Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Incidente no Pecém segue em apuração; Bombeiros ressaltam importância da prevenção

André Ribeiro, tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, conta que semanalmente há reunião com os representantes das empresas para a execução do plano contra incêndios.
12:57 | Ago. 11, 2021
Autor - Levi Aguiar
Foto do autor
- Levi Aguiar Autor
Tipo Noticia

Após o incidente que provocou forte estrondo e uma coluna de fumaça na Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), o Corpo de Bombeiros do Ceará (CBMCE) afirma que está havendo apuração sobre o patamar da ocorrência. Conforme o tenente-coronel André Ribeiro, além da atuação contínua da corporação no Complexo do Pecém, as empresas possuem estrutura com diversos itens de segurança.

"No caso de uma ocorrência fugir do controle, a primeira coisa que ela deve fazer é entrar em contato com o Corpo de Bombeiros”, afirmou o tenente-coronel em entrevista à Rádio O POVO CBN nesta quarta-feira, 11. Questionado sobre o incidente e a segurança da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), o tenente-coronel relata que os Bombeiros, semanalmente, estão se reunindo com os representantes das empresas para a execução do plano contra incêndios. “A gente trabalha visando a prevenção dos sinistros. Em relação à questão da segurança contra incêndio, todas as empresas possuem um plano”.

As reuniões semanais também buscam "fortalecer" o Plano de Auxílio Mútuo (PAM), coordenado pelo CBMCE, que representa um processo de associação de entidades privadas e públicas, com objetivo de atuar de forma cooperada no atendimento a uma emergência: “O PAM trabalha em cima da possibilidade de uma ocorrência de maior vulto”.

Um vulto seria uma ocorrência que transcende as condições de resposta do local. O Corpo de Bombeiros Militar do Ceará explicou que, em síntese, o Plano serve para quando um sinistro (incidente) ocorre em uma empresa, da região ou local, e seu poder de resposta não é suficiente para combater a situação. É quando os demais membros são avisados - empresas que trabalham no entorno - para somar esforços, seja por meio de equipamentos, pessoal ou logística.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Incidente na siderúrgica causa barulho e coluna de fumaça no Pecém

Economia
00:30 | Ago. 11, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um barulho como de uma explosão seguido de uma coluna de fumaça densa e escura assustaram os habitantes e operários do Complexo do Pecém na tarde desta terça-feira, 10. A causa foi um incidente na Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que confirmou o ocorrido ao O POVO.

"A Companhia Siderúrgia do Pecém (CSP) informa que, nesta terça-feira (10 de agosto), por volta das 17 horas, foi registrada uma ocorrência na planta do alto-Forno. Uma reação causada pela presença de água no dru pit (reservatório de descarte de gusa) gerou um forte ruído, acompanhado de fumaça alta e escura", diz a siderúrgica em nota.

O alto-forno da CSP é a estrutura responsável pela redução do minério de ferro a fim de transformá-lo em ferro-gusa. Em junho, a Companhia comemorou os 5 anos de atividade do alto-forno, que produziu produziu 13,8 milhões de toneladas de ferro-gusa. O calor na estrutura chega a 2.000°C e possui 100 metros de altura.

Procurado, o Corpo de Bombeiros informou que tomou conhecimento do incidente, mas não foi acionado. Por isso, nenhuma viatura foi deslocada para o Pecém.

A CSP informou ainda que "não houve vítimas" e "as causas do incidente estão sendo apuradas".

Confira as imagens:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Incidente na siderúrgica causa barulho e coluna de fumaça no Pecém

Economia
18:52 | Ago. 10, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Um barulho como de uma explosão seguido de uma coluna de fumaça densa e escura assustaram os habitantes e operários do Complexo do Pecém na tarde desta terça-feira, 10. A causa foi um incidente na Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que confirmou o ocorrido ao O POVO.

"A Companhia Siderúrgia do Pecém (CSP) informa que, nesta terça-feira (10 de agosto), por volta das 17 horas, foi registrada uma ocorrência na planta do alto-Forno. Uma reação causada pela presença de água no dru pit (reservatório de descarte de gusa) gerou um forte ruído, acompanhado de fumaça alta e escura", diz a siderúrgica em nota.

O alto-forno da CSP é a estrutura responsável pela redução do minério de ferro a fim de transformá-lo em ferro-gusa. Em junho, a Companhia comemorou os 5 anos de atividade do alto-forno, que produziu produziu 13,8 milhões de toneladas de ferro-gusa. O calor na estrutura chega a 2.000°C e possui 100 metros de altura.

Em nota, a empresa informa ainda que o Centro Integrado de Emergência (CIE) da CSP foi acionado de imediato, encaminhando Bombeiros e ambulâncias ao local, procedimento padrão dos protocolos de segurança da empresa. E que não houve vítimas, mas que as causas do incidente estão sendo apuradas. "A CSP reforça que a segurança dos seus empregados, terceirizados e comunidade são seu principal valor".

 

Confira as imagens:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Invasão no celular de Camilo Santana tinha objetivo de desviar verba pública

Tentativa de furto de dinheiro público
00:30 | Ago. 10, 2021
Autor
Tipo

No último domingo, 8, Leonel Silva Pires Junior foi preso suspeito de clonar o aparelho celular do governador do Ceará, Camilo Santana (PT). Ele foi capturado pela Polícia Civil do Ceará no estado do Maranhão. O suspeito tentou, utilizando os dados do governador, a liberação de chaves de segurança bancária para realizar uma transferência de valores da conta de uma prefeitura do interior do Pará. A Polícia afirma que o suspeito não obteve êxito. As informações foram repassadas pela Secretaria de Segurança Pública Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS).

Usando uma tática para resgatar informações pessoais e acesso a aplicativos - técnica conhecida como SIM Swap - do governador, o homem de 33 anos fez contato com uma instituição financeira e tentou a liberação de uma chave de segurança de um valor do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Esse valor está provisionado em uma conta de uma cidade no interior do Pará.

Segundo o diretor do Departamento de Inteligência da Polícia Civil (DIP), Edvando França, trata-se de um criminoso de alto conhecimento. “Ele não visava retirar dinheiro da conta do governador, mas buscava furtar dinheiro de contas públicas. Ele usava imagens de autoridades de todas os estados da federação para aplicar golpes em instituições financeiras visando a retirada de dinheiro público”, afirma.

O diretor do DIP conta que qualquer gerente de Banco pode fazer autorizações em relação às chaves que liberam os valores guardados. "Ele (Leonel), passando-se pelo governador do estado do Ceará, entrou em contato com um banco pedindo a liberação de uma conta pública, em outro estado", relata.

"A gerente percebeu que se tratava de um golpe e não cedeu a chave ao suspeito. O homem só queria usar a imagem do governador. O gerente não sabia que era uma verba do Fundeb, porque se tratam de códigos”, conclui. 

Suspeito já havia clonado telefones de outras autoridades

 

O secretário da segurança pública, Sandro Caron, explicou que o homem costumava clonar o telefone das autoridades e usava os dispositivos de trocas de mensagens dessas autoridades. "O suspeito contatava os gerentes dessas agências bancárias que cuidavam de contas públicas e tentava enganá-los, de modo que fosse liberada uma chave de segurança bancária. Caso houvesse esse descuido e fosse liberada a chave, ele faria transferência dos recursos daquela conta para outras contas utilizadas por ele", detalhou.

O suspeito possui diversos antecedentes criminais e é considerado especialista em furtar dinheiro público por meio de tecnologia cibernética. Leonel já foi preso em 2018 durante uma operação da Policia Federal em São Luís. O suspeito deve responder por crimes de invasão de dispositivo telefônico e estelionato consumado e tentado.

A SSPDS divulgou que mais outras autoridades foram vítimas do grupo: entre 5 a 10 prefeitos, 2 outros governadores e 1 ministro de Estado. A SSPDS também mencionou que prefere manter mais aspectos do crime em sigilo para evitar popularização da prática.

O homem é de São Luís e estava em São Paulo realizando lavagem de dinheiro. Foi preso quando voltava para o seu estado natal. O homem também “ostentava” um vasto material eletrônico - aparelhos celulares, notebooks, drone, maquinetas de cartões magnéticos - e mais três veículos, um Land Rover Discovery, um Fiat Cronos e um UTV (veículos utilitário multitarefas).

*Com informações da repórter Angélica Feitosa

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Invasão no celular de Camilo Santana tinha objetivo de desviar verba pública

Tentativa de furto de dinheiro público
11:30 | Ago. 09, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

No último domingo, 8, Leonel Silva Pires Junior foi preso suspeito de clonar o aparelho celular do governador do Ceará, Camilo Santana (PT). Ele foi capturado pela Polícia Civil do Ceará no estado do Maranhão. O suspeito tentou, utilizando os dados do governador, a liberação de chaves de segurança bancária para realizar uma transferência de valores da conta de uma prefeitura do interior do Pará. A Polícia afirma que o suspeito não obteve êxito. As informações foram repassadas pela Secretaria de Segurança Pública Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS).

Usando uma tática para resgatar informações pessoais e acesso a aplicativos - técnica conhecida como SIM Swap - do governador, o homem de 33 anos fez contato com uma instituição financeira e tentou a liberação de uma chave de segurança de um valor do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Esse valor está provisionado em uma conta de uma cidade no interior do Pará.

Segundo o diretor do Departamento de Inteligência da Polícia Civil (DIP), Edvando França, trata-se de um criminoso de alto conhecimento. “Ele não visava retirar dinheiro da conta do governador, mas buscava furtar dinheiro de contas públicas. Ele usava imagens de autoridades de todas os estados da federação para aplicar golpes em instituições financeiras visando a retirada de dinheiro público”, afirma.

