Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Incidente na siderúrgica causa barulho e coluna de fumaça no Pecém

Segundo a CSP, não houve vítimas e as causas estão sendo apuradas
18:52 | Ago. 10, 2021
Autor - Redação O POVO
Foto do autor
- Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Um barulho como de uma explosão seguido de uma coluna de fumaça densa e escura assustaram os habitantes e operários do Complexo do Pecém na tarde desta terça-feira, 10. A causa foi um incidente na Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que confirmou o ocorrido ao O POVO.

"A Companhia Siderúrgia do Pecém (CSP) informa que, nesta terça-feira (10 de agosto), por volta das 17 horas, foi registrada uma ocorrência na planta do alto-Forno. Uma reação causada pela presença de água no dru pit (reservatório de descarte de gusa) gerou um forte ruído, acompanhado de fumaça alta e escura", diz a siderúrgica em nota.

O alto-forno da CSP é a estrutura responsável pela redução do minério de ferro a fim de transformá-lo em ferro-gusa. Em junho, a Companhia comemorou os 5 anos de atividade do alto-forno, que produziu produziu 13,8 milhões de toneladas de ferro-gusa. O calor na estrutura chega a 2.000°C e possui 100 metros de altura.

Em nota, a empresa informa ainda que o Centro Integrado de Emergência (CIE) da CSP foi acionado de imediato, encaminhando Bombeiros e ambulâncias ao local, procedimento padrão dos protocolos de segurança da empresa. E que não houve vítimas, mas que as causas do incidente estão sendo apuradas. "A CSP reforça que a segurança dos seus empregados, terceirizados e comunidade são seu principal valor".

 

Confira as imagens:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Refinaria no Pecém: Estado propõe adiantar cronograma em 5 meses

Revisão de datas
00:30 | Jul. 17, 2021
Autor
Tipo Notícia

O projeto de R$ 4,24 bilhões para a instalação de uma refinaria de petróleo na Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará pode ser adiantando em 5 meses se a Noix Energy aceitar a proposta feita pelo governo cearense. Isso faria com que o cronograma previsto tivesse início em março, e não mais em agosto do próximo ano. O objetivo, segundo revelou o secretário Maia Júnior (Desenvolvimento Econômico e Trabalho), é agilizar todas os empreendimentos que já assinaram protocolos de entendimento com o Estado.

Assinado em setembro do ano passado pelo governador Camilo Santana, Gabriel Debellian, Diretor-Presidente da Noix, e Márcio Dutra, principal investidor da planta, o documento prevê a geração de 3 mil postos de emprego formal indiretamente e 150 diretamente em uma instalação que demoraria cerca de 30 meses. A refinaria no Ceará é um de dois projetos da Noix – que também vai investir em Sergipe.

Formada por ex-funcionários da Shell e da Petrobras, a empresa deve ter como principal produto no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) o óleo combustível marítimo (bunker), com a capacidade de refino de 50.000 barris por dia, e quando totalmente implantada a produção prevista é de 1,5 milhão toneladas/ano de combustível.

Mas, assim como a Noix, o Estado tem contatado outras parceiras, como a chinesa Mingyang Smart Energy, que pretende instalar uma fábrica de equipamentos para usinas eólicas offshore no Ceará – e até já fará testes com torres nas instalações do Porto do Pecém.

'Book de acompanhamento'

“Sobretudo no que diz respeito aos projetos no Pecém, estou chamando todos os investidores que fizeram protocolo conosco. Temos que monitorar os que são mais relevantes e devem gerar mais impacto ao Ceará”, detalhou o secretário.

Maia conta que vem realizando reuniões regulares com esse pessoal, no que chamou de “book de acompanhamento de investimentos especiais”. Com os acordos acertados com o Estado, os empreendimentos estão na fase de contratação para os projetos de engenharia, licenciamento ambiental e montagem de cronogramas dessas fases, os quais, de acordo com o secretário, podem ser acelerados.

Ainda para o Complexo do Pecém, o secretário revelou que tem conversas mantidas também com a Eneva, que possui uma térmica a carvão instalada na região. “Está interessadíssima para buscar uma solução de hidrogênio verde para o Ceará, mas ainda estamos nessa fase de namoro, apresentando nossas credenciais e eles e eles, mostrando a deles a nós”, classificou Maia, a respeito do mais novo e badalado projeto do hub de hidrogênio verde do Estado.

Já sobre a ação de acelerar a instalação dos principais projetos para a primeira metade do próximo ano, ele disse que foi um pedido do próprio governador. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho não relacionou, mas Camilo Santana já confirmou a tendência de sair do governo em junho de 2022 para disputar o cargo de senador – a vaga que hoje ocupa Tasso Jereissati.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags