PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Estatísticas de criminalidade, dados sobre foragidos e relatos de ameaças mapeiam ações policiais

Sandro Caron, secretário de segurança pública afirma que as ações dos agentes de segurança serão permanentes: "O que nos traz os resultados de segurança pública é a continuidade das ações e é por isso que a Operação Dominus é permanente".

11:30 | 21/07/2021
Fortaleza, Ce, BR 27.04.21  Facções criminosas estão monopolizando o comércio de Internet e gás de cozinha no residencial Cidade Jardim 2 no grande José Walter (Fco Fontenele/O POVO) (Foto: FCO FONTENELE)
Fortaleza, Ce, BR 27.04.21 Facções criminosas estão monopolizando o comércio de Internet e gás de cozinha no residencial Cidade Jardim 2 no grande José Walter (Fco Fontenele/O POVO) (Foto: FCO FONTENELE)

Estatísticas de criminalidade, dados que indicam presença de foragidos da Justiça e ameaça a moradores foram os critérios para realização de operação da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) no Residencial Cidade Jardim, no bairro José Walter. As ações acontecem nesta manhã, 21, e reúnem mais de 16 órgãos municipais e estaduais.

A ação desta quarta-feira faz parte da Operação Domus. Em sua segunda fase, a operação visa cumprir mandados de prisão em aberto, também detectar irregularidades relacionadas às ameaças, furto de energia, entre outras situações que podem ser encontradas durante a ação.

Em entrevista à Rádio O POVO CBN, o secretário de Segurança Pública do Ceará, Sandro Caron, disse que na operação há mais de 300 profissionais de segurança. Durante a primeira fase da operação, na semana passada, foram presas 14 pessoas. Já nesta manhã, na segunda fase, foram quatro presos nas primeiras duas horas de operação, às 9 horas da manhã.

LEIA MAIS | Megaoperação fecha o cerco contra traficantes que ameaçam moradores de conjuntos habitacionais em Fortaleza

Organização criminosa liderada por cabo da PM do Ceará extorquia traficantes para livrá-los da cadeia

“Os bairros são selecionados a partir de dois critérios: o primeiro é por meio de estatísticas de criminalidade e o segundo são os dados de inteligência que indicam a presença de pessoas foragidas da Justiça se escondendo e eventuais ameaças a moradores”, afirma o secretário.

Caron informa que a operação é permanente, com várias edições. A presença dos agentes será constante. O secretário pretende garantir a periodicidade nos bairros visitados. “Não adianta vir uma vez e não vir mais. Não vai ter resultado concreto. O que nos traz os resultados de segurança pública é a continuidade das ações e é por isso que a operação Dominus é permanente”.

Os trabalhos são conduzidos pela Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) da SSPDS e reúnem equipes da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e funcionários da Enel, concessionária de energia elétrica no Ceará.