O diretor do DIP conta que qualquer gerente de Banco pode fazer autorizações em relação às chaves que liberam os valores guardados. "Ele (Leonel), passando-se pelo governador do estado do Ceará, entrou em contato com um banco pedindo a liberação de uma conta pública, em outro estado", relata.

"A gerente percebeu que se tratava de um golpe e não cedeu a chave ao suspeito. O homem só queria usar a imagem do governador. O gerente não sabia que era uma verba do Fundeb, porque se tratam de códigos”, conclui. 

Suspeito já havia clonado telefones de outras autoridades

 

O secretário da segurança pública, Sandro Caron, explicou que o homem costumava clonar o telefone das autoridades e usava os dispositivos de trocas de mensagens dessas autoridades. "O suspeito contatava os gerentes dessas agências bancárias que cuidavam de contas públicas e tentava enganá-los, de modo que fosse liberada uma chave de segurança bancária. Caso houvesse esse descuido e fosse liberada a chave, ele faria transferência dos recursos daquela conta para outras contas utilizadas por ele", detalhou.

O suspeito possui diversos antecedentes criminais e é considerado especialista em furtar dinheiro público por meio de tecnologia cibernética. Leonel já foi preso em 2018 durante uma operação da Policia Federal em São Luís. O suspeito deve responder por crimes de invasão de dispositivo telefônico e estelionato consumado e tentado.

A SSPDS divulgou que mais outras autoridades foram vítimas do grupo: entre 5 a 10 prefeitos, 2 outros governadores e 1 ministro de Estado. A SSPDS também mencionou que prefere manter mais aspectos do crime em sigilo para evitar popularização da prática.

O homem é de São Luís e estava em São Paulo realizando lavagem de dinheiro. Foi preso quando voltava para o seu estado natal. O homem também “ostentava” um vasto material eletrônico - aparelhos celulares, notebooks, drone, maquinetas de cartões magnéticos - e mais três veículos, um Land Rover Discovery, um Fiat Cronos e um UTV (veículos utilitário multitarefas).

*Com informações da repórter Angélica Feitosa

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

MP-SP vai investigar proposta de fechamento das Casas da Agricultura

ECONOMIA
09:09 | Ago. 06, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) anunciou que abriu uma investigação sobre o projeto que pretende extinguir as Casas da Agricultura, que prestam assistência técnica especializada aos agricultores paulistas. O objetivo do procedimento é apurar "possível irregularidade no decreto de reestruturação da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que visa desativar todas as 574 Casas da Agricultura e 16 dos 40 escritórios de desenvolvimento rural do Estado", informa a portaria assinada pelo promotor Christiano Jorge dos Santos, da 7ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social.
Em comunicado, a Associação Paulista de Extensão Rural (Apaer) informa que, apesar de o decreto nunca ter sido publicado, ao longo do último ano diversos prédios de Casas da Agricultura, em diferentes regiões do Estado, foram cedidos a outros departamentos e às prefeituras. A medida foi decretada durante gestão de Gustavo Junqueira e foi suspensa pelo novo secretário de Agricultura do Estado, Itamar Borges.
O MP-SP diz que apura alterações na pasta "para, supostamente, adaptá-la ao plano supracitado. A título de exemplo, indicou-se a nomeação de um mesmo servidor público para o cargo de coordenador substituto nas Divisões Regionais de Bragança Paulista, Piracicaba e São João da Boa Vista, que seriam reunidas de acordo com projeto de reestruturação", diz trecho da portaria que instaurou a investigação.
Segundo a Apaer, desde agosto de 2020, a notícia sobre a intenção do governo do Estado de fechar as Casas da Agricultura tem causado grande inquietação nos agricultores paulistas que precisam dos serviços da extensão rural pública. Ao longo do processo, a Apaer manifestou sua preocupação para que "os agricultores familiares não fossem abandonados pelo Governo do Estado em plena pandemia".
"A instauração do inquérito por parte do Ministério Público confirma a importância das Casas da Agricultura e dos Escritórios de Defesa Agropecuária para o agro paulista, principalmente para a agricultura familiar que produz a maior parte do alimento que chega nas nossas mesas", comentou na nota o presidente da Apaer, Antônio Marchiori.
Em maio deste ano, quando Gustavo Junqueira deixou a pasta, a proposta de extinção das unidades foi suspensa por Itamar Borges. O novo secretário se reuniu com as entidades e recebeu da Apaer projeto desenvolvido por especialistas da entidade em parceria com pesquisadores da Esalq/USP, Unicamp, Unesp, Ufscar e Embrapa, que havia sido entregue para Junqueira. "É preciso um olhar mais sensível e estratégico sobre o potencial da agricultura paulista, que contemple suas vocações regionais e características sociais", concluiu Marchiori.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags