PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Hospital Estadual Leonardo da Vinci celebra a marca de quatro mil altas

O hospital referencia no tratamento da Covid-19 foi adquirido em novembro de 2020 e conta, atualmente, com 850 profissionais de diferentes áreas

09:12 | 25/06/2021
Cícero Ferreira é um dos mais de 4 mil curados  (Foto: Sesa/Reprodução)
Cícero Ferreira é um dos mais de 4 mil curados (Foto: Sesa/Reprodução)

O Hospital Estadual Leonardo da Vinci (Helv) alcançou o número de quatro mil pacientes recuperados de Covid-19 nesta quarta-feira, 23. A unidade, pertencente à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), tem um ano e três meses de funcionamento. Desde o início da pandemia de coronavírus, o Helv tem sido uma das unidades de maior destaque no combate à doença. Atualmente, é o serviço com o maior número de leitos para Covid-19 no Estado, com 291 acomodações, sendo 179 UTIs e 112 de Enfermaria.

O Helv foi equipado e adaptado para o funcionamento durante a pandemia. Em novembro de 2020, o hospital foi adquirido pelo Governo do Ceará e passou a integrar a rede pública estadual de saúde de forma permanente. A unidade atende pessoas encaminhadas pela Central de Regulação. Aproximadamente 850 profissionais de diferentes áreas atuam no equipamento, compondo uma equipe multidisciplinar capacitada para o atendimento à população.

Uma das quatro mil altas foi a de Cícero Soares Ferreira, de 42 anos, que chegou à unidade no último dia 6. Após 17 dias internado, ele pode retornar para casa e ficar mais próximo da família. “Eu me sinto agradecido: a Deus, primeiramente, e depois a toda a equipe do hospital, que me tratou muito bem. Eu vim para cá transferido do Hospital Municipal de Jaguaribe, onde fiquei algumas horas. No começo, eu tive dúvida se era a doença, mas em seguida procurei um médico que confirmou que eu estava com o vírus. Graças a Deus estamos todos bem”, declara.

Ferreira seguiu para casa nessa quarta-feira, 23, ainda no oxigênio, mas passará poucos dias com o suporte, tendo em vista o início da sua reabilitação pulmonar por meio de fisioterapia. “Vou me tratar, fazer fisioterapia e me recuperar o restante em casa, no aconchego da minha família”.

Esmeralda Soares da Silva, de 59 anos, também faz parte dessa conquista. Moradora de Icapuí, a 206 km de Fortaleza, ela passou 20 dias internada no hospital e 12 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Esmeralda conta sobre a emoção de ter vencido a doença. “Lá em casa, todos ficaram doentes, mas eu fui a única que precisei ficar internada. Eu estava vacinada com a primeira dose, mas acabei pegando a doença e, hoje, só tenho a agradecer por toda honra e toda glória a Deus, por ter me curado e estar me devolvendo para casa”, contou.

Para o diretor geral do Helv, Emídio Teixeira, essas altas são um marco de vitória. “Temos uma referência nessa batalha; a experiência desse tempo nos deixou conhecer melhor essa doença. Aqui no Helv, nós vemos o ser humano e a família, e isso nos faz ser mais humanizados”, ressalta o gestor.