetros da Capital, sete pessoas foram presas nesta quinta-feira, 21.

A ação conta com 90 policiais civis que estão dando cumprimento a dez mandados de prisão. Mais informações serão divulgados ao longo do dia. A primeira fase da operação Hasta foi desencadeada no dia 6 de julho. A quadrilha comandada por pessoas de mesma família suspeita de usar laranjas para fraudar licitações milionárias foi alvo de operação realizada em Fortaleza, Caucaia, Itatira e Pacatuba. Nessa primeira ação, a Polícia investigou o grupo que movimentou cerca de R$ 132 milhões nos últimos oito anos. Duas pessoas foram presas em flagrante e R$ 2 milhões foram bloqueados em bens móveis, imóveis e valores

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segunda fase da Operação Hasta acontece na manhã desta quinta-feira, em Fortaleza e Itatira
Segunda fase da Operação Hasta acontece na manhã desta quinta-feira, em Fortaleza e Itatira (Foto: Foto: Polícia Civil)

Hasta, o nome da operação, é uma referência a uma expressão de origem árabe que significa “sob a lança”, o que quer dizer que debaixo da lança nada deveria ser oculto, não podendo haver suspeitas em um contrato ou em um negócio.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags