Participamos do

Ceará terá 50% das escolas públicas estaduais funcionando em regime integral ainda neste ano

Mais 46 escolas vão funcionar sob essa modalidade em agosto deste ano, conforme anúncio feito pelo governador Camilo Santana (PT). Medida é vista como positiva para aprendizado dos alunos, mas gera controvérsia devido à pandemia
16:44 | Jun. 30, 2021
Autor Gabriela Almeida
Foto do autor
Gabriela Almeida Repórter O POVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 20h40min

O Governo do Ceará implementou o regime de tempo integral em mais 46 escolas públicas regulares do ensino médio no Estado, distribuídas em 37 municípios, conforme anúncio feito pelo governador Camilo Santana (PT), em transmissão nesta quarta-feira, 30. As instituições adotam a modalidade em agosto deste ano. Com a medida, o Ceará terá 50% das escolas públicas estaduais sob regime de jornada prolongada.

Na ocasião, o petista informou que o Governo irá investir quase R$ 80 milhões para deixar as unidades aptas a funcionarem em tempo integral. Os valores serão gastos com ações como reformas físicas das estruturas e compra de equipamentos. As unidades transformadas em Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTIs) estão sediadas em municípios como Caucaia, Fortaleza, Sobral, Ibicuitinga, Martinópolis, Aracati, Barbalha e Cruz (veja lista ao fim do texto). De todas as 37 cidades, 26 não tinham ainda uma escola pública regular nessa modalidade.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 LEIA MAIS | Povos indígenas cearenses fecham rodovia em protesto contra projeto sobre demarcação de terras

Covid-19: Ceará tem menor taxa de ocupação de UTI desde 12 de janeiro

Camilo anuncia convocação de 1.090 aprovados em concurso da Seduc

Estiveram presentes no anúncio, além do governador, a vice-governadora Izolda Cela (PDT) e a secretária da Educação do Ceará, Eliana Nunes Estrela. Secretários da educação dos municípios e representantes das escolas participaram virtualmente, recebendo uma placa que simbolizava a mudança.

Camilo Santana lembrou na ocasião que o Governo tinha estabelecido adotar esse regime em metade das escolas estaduais até o fim de 2022. Desde 2016 atuando para esse fim, a entidade conseguiu bater a meta com menos de um ano de antecedência em relação ao tempo máximo previsto. "Representa um avanço importante. Educação é o futuro. Nós estamos transformando a vida de jovens", destacou o governador. A implementação vai fazer com que o Ceará chegue a 324 unidades de ensino em tempo integral, sendo 201 EEMTIs e 123 Escolas Estaduais de Educação Profissional (EEEPs). 

Benefício para o aluno

O regime integral será aplicado em agosto nas escolas, iniciando-se na 1ª série do ensino médio e se expandindo gradualmente. Cada unidade deve oferecer uma jornada de sete a nove horas e disponibilizar até três refeições diárias ao aluno, que terá "disciplinas da base comum" e outras de acordo com sua escolha.

Na ocasião do anúncio, o governador também destacou os benefícios que o regime integral traz às escolas. Dentre os exemplos ele frisou, estão o acesso a refeições e  também a "oportunidade de complementar o reforço daquelas matérias onde ele tem mais deficiência".

Teoberto Landim, Conselheiro membro da Câmara de Educação Básica (CEB) do Conselho Estadual de Educação (CEE), reforça os benefícios da modalidade. "A educação de tempo integral é uma forma eficiente de desenvolvimento integral do aluno. Nesse modelo, o aprendizado não se reduz à matriz curricular, mas a outras experiências. É um ambiente propicio ao desenvolvimento do aluno", pontua.

De acordo com o professor, o modelo tem se popularizado no Ceará nos últimos anos por questões que vão também além do aprendizado, como a rotina dos pais — que acaba sendo facilitada—, a interação do estudante com outros alunos e o incentivo à promoção de atividades culturais, de lazer e esportivas.

Outro fator que tornaria favorável a ampliação do regime, segundo o representante, é o fato de que escolas estão há quase dois anos em regime remoto. A jornada prolongada permitiria, nesse sentido, que alunos "recuperassem" o que perderam em termos de aprendizado. 

Preocupação em relação à pandemia 

Apesar dos possíveis benefícios para a recuperação do aprendizado do aluno, como apontou Landim, a aplicação do modelo em 50% das escolas públicas do ensino médio no Estado ocorre em um momento sanitário ainda preocupante.  "Nós estamos ainda na pandemia, discutindo ainda se há condições de retorno presencial das aulas. Não é essa a notícia que a educação pública precisa agora", aponta Idevaldo Bodião, professor do centro de educação da Universidade Estadual do Ceará (Uece).

De acordo com o docente, o protocolo de retorno presencial das atividades que existe atualmente tem "muitas brechas", e as instituições precisam de medidas sanitárias ainda mais rigorosas por parte do Governo. Além disso, ele destaca que os riscos sanitários ainda podem seguir existindo por anos. "Nós temos uma pauta que é muito mais urgente, que é a garantia de condições de retorno às aulas, se você está falando de um tempo integral, você tem que ter uma reforço das medias sanitárias", destaca, explicando que nesse regime os alunos permanecem mais tempo na instituição e podem correr mais riscos.

O retorno das atividades presenciais nas escolas públicas de Fortaleza está previsto para agosto deste ano, mesmo período no qual a medida de jornada prolongada passa a valer nas escolas. 

O POVO procurou a Secretaria de Educação do Estado (Seduc) para saber se haverá um protocolo especifico para a realização das atividades em tempo integral. Como resposta, a pasta garantiu que segue trabalhando para que o ensino presencial volte de forma hibrida (presencial e remota). "A Secretaria da Educação continua trabalhando para, em agosto, as escolas públicas de ensino médio voltarem de forma híbrida, seguindo portaria que estabelece as normas para a retomada gradual, respeitosa, dialogada e segura à normalidade. A Secretaria mantém diálogo permanente com entidades de classe e representantes dos professores, alunos e comunidade", acrescentou o órgão, em nota.

Escolas com atendimento ampliado:

Acopiara: EEM Maria Leal Teixeira
Aracati: EEM Barão de Aracati
Aracoiaba: EEM João Alves Moreiras
Ararendá: Liceu de Ararendá José Wilson Veras de Mourão
Barbalha: EEM Virgílio Távora
Banabuiú: Liceu de Banabuiú Jacob Nobre de Oliveira Benevides
Bela Cruz: EEM Professora Marieta Santos
Catarina: EEM Pedro Jorge Mota
Catunda: EEM Monsenhor Ximenes
Caucaia: EEM Presidente José Sarney, EEM José Alexandre e EEM Professora Iraci Pereira de Alcântara
Cruz: EEM São Francisco da Cruz
Deputado Irapuan Pinheiro: EEM Joaquim Josué da Costa
Fortaleza: EEFM Sales Campos, EEFM Dom Antônio de Almeida Lustosa, EEFM Governador Luiz Gonzaga da Fonseca Mota, EEFM Paulo Benevides, EEFM Paulino Rocha e Estado do Paraná
Forquilha: EEFM Elza Goesrsch
Granjeiro: EEM Miguel Saraiva Pinheiro
Ibicuitinga: EEM Professora Maria Edilce Dias Fernandes
Iguatu: EEM Governador Adauto Bezerra
Itapipoca: EEM Hildeberto Barroso
Jaguaruana: EEFM Fco Jaguaribe
Maranguape: EEM Antonio Luis Coelho
Marco: EEM Ricardo de Sousa Neves e EEM Francisco Porciano Ferreira
Martinópole: EEM Prefeito Dario Campos Feijó
Milagres: EEM D. Antônia Lindalva de Morais
Milhã: EEM Euclides Pinheiro de Andrade
Morada Nova: Colégio Estadual Maria Emília Rabelo
Mulungu: EEM Professor Milton Façanha Abreu
Nova Olinda: EEFM Padre Luis Filgueiras
Pacoti: EEM Menezes Pimental
Paramoti: EEM Tomé Gomes dos Santos
Porteiras: EEM Aristarco Cardoso
Saboeiro: EEFM Lidia Bezerra
Santana do Cariri: EEM Adriao do Vale Nuvens
Salitre: EEM José Waldemar de Alcântara e Silva
Sobral: EEFM Dr. José Euclides F. Gomes e EEM Agostinho Neres Portela
Ubajara: EEM Flávio Ribeiro Lima
Umari: EEM Monsenhor Manoel Carlos de Morais
Uruburetama: EEM Matilde Rodrigues Vasconcelos

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